Prefeitos da Região Metropolitana e do Vale do Sinos vão debater medidas conjuntas contra coronavírus - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Combate à pandemia15/06/2020 | 21h29Atualizada em 16/06/2020 | 08h01

Prefeitos da Região Metropolitana e do Vale do Sinos vão debater medidas conjuntas contra coronavírus

Reunião virtual está marcada para as 11h de terça-feira (16), com o objetivo de estabelecer uma linha comum de enfrentamento à doença

Prefeitos da Região Metropolitana e do Vale do Sinos vão debater medidas conjuntas contra coronavírus Mateus Bruxel/Agencia RBS
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Diante do avanço do coronavírus, prefeitos à frente de municípios da Região Metropolitana e do Vale do Sinos irão se reunir virtualmente, na manhã de terça-feira (16), na tentativa de chegar a um consenso sobre medidas comuns de combate à doença. A possibilidade vai ao encontro do que defende o prefeito da Capital, Nelson Marchezan, que anunciou novas restrições contra a doença e alertou para o fato de que cidades próximas adotam ações bastante distintas, embora a Grande Porto Alegre tenha a mesma bandeira (de cor laranja) no modelo de distanciamento controlado.

Marchezan sugeriu, por exemplo, que municípios como Guaíba, Viamão e Novo Hamburgo ampliem as restrições, porque, segundo ele, muitos dos pacientes internados em UTIs de Porto Alegre vêm desses locais.  

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre (Granpal) e prefeita de Nova Santa Rita, Margarete Ferretti concorda com a busca por ações conjuntas. Ela conversou com Marchezan no domingo e com o prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi, que, como Marchezan, também apertou as regras contra a covid-19. Segundo Margarete, a reunião geral está marcada para as 11h desta terça e deve contar com todos os prefeitos envolvidos.

— A ideia é elaborarmos um protocolo de distanciamento social comum, mas, é claro, respeitando as peculiaridades de cada município. Está aumentando o número casos, e essa é uma preocupação recorrente — reforça.

Na avaliação da presidente da Granpal, é "importante ouvir todos os prefeitos para ver o que é possível fazer".  Margarete lembra que, no início da pandemia, a região conseguiu adotar o distanciamento em bloco, de forma unificada, o que ajudou a conter as infecções.

Leia também
Entenda o que muda nas regras de distanciamento controlado no Estado
Porto Alegre voltará a restringir atividades de shoppings, comércio, academias e restaurantes
RS registra mais de 1,2 milhão de golpes e tentativas de golpes virtuais desde o início do ano

— Os municípios que não têm hospital ou vagas suficientes ocupam as vagas dos que têm, então é importante pensar no todo. Espero que a gente consiga chegar a uma linha comum. Defendo muito isso — diz a representante da Granpal.

Na mesma linha, a presidente da Associação dos Municípios do Vale do Sinos (AMVRS) e prefeita de Dois Irmãos, Tânia Terezinha da Silva, também destaca a necessidade de iniciativas compartilhadas, mas faz uma ressalva: a população precisa entender e fazer a sua parte.

— O principal objetivo é buscarmos ações em conjunto, porque ninguém vive em uma ilha. Continuamos na bandeira laranja, mas as nossas regiões estão muito próximos da bandeira vermelha. Agora, é importante que se diga: não bastam atos de governo. Vejo que as pessoas relaxaram nos cuidados, quando deveria ser o contrário. É hora de termos mais empatia — conclui Tânia.



 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros