Em dia de calorão, DG confere ar-condicionado dos ônibus da Capital - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Transporte Público27/12/2019 | 18h50Atualizada em 27/12/2019 | 18h50

Em dia de calorão, DG confere ar-condicionado dos ônibus da Capital

Reportagem circulou por quatro regiões da cidade e encontrou veículos com o equipamento desligado e linhas onde a refrigeração não existe

Em dia de calorão, DG confere ar-condicionado dos ônibus da Capital Alberi Neto/Agência RBS
590 ônibus da Capital têm ar-condicionado Foto: Alberi Neto / Agência RBS

Em um dos dias mais quentes do ano, nesta sexta-feira (27), com temperaturas que chegaram a 38,9ºC , em Porto Alegre, o DG foi conferir como está o funcionamento da frota com ar-condicionado. Conforme dados de fevereiro deste ano, circulam pela Capital 1.582 ônibus – destes, 590 tem ar-condicionado, ou seja, 37,2%. A maior frota refrigerada é a da Carris, com 189 de seus 318 coletivos refrigerados.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Conforme decreto de 2017, a refrigeração deve ser ligada sempre que a temperatura superar os 24°C. Às 8h desta sexta-feira, porém, a temperatura já beirava os 28ºC na Capital. Ou seja, qualquer coletivo da cidade que possuísse refrigeração, deveria estar com ela ligada. Para conferir de perto se os passageiros estão tendo seu direito respeitado, o Diário Gaúcho circulou por mais de 10 ônibus de diferentes linhas e consórcios. 

A referência para encontrar os veículos refrigerados foi o aplicativo CittaMobi _ disponibilizado pela Associação de Transportadores de Passageiros (ATP-POA). Com ele, é possível saber, por meio do GPS instalado nos coletivos, quando os ônibus chegam na parada e se eles possuem ar-condicionado e/ou acessibilidade.

Rota

A Blitz do DG começou na Avenida Erico Verissimo. Às 8h43min, a reportagem chegou a uma parada no sentido bairro/Centro. A espera por um carro refrigerado levou um minuto. Três coletivos chegaram praticamente juntos ao ponto, sendo que um deles, que operava a linha R22/Rápida Belém Velho, tinha ar-condicionado funcionando a pleno vapor. Em 10 minutos, o carro chegou ao Centro Histórico. De lá, o Diário foi ao Terminal Parobé _ boa parte dos coletivos que saem de lá, vão para a Zona Norte. E foi num destes que a reportagem embarcou às 9h1min – não houve espera, o tempo entre uma viagem e outra foi o espaço de caminhada entre o terminal da linha R22 e o Parobé. 

Leia também
Projeto em Porto Alegre, ônibus sem cobrador já é realidade em cidades da Região Metropolitana
Em 12 meses, seis linhas de ônibus são desativadas em Porto Alegre
Ônibus de Porto Alegre registram queda no número de viagens e de quilômetros rodados

Com destino à Zona Norte, o D72/Diretão via Santa Rosa seguiu pela freeway até o acesso da Avenida Assis Brasil. A refrigeração era agradável e havia poucos passageiros no coletivo. 

A reportagem seguiu na linha até a Avenida Assis Brasil e, após, rumou ao Terminal Triângulo. 

Calorão na linha mais usada da cidade

Com a chegada no Terminal Triângulo, o objetivo era ir em direção ao Terminal do Viaduto José Carlos Utzig. Lá, circula pela Terceira Perimetral a linha T11/Transversal Aeroporto. Conforme dados da EPTC, esta é a linha mais utilizada da Capital – transportando em dias úteis cerca de 20 mil usuários. Foram 10 minutos de espera por um carro com ar-condicionado. Rumo ao terminal, o Diário embarcou na linha TR62/Troncal Baltazar às 9h38min e chegou ao viaduto da Terceira Perimetral às 9h53min. Uma rápida olhada no aplicativo indicou que os próximos T11 que passariam por ali não contavam com ar-condicionado.

Quem utiliza ônibus nesta região, cita que realmente os veículos com ar-condicionado são mais escassos. Sandro Carvalho Machado, 41 anos, anda sentindo na pele um problema comum aos usuários do transporte. Cobrador de ônibus que deixou o emprego recentemente, Sandro trocou de lado na roleta e virou passageiro:

— Moro no bairro Agronomia. A linha do bairro costuma ter ar-condicionado. Mas, quando venho para a Zona Norte, é mais difícil. Também uso o T12 (Transversal Restinga/Cairú), e vejo poucos com ar-condicionado.

A dona de casa Ledir Corrêa Fontoura, 75 anos, utiliza várias linhas da Zona Norte. Moradora do bairro São Geraldo, ela diz que sente falta dos ônibus refrigerados, ainda mais depois que os dias ficaram mais quentes.

—  Na rua já é calor, dentro do ônibus, então, fica ainda pior — reclama ela.

Blitz DG , verão , calor nos ônibus , ar condicionado no ônibus , Porto Alegre , transporte público , usuários de transporte público. Na foto: Ledir Corrêa Fontoura.
Ledir sente falta da refrigeração nos veículos em que andaFoto: Alberi Neto / Agência RBS

Como não havia previsão de um T11 com ar-condicionado surgir, o repórter embarcou em um veículo sem refrigeração às 10h8min. Uma percepção da reportagem é de que os veículos com ar-condicionado costumam ser direcionados para linhas com menos paradas, como rápidas, troncais e transversais. Com isso, os ônibus que circulam pelos bairros têm menos chance de serem equipados com o acessório. 

Erro em letreiro confunde 

O Diário desembarcou no viaduto entre as avenidas Carlos Gomes e Protásio Alves. Depois de testar de algumas linhas que circulam na Protásio, a reportagem retornou à Terceira Perimetral para esperar um T11 com refrigeração _ mas não havia essa previsão no aplicativo. Então, o app sugeriu embarcar num T11A com ar-condicionado, com prefixo 711. Porém, quando o carro chegou, o letreiro indicava que estava sendo feito o itinerário T2/Arena. Segundo a Carris, um erro no letreiro do veículo, e não na plataforma CittaMobi. 

Leia também
Em meio a calorão de 35,3°C, moradores de bairros de Porto Alegre enfrentam novo dia de falta d´água
Como foi o primeiro dia de funcionamento do novo restaurante popular de Porto Alegre
Como estão as praias de Porto Alegre para o verão

Enquanto isso, um T11 com ar-condicionado surgiu no sentido Sul/Norte, oposto de onde a reportagem estava. O coletivo, apesar de ter refrigeração, não estava com ela ligada, e as janelas estavam abertas. Sem a chegada de um T11 refrigerado, o DG embarcou num carro da linha T13/Triângulo/PUC, refrigerado. Após o desembarque na Ipiranga, a intenção era ir a bordo de um T1/Transversal 1 ou T1D/Transversal 1 Direto. 

Porém, pelas informações do CittaMobi, não haveria T1 com ar-condicionado na próxima meia hora nem T1D refrigerado na próxima uma hora. Subimos num T1 sem refrigeração para retornar à sede do Diário Gaúcho, na Avenida Ipiranga. O desembarque foi às 11h25min. 

Mais de 60 ônibus autuados desde outubro

A EPTC informou que, desde o início de outubro, a Gerência de Fiscalização de Transporte faz blitze específicas sobre equipamentos de ar-condicionado. Do dia 1º de outubro até esta sexta-feira, foram realizadas 2.983 vistorias e 918 aferições nas garagens. Desses veículos, 67 foram notificados e 64 autuados por alguma falha no equipamento _ inclusive o T11 visto pela reportagem circulando com o equipamento desligado.

A orientação é para que o cidadão que deseja registrar alguma sugestão ou reclamação pode ligar para o número 118 ou enviar e-mail para eptc@eptc.prefpoa.com.br. 

Linhas testadas

/// R22/Rápida Belém Velho — ar funcionando

/// D72/Diretão via Santa Rosa — ar funcionando

/// TR62/Troncal Baltazar — ar funcionando

/// T11/Terceira Perimetral (Norte/Sul) — sem ar

/// T11/Terceira Perimetral (Sul/Norte) — ar desligado, foi notificado pela EPTC

/// R41/Rápida Protásio — ar funcionando

/// T8/Campus/Farrapos — ar funcionando

/// T11A/Transveral 11A (veio com letreiro do T2) — ar funcionando

/// T13/Triângulo/PUC — ar funcionando

/// T1/Tranversal 1 — sem ar

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros