Guaíba: idosa espera por fim de dores no quadril - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso16/03/2020 | 11h48Atualizada em 16/03/2020 | 11h48

Guaíba: idosa espera por fim de dores no quadril

Ela possui um desgaste diagnosticado em 2009 e, desde então, aguarda por uma consulta pré-operatória

Guaíba: idosa espera por fim de dores no quadril arquivo pessoal/arquivo pessoal
Família tem encaminhamento de 2009 Foto: arquivo pessoal / arquivo pessoal

– Faz tempo que eu não sei o que é andar sozinha, sem ajuda.

Esse é o desabafo da costureira aposentada Lurdes Bernadete da Conceição, 65 anos, moradora de Guaíba. Ela possui um desgaste no quadril, diagnosticado em 2009. Desde então, com todos os laudos e exames necessários em mãos, Lurdes espera por uma consulta pré-operatória.

Precisando de muletas e de apoio dos familiares para conseguir se locomover, a aposentada aguarda pelo dia em que será chamada para realizar a consulta, fazer a cirurgia e dar fim às dores constantes que sente. 

LEIA MAIS  
Viamão: rua esburacada dificulta circulação  
No bairro Sarandi, posto de saúde está sem médico há cerca de um mês
Protetora sonha grande: quer oferecer castração a preços populares

Filho de Lurdes, o vigilante Anderson da Conceição Soares, 46 anos, dá assistência à mãe desde o início do acompanhamento com o ortopedista, no Hospital Regional de Guaíba. Ele diz estar muito incomodado com a demora no atendimento:

– Ela sente dores horríveis quando tenta caminhar. Vai chegar um momento em que não vai mais conseguir andar. Eu fico muito triste com isso.

Hospital

De acordo com um laudo emitido pelo ortopedista de Lourdes em 2019, a capacidade funcional do quadril da aposentada está comprometida. 

– Cada vez que ela vai ao médico procurando por uma solução, só trocam a medicação. É tanto remédio que nem faz mais efeito. Ela continua com as dores, o corpo já deve ter se acostumado – lamenta o filho.

Na quarta-feira passada, Lourdes recebeu uma ligação do hospital dizendo que não havia dados seus no sistema de gerenciamento de consultas. A informação, claro, indignou a aposentada e toda a família:

– Nos disseram que, se ainda tivéssemos interesse na cirurgia, teríamos que cadastrar os dados novamente no sistema. Estamos esperando todo esse tempo para ela consultar, vamos ter que esperar tudo isso de novo? – questiona Anderson.

SES: informações ficaram pendentes

Questionada, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou que verificou os dados de Lurdes no antigo sistema de regulação de consultas e achou a solicitação de avaliação com ortopedista cadastrada em 2011. Ainda de acordo com a SES, o pedido, no entanto, foi indeferido por falta de dados clínicos, que deveriam ser repassados pelo município.

A pasta também esclareceu que, no sistema de regulação de consultas Gercon, que passou a ser utilizado em 2016, não há qualquer solicitação cadastrada em nome de Lurdes. Porém, garantiu que Guaíba já foi orientada a inserir uma nova solicitação.

Prefeitura fala de troca de sistema 

A Secretaria de Saúde de Guaíba atribuiu à troca de sistema de gerenciamento de consultas a responsabilidade pela ausência de informações de Lurdes no cadastro da lista de espera. 

Ainda segundo a secretaria, em 2016, quando o novo sistema Gercon foi implantado, os pacientes foram orientados a atualizar suas informações para serem incluídos novamente na fila, o que pode não ter acontecido com a aposentada. Contudo, a pasta garantiu que entrou em contato com ela para adicionar os dados no sistema.

Produção: Caroline Tidra e Thayná Souza

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso  



 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros