Famílias da Vila Nazaré, em Porto Alegre, começam mudança para o Condomínio Irmãos Maristas - Notícias

Vers?o mobile

 
 

HABITAÇÃO08/01/2020 | 22h17

Famílias da Vila Nazaré, em Porto Alegre, começam mudança para o Condomínio Irmãos Maristas

Primeiras famílias, que viviam junto à pista do aeroporto Salgado Filho, foram transferidas nesta quarta-feira (8)

Famílias da Vila Nazaré, em Porto Alegre, começam mudança para o Condomínio Irmãos Maristas Fernando Gomes/Agencia RBS
Vida nova para a família Araújo Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Passava das 8h desta quarta-feira (8) quando dois caminhões-baú escoltados pela polícia deixaram a base montada pela prefeitura na entrada da Vila Nazaré – comunidade na cabeceira da pista do Aeroporto Salgado Filho, na zona norte de Porto Alegre. Dali, os veículos rumaram, com agentes do Departamento Municipal de Habitação (Demhab), para o interior de uma das ocupações mais antigas da Capital. 

Desde o ano passado, a Nazaré está sendo reassentada. Ontem, uma nova fase de mudanças começou. Esta é a terceira etapa da transição, que ficou parada durante parte do ano passado por determinação judicial. De início, serão 514 famílias transferidas para o loteamento Irmãos Maristas, no bairro Rubem Berta, divididos em 34 casas e 480 apartamentos. 

Leia mais
O futuro dos moradores da Nazaré longe do Salgado Filho
Mais de 800 unidades habitacionais foram vendidas, mas famílias nunca as receberam
"Nosso destino é o viaduto", dizem famílias após reintegração de posse

O local deve receber 936 famílias da Vila Nazaré, ao todo. A capacidade total do loteamento é de 1.298 unidades, entre casas e apartamentos – as demais vagas serão encaminhadas para outras pessoas que estão na fila do Demhab.

Em julho do ano passado, o Diário Gaúcho acompanhou o início dos trabalhos. Comparado a 2019, o clima, agora, é outro. A tensão gerada pela constante ameaça do tráfico aos moradores aparenta ter diminuído. A própria prefeitura reconhece que os trabalhos têm transcorrido de forma mais pacífica.  

Quando os caminhões encostaram na Rua Alfredo Neri Soares, mais de uma dezena de moradores acompanhou o início da terceira fase de mudanças. Entre agentes do Demhab, da Guarda Municipal e da Brigada Militar, uma retroescavadeira também aguardava pelo seu momento de entrar em ação. As residências são demolidas imediatamente após a saída de cada família, para evitar que invasões possam ocorrer.

No local, vivia boa parte da família Araújo. Com as raízes em Guarani das Missões, no Interior, a turma migrou aos poucos para a Capital em busca de melhor qualidade de vida. Agora, sentem que o sonho está se realizando. Os primeiros contemplados foram os patriarcas. Num pequeno casebre de três cômodos – a poucos metros do muro que divide a Vila Nazaré do Aeroporto Salgado Filho –, o agricultor aposentado José Pires Araújo, 64 anos, e a doméstica aposentada Francisca Ribeiro de Lima Araújo, 63 anos, viviam com o filho Ari Ribeiro de Lima Araújo, 31 anos. É ele quem cuida dos pais, já idosos e com problemas de saúde. Na Nazaré, a rotina era marcada pela constante falta de água e energia elétrica, além do saneamento básico inexistente. 

– Estamos saindo daqui para um luxo. Acredito que lá não teremos mais esses problemas que enfrentamos aqui – deseja Ari, que assinou contrato para receber a residência no final de dezembro. 

 PORTO ALEGRE-RS- BRASIL- 08/01/2020-  Primeiro dia de mudanças da Vila Nazaré para o condomínio Irmãos Maristas, no bairro Rubem Berta, Zona Norte. Casa de  José Pires Araújo, ao alto as obras da pista do Salgado Filho.    FOTO FERNANDO GOMES/DIÁRIO GAÚCHO.
Após a saída das famílias, casas são imediatamente demolidas, para evitar novas invasõesFoto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Quando o último móvel foi embarcado no caminhão, outra equipe entrou na residência dos Araújo para iniciar a demolição. Com um aperto no peito, Francisca precisou deixar o passado para trás num piscar de olhos.

– Não quero ver derrubarem minha casa, é muito triste – desabafou ela, enquanto saía do terreno que ocupou nos últimos 15 anos.

Além dos patriarcas, outro filho da família Araújo também seguiu para o novo loteamento, no Rubem Berta. O porteiro Cláudio Araújo, 42 anos, foi o precursor da migração da família. Depois dele, que se mudou para Porto Alegre há 27 anos, vieram outros seis irmãos – ao total são oito, apenas um não deixou Guarani das Missões. 

– Conheci a terra e o resto da família veio depois. Buscávamos uma vida melhor, mais digna. Depois de todos esses anos, ganhar esse apartamento é um recompensa por tanto trabalho que passamos aqui – pontua Cláudio, marido da dona de casa Márcia dos Santos, 35 anos, e pai do menino Cláudio Alexandre dos Santos Araújo, cinco anos. 

Leia mais
Famílias da casa de passagem Carandiru sofrem com a falta de estrutura
Beneficiários do aluguel social ganham casas-contêiner em Esteio

Os Araújo chegaram ao loteamento Irmãos Maristas perto das 11h. Assim, como Cláudio, há 27 anos, desbravaram uma nova terra, juntos. Dos sete irmãos que vivem na Nazaré, apenas uma não ficará no loteamento do Rubem Berta – foi transferida ainda na primeira fase para o loteamento Senhor do Bom Fim, no bairro Sarandi, que recebeu 364 famílias da região.

Quando a porta da casa nova se abriu, Francisca escondeu o sorriso com uma mão. A outra corria pelos curtos cabelos brancos. Enquanto ela andava pela casa, seus olhos brilhavam diante de cada novo cômodo. O marido, José, admirava a fachada da residência. 

– Estamos muito felizes. Isso será um recomeço, num lugar bem melhor – disse Ari.

Mudanças concluídas até maio

Conforme o superintendente  de Ação Social e Cooperativismo do Demhab, Emerson Côrrea, a intenção é concluir as mudanças até maio, liberando a área por completo e permitindo à Fraport, administradora do Salgado Filho, avançar com as obras de ampliação do aeroporto. Depois da primeira etapa no Irmãos Maristas, haverá novas transferências – 764 famílias já escolheram as suas residências. 

Do número total de grupos familiares considerado pela prefeitura, 80 ainda não concluíram os trâmites junto à Caixa Econômica Federal, responsável pela assinatura dos contratos de cessão da moradia.

– A resistência da comunidade diminuiu muito. Conseguimos demonstrar que a transferência é uma melhoria na qualidade de vida, principalmente, levando os moradores para conhecer o loteamento – explica Emerson.

Os dois empreendimentos terão unidades comerciais, para aqueles que já possuíam estabelecimentos na Vila Nazaré, além de creche, posto de saúde e delegacia.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros