Jovem de Gravataí chama a atenção nas redes sociais com paródias para divulgar comércios da cidade - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Criatividade na crise03/07/2020 | 05h00Atualizada em 03/07/2020 | 05h00

Jovem de Gravataí chama a atenção nas redes sociais com paródias para divulgar comércios da cidade

Com o que ganha com a iniciativa, Douglas Weiss, 17 anos, paga as mensalidades da escola em que estuda

Jovem de Gravataí chama a atenção nas redes sociais com paródias para divulgar comércios da cidade Lauro Alves/Agencia RBS
Com ajuda daqui e dali e muita criatividade, Douglas faz o que gosta e ainda paga seus estudos Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

Se tem algo que pandemia não diminuiu, foi a criatividade de Douglas Weiss, 17 anos. Morador de Gravataí, ele achou um jeito de gerar renda e manter seus estudos, mesmo com o distanciamento gerado pelo coronavírus. E o exemplo dele chama a atenção nas redes sociais. 

A história do jovem se confunde com a de milhares outros garotos negros ou de regiões periféricas do Brasil. Aos oito anos, perdeu o pai, que tinha envolvimento com o tráfico. Pouco tempo depois, deixou Alvorada com a mãe, a diarista Kelen da Silva Weiss, 38 anos, e três irmãos – algum tempo depois, outro menino chegou. A família estabeleceu um novo lar em Gravataí. As dificuldades que passou lhe fizeram querer distância do sofrimento e das escolhas erradas. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

– Sempre digo que filho de peixe, peixinho não é. Não é porque meu pai fez o que fez, que eu vou fazer o mesmo – diz.

Douglas cursa o Ensino Médio em uma instituição privada, o Instituto Adventista Cruzeiro do Sul (IACS). O local, que fica em Taquara, funciona como internato. Até o início do ano, o pagamento das mensalidades se dava com a renda obtida com o trabalho como jovem aprendiz, que conseguiu na própria escola. Só que este período, que dura cerca de dois anos, encerrou-se no início de 2020. 

Sem condições de pagar as mensalidades, começou a buscar uma saída. É aí que entra sua veia artística e a guinada criativa, com a ideia de gravar clipes musicais divulgando o comércio local. 

Início

Douglas já ajudava há algum tempo Jaina Wichmann, proprietária de uma livraria. Quando a família mudou-se para a cidade, Kelen, mãe de Douglas, passou a trabalhar na casa de Jaina. Quando ele estava no Ensino Fundamental, pediu a ela roupas novas para usar em sua formatura. Por conhecer de perto a realidade da família, a comerciante aceitou de pronto, mas o garoto não quis nada de graça, e ofereceu-se para cuidar das redes sociais da livraria. 

– Ele me falou, “posso ajudar a melhorar a qualidade das postagens”. Eu adorei – recorda ela.

No início deste ano, surgiu a ideia de fazer uma paródia (versão de uma música, com versos diferentes)  para divulgar o espaço.  

– No início deste ano, quando fizemos a primeira, foi um sucesso. Ele parece tímido, mas quando liga a câmera e o microfone, se transforma em um artista – conta Jaina. 

Com o sucesso da campanha improvisada, apareceram mais interessados. 

Clipes e estúdio improvisados

Jaina mostrou a iniciativa ao Sindicato dos Lojistas (Sindilojas) da cidade, que abraçou a ideia e convidou outros comércios a fazerem o mesmo. Assim, começaram as contribuições espontâneas que tem servido como renda para o garoto.

– As rimas partiram de mim. Agora, o Sindilojas disponibiliza a câmera e um amigo me dá a maior força nas gravações. O processo criativo é bem rápido, começo a escrever e já gravo com meu celular mesmo. Não tenho muitos recursos, meu estúdio é dentro do roupeiro – conta ele.

Leia também
Projeto social de Gravataí pede apoio de famosos para incentivar alunos de caratê
Iniciativa solidária de soberanas do Carnaval agora arrecada cobertores e agasalhos
Procurando emprego? Confira mais de 1,1 mil oportunidades de colocação no mercado de trabalho

Mesmo sem aulas presenciais, Douglas segue tendo lições a distância e, por consequência, as mensalidades para pagar. Poder fazer isso com auxílio da sua criatividade nas rimas e paródias tem uma  satisfação constante.  

– Esta foi uma maneira que consegui para me virar em meio a tudo isso – celebra. 

A mãe de Douglas está realizada:

– Estou muito feliz por ele, um menino que sempre me ajudou e sempre correu atrás das coisas que queria fazer.

Presidente do Sindilojas de Gravataí, José Rosa exalta a criatividade do menino e sua capacidade de transformar músicas conhecidas numa propaganda para um comércio local.

– Fortalecer o comércio da nossa cidade com uma mensagem tão divertida e criativa quanto essa que ele passa nos vídeos é algo muito positivo. Nós temos oferecido a possibilidade de gravar a todos os comércios filiados – explica José.

 Gravataí, RS, 24/06/2020- Douglas jovem de 17 anos, faz clipes para divulgar comércio local e pagar a escola. Foto: Lauro Alves / Agencia RBS
Douglas conseguiu parceria com o Sindilojas, que oferece os serviços dele a mais comerciantesFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

Atualmente, Douglas tem cerca de 2 mil seguidores no Instagram, sua principal plataforma.

Sucesso

O vídeo de mais sucesso até gora é uma paródia da música Hoje Eu Vou Parar na Gaiola, de MC Livinho e Renan da Penha, que divulga uma pizzaria. 

Colunista do Diário Gaúcho e repórter da TV Globo, Manoel Soares, conheceu o trabalho de Douglas e divulgou em seu perfil:

– Podemos jogar um talento desse no lixo, deixando ele ir para um caminho errado, ou criamos dispositivos para abraçar esses talentos e fazer deles ícones locais. Eu espero que a gente consiga dar essa opção para o Douglas. Ele é um talento raro, precisa ser visto e aproveitado.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros