Com madeira, pneu e cesto de máquina de lavar, morador sinaliza buraco em avenida de Porto Alegre - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Mais de dois metros06/11/2019 | 09h49Atualizada em 06/11/2019 | 09h49

Com madeira, pneu e cesto de máquina de lavar, morador sinaliza buraco em avenida de Porto Alegre

Cratera atrapalha trânsito em via do bairro Rubem Berta; EPTC promete isolar local

Com madeira, pneu e cesto de máquina de lavar, morador sinaliza buraco em avenida de Porto Alegre Tiago Boff / Agência RBS/Agência RBS
Alagado pela chuva, buraco tem cerca de 2,5 metros de largura Foto: Tiago Boff / Agência RBS / Agência RBS

Um toco de madeira apoiado sobre um pneu e um cesto de máquina de lavar. A barreira montada por um morador do bairro Rubem Berta, na zona norte de Porto Alegre, servia, ontem, para sinalizar os motoristas sobre uma cratera que está aberta há mais de um mês na Avenida Plinio Kroeff. 

LEIA MAIS
Buraco interrompe fluxo de rua no bairro Mario Quintana, na Capital
Bom exemplo: funcionário de UBS planta jardim para melhor acolher pacientes
Após longa espera, esgoto que corria ao lado de bica d'água é resolvido 

Próximo à rótula com a Avenida Francisco Silveira Bitencourt, a cem metros da entrada do complexo cultural do Porto Seco, o buraco tem cerca de 2,5 metros de largura e pelo menos 30 centímetros de profundidade. 

Airton Martins tomou a iniciativa de sinalizar o localFoto: Tiago Boff / Agência RBS

— Com chuva é ainda pior, as pessoas não conseguem ver e caem no buraco. Foi por isso que eu coloquei as coisas ali — conta Airton Martins, 55 anos, idealizador da improvisada sinalização. 

A faixa ao lado de onde se formou uma poça d’água tem rachaduras aparentes no concreto. Na via, há brita espalhada em uma extensão de 50 metros. 

De moto 

Ainda conforme Martins, que mora em frente ao local, as pedras estavam dentro do buraco, mas teriam sido retiradas pela força dos veículos pesados que não desviam a tempo de evitar a cratera. 

Na manhã de ontem, motos, caminhões e veículos particulares circulavam em ritmo constante, rentes ao desnível. 

— Eu passo de moto e só não caio porque moro aqui e conheço, senão, cairia toda hora —explica o vendedor Ricardo Fernandes, 32 anos. 

Reconstrução depende do clima

Procurada, a EPTC afirmou que a equipe de manutenção foi acionada e que o local seria isolado ainda ontem. O órgão informou também que não há registros de reclamações dos moradores pelo telefone 118. Reforçou que é preciso a população avisar a prefeitura sobre transtornos. 

Próximo ao meio-dia de ontem, o Dmae informou que o buraco foi aberto para realização de uma obra na rede de esgoto da região e, por isso, uma parte do concreto da pista foi removida. A reconstrução do piso será feita após o término dos trabalhos de saneamento. O prazo depende das condições climáticas. 

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros