Porto Alegre: atividades pela internet ajudam a enfrentar o isolamento social - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso31/03/2020 | 18h17Atualizada em 31/03/2020 | 18h17

Porto Alegre: atividades pela internet ajudam a enfrentar o isolamento social

Aulas de dança, meditação e yoga têm sido ofertadas à distância, por meios de vídeos no YouTube e grupos no Telegram

Porto Alegre: atividades pela internet ajudam a enfrentar o isolamento social Arquivo pessoal/Arquivo pessoal
Jaqueline grava as aulas em casa Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Quando, em 17 de março, a prefeitura de Porto Alegre anunciou que as aulas esportivas ofertadas nos centros e parques da Capital seriam suspensas a fim de conter o avanço do coronavírus, a assistente social Maria das Dores Leite, 62 anos, sentiu-se apavorada. Isso porque, com a suspensão, a moradora da Vila Jardim, que há três anos frequenta o Centro de Comunidade Primeiro de Maio (Ceprima), teria de ficar longe de sua maior paixão: a dança. 

LEIA MAIS
Iniciativa direciona doações para famílias do Morro da Cruz, em Porto Alegre
Após vaquinha virtual, projeto doa cestas básicas para pessoas que tiveram renda prejudicada pelo coronavírus
No bairro Bom Jesus, solidariedade na luta contra a pandemia de coronavírus 

Maria, que trabalha em casa, costumava deixar a residência apenas para ir ao Ceprima participar das aulas, quatro vezes por semana. Diante dessa nova realidade, temeu que o período de distanciamento social se tornasse sinônimo de solidão e angústia. 

A fim de evitar esse quadro, professores vinculados à Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Esporte têm buscado alternativas para que a prática esportiva e, sobretudo, o convívio entre os participantes possam ser mantidos em meio à quarentena. 

Resultados 

Com o auxílio da internet, aulas de dança, meditação e yoga têm sido ofertadas à distância, por meios de vídeos no YouTube e grupos no Telegram, para que cada aluno pratique em sua própria casa, respeitando as orientações de isolamento. 

Segundo a educadora física Jaqueline Musse, professora de dança e coordenadora do Ceprima, a iniciativa tem tido bons resultados. Da própria residência, ela grava vídeos com coreografias de diferentes ritmos, que são postados no YouTube. Também de suas casas, Maria e os demais alunos acompanham cada passo da profe e filmam suas evoluções, compartilhando com o restante da turma, formada em grande número por idosos. 

— Acima da saúde física, está a sanidade mental. Tenho recebido relatos de alunas dizendo que, se não fosse por isso, estariam deprimidas, só limpando a casa ou fazendo comida. É claro que dançar faz bem para a saúde física, mas acho que o principal ponto, neste momento, é a saúde mental. É importante que, mesmo em casa, a pessoa continue rindo e se mantendo ativa, pois isso também ajuda a prevenir doenças — explica a professora. 

seu problema é nosso, dança, yoga, ceprima, prefeitura, jaqueline musse, quarentena<!-- NICAID(14463366) -->
Alunos acompanham as aulas em casa, pelo celularFoto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Orgulho 

Para Maria, que já está praticando a quarentena há quase 15 dias, a alternativa funcionou. A possibilidade de realizar as atividades de casa está ajudando-a a enfrentar esse período de forma mais leve e deixar para trás o pavor que, no início, lhe acometeu: 

— Na primeira semana (de quarentena), comecei a ficar muito ansiosa e a perder o sono por conta dessa situação toda. Mas, podendo fazer as aulas em casa, diminuíram muito essa ansiedade e as sensações de tristeza e solidão. 

Diante desses relatos, a professora Jaqueline sente-se orgulhosa: 

— Todo mundo é responsável por alguma coisa. Eu tenho a responsabilidade de manter a energia das pessoas. O que me bate é uma sensação de dever cumprido, de estar fazendo a minha parte. E, para mim, também está sendo muito bom, porque desopilo gravando as aulas e acabo me divertindo. 

Como participar

/// Qualquer interessado pode fazer parte das aulas de dança, meditação e yoga, independentemente de estar vinculado às atividades ofertadas pela prefeitura.

/// Para ser aluno de dança, acesse o canal “GiraGirar Jaqueline Musse” e acompanhe as coreografias postadas.  

/// Para quem deseja praticar meditação ou yoga, o caminho é por meio do aplicativo Telegram — que é gratuito e tem funcionalidades semelhantes às do WhatsApp. Na loja de aplicativos do seu celular, baixe o Telegram e, após criar sua conta na rede, utilize o mecanismo de busca para encontrar o grupo em que as atividades são postadas, pesquisando por @yogaparatodos ou Yoga para Tod@s. Também é possível acessar pelo link t.me/yogaparatodos.

Para manter a saúde em dia

Educadora física, Jaqueline Musse dá dicas para enfrentar o período de quarentena de forma mais saudável. Segundo ela, é importante que, mesmo em casa, as pessoas mantenham-se ativas e não se deixem levar pelo pessimismo que esse período nos impõem. Abaixo, confira as orientações apontadas pela professora:

/// Mantenha-se informado sobre a pandemia, mas não passe as 24 horas do seu dia em função dessas notícias.

/// Utilize a internet para procurar atividades físicas que possam ser feitas em casa. No YouTube, há um mundo de possibilidades. Não fique só sentado no sofá, esperando o dia passar.

/// Tenha cuidado com sua alimentação e não foque sua rotina na comida. Não passe o dia todo cozinhando ou pensando no que irá comer.

/// Procure fazer atividades que lhe dão prazer, como ler um livro ou assistir ao seu artista preferido pela internet. 

/// Aproveite esse período de isolamento, que também é de reflexão, para desfrutar do convívio com a sua família, seja presencialmente ou pela internet. Conversem, se olhem e curtam momentos felizes juntos.

Produção: Camila Bengo

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros