Corpo de Bombeiros Voluntários de Charqueadas precisa de apoio para finalizar construção de sede - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso10/02/2020 | 10h00Atualizada em 10/02/2020 | 10h04

Corpo de Bombeiros Voluntários de Charqueadas precisa de apoio para finalizar construção de sede

A conclusão da obra depende de partes importantes, como elétrica e hidráulica

Corpo de Bombeiros Voluntários de Charqueadas precisa de apoio para finalizar construção de sede Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Prédio necessita de acabamentos Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Há 12 anos, é o desejo de fazer a diferença que move os integrantes do Corpo de Bombeiros Voluntários de Charqueadas. O grupo, formado por 25 voluntários, atende as mais diversas ocorrências no município da Região Carbonífera – que não possui um corpo de bombeiros militares dentro de seus limites municipais.

LEIA MAIS
Morador de Alvorada espera por consulta oftalmológica desde 2018
Buraco em calçada oferece riscos aos pedestres no bairro Auxiliadora, na Capital
Casal faz campanha para comprar medicamento que pode curar doença rara da filha 

Desde sua fundação, a solidariedade tem sido a principal mantenedora da iniciativa – a exemplo da atual sede do grupo, que funciona em uma residência cedida gratuitamente por um morador da cidade. Agora, mais uma vez, os bombeiros voluntários contam com a ajuda da população para realizar seu maior sonho: concluir a construção de sua sede própria. 

Graças a doações, o novo prédio, situado em um terreno cedido pela prefeitura, já está quase pronto. Contudo, faltam ainda a finalização de partes importantes da empreitada, como elétrica e hidráulica, e os acabamentos. 

bombeiros voluntários , bombeiros voluntários de charqueadas , charqueadas, spn, seu problema é nosso, sede, construção, vaquinha, doações<!-- NICAID(14411770) -->
O grupoFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

– O grosso, a gente já conseguiu. Mas, agora, vem a parte do acabamento, que se torna cara. Como muitas pessoas já nos ajudaram, acabou se esgotando. Já não temos mais a quem pedir – conta o vigilante Carlos José Leão, 57 anos, que há sete atua como presidente do grupo.

Melhorias

Com a mudança para a nova sede, o atendimento prestado pelos bombeiros será beneficiado. Isso porque o espaço que o a corporação utiliza atualmente fica em uma zona residencial da cidade, onde as ruas são estreitas e movimentadas, prejudicando, por vezes, a agilidade no deslocamento para as ocorrências. Já o novo local, além de ser próprio, conta com localização estratégica.

– Fica ao lado da ERS-401. Então, conseguimos nos deslocar para qualquer lado da cidade com facilidade. Fizemos testes para calcular o tempo-resposta a diferentes bairros, e foi muito positivo – comenta Carlos.

Para que o sonho se torne, enfim, realidade, o Corpo de Bombeiros Voluntários aceita doações em dinheiro e em materiais de construção. Mas, de acordo com o presidente, toda ajuda é bem-vinda, mesmo somente para divulgar a campanha. 

“Charqueadas abraçou a iniciativa”

Com formação para atuarem como bombeiros voluntários, os 25 integrantes da corporação auxiliam a comunidade no combate a incêndios, resgate em acidentes e atendimentos clínicos, além de situações emergenciais. Segundo o presidente, hoje, a maioria dos chamados já não partem da população, mas da Brigada Militar e do Samu, que repassam ocorrências para os voluntários.

– Confiam no nosso trabalho – orgulha-se.

No ano passado, quando a cidade chocou-se com o ataque ocorrido no Instituto Estadual Educacional Assis Chateaubriand – ocasião em que um adolescente invadiu a escola e desferiu golpes de machadinha contra alunos e professores –, o Corpo de Bombeiros Voluntários atuou no socorro às vítimas. O trabalho foi reconhecido durante homenagem na Câmara de Vereadores. 

Orgulhoso, Carlos alegra-se ao dizer que a cidade abraçou a iniciativa:

– Às vezes, as pessoas nos perguntam se não ganhamos nada. Mas o nosso pagamento é o reconhecimento das pessoas que ajudamos. 

COMO AJUDAR

/// Para contribuir, entre em contato pelos telefones (51) 3141-2014 ou (51) 99923-6003. 

/// Se preferir, você também pode contatar o grupo pelo Facebook.

Produção: Camila Bengo 

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros