Em São Leopoldo, ampliação de posto de saúde fica pela metade - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso09/10/2019 | 08h43Atualizada em 09/10/2019 | 08h44

Em São Leopoldo, ampliação de posto de saúde fica pela metade

Prefeitura afirma que faltam cerca de R$ 500 mil para a finalização da construção

Em São Leopoldo, ampliação de posto de saúde fica pela metade Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Trabalhos começaram e foram paralisados em 2015 Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

O que deveria ser uma conquista para os moradores da Vila Baum, em São Leopoldo, ficou só na promessa. A ampliação da Unidade Básica de Saúde (UBS) da região começou em 2015, porém, as obras pararam no mesmo ano. 

LEIA MAIS
Na luta rumo ao mundial de Caratê: atleta de Guaíba precisa de apoio para competir
Moradores de Alvorada reclamam de falta de médico em posto de saúde
Morador de Canoas segue aguardando por uma ressonância magnética 

A ordem de ampliação da UBS foi solicitada pela comunidade ainda em 2006, via Orçamento Participativo. Após nove anos do pedido, a nova unidade começou a ser instalada na Travessa Castor, 135, no bairro Arroio da Manteiga, onde há um posto de saúde pequeno e com poucos recursos, que deveria ser substituído pelo novo prédio. 

Desnível 

A construção deveria ter 260 metros quadrados, dois consultórios médicos, um odontológico, sala de vacinas e ambientes para acomodar funcionários e usuários. O Diário Gaúcho de 23 de março de 2015 noticiou a ordem de início das obras. Na época, o investimento total da construção era de R$ 500 mil, com recursos do município. 

Quem sente na pele a falta de um novo posto são os moradores da região que precisam de atendimento médico com frequência. Este é o caso da pensionista Maria Eurídice Machado, 72 anos, com problemas na coluna e nos joelhos. Por conta de dores, Maria diz que não consegue se locomover bem, e para piorar, o posto de saúde atual fica abaixo do nível da calçada, obrigando-a a deslocar-se pelo declive do terreno a cada consulta. 

— Para nós, seria ótimo que terminassem logo esse posto — desabafa. 

Para a filha da pensionista, a manicure Maiara Chayanne Machado de Oliveira, 28 anos, o maior problema é a precariedade do posto. De acordo com ela, a estrutura atual é muito pequena, as paredes estão rachadas e, em dias de chuva, o transtorno é grande, pois há bastante goteiras no prédio. 

Maiara diz que, por várias vezes, a prefeitura comunicou aos moradores que a falta de dinheiro é o motivo para a não conclusão das obras. 

Obras precisam de mais R$ 500 mil 

De acordo com nota da Secretaria Municipal da Saúde de São Leopoldo (Semsad), a UBS Vila Baum tem equipe tradicional, com área física pequena e, por isso, a gestão municipal anterior decidiu iniciar as obras de ampliação em 2015. Ainda segundo a nota, a área foi doada à Associação de Moradores da Vila Baum. Como o local não estava escriturado em nome da prefeitura, o município não pode utilizar recursos federais ou estaduais para viabilizar a construção. 

A secretaria informou que foi executado 49% do projeto de reforma. Para a execução completa, faltam cerca de R$ 500 mil. Contudo, a pasta garante que a unidade funciona normalmente na estrutura antiga, com chefia administrativa, uma enfermeira, uma técnica de enfermagem, um clínico geral e um pediatra. 

Por fim, a Semsad esclareceu que tenta insistentemente negociar a área com a Associação de Moradores, com o objetivo de acessar recursos federais para finalizar a obra. Procurada pelo DG, a direção da entidade não respondeu à reportagem. 

Produção: Thayná Souza

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros