Com foco na proteção animal, ONG Majuna inaugura clínica  - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso03/08/2020 | 10h42Atualizada em 03/08/2020 | 10h42

Com foco na proteção animal, ONG Majuna inaugura clínica 

A intenção da protetora é proporcionar atendimento veterinário para animais de comunidades de baixa renda e também para aqueles que são resgatados das ruas

Com foco na proteção animal, ONG Majuna inaugura clínica  Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Raquel e a alegria de inaugurar um espaço de atendimento para animais Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Ao abrir a porta da clínica para o primeiro paciente, um cachorro resgatado de uma situação crítica, a protetora de animais Raquel de Castro, conhecida como Raquel Majuna, 51 anos, se deu conta de que um sonho se realizou. Na edição de 9 de março deste ano, o Diário Gaúcho contou a história da administradora da ONG Majuna Proteção Animal, de Porto Alegre. No últimos quatro meses, Raquel e amigos da causa se dedicaram à finalização e adequações do local onde foi inaugurado o Instituto Majuna Proteção Animal (IMPA) Vet Center, na segunda-feira passada. Para a realização do sonho da protetora, ela contou com a ajuda de diversas pessoas, que contribuíram com rações e até mão-de-obra. 

LEIA MAIS
"Cestas culturais": projeto leva alimentos e promove acesso à cultura na periferia da Capital
Há mais de dois anos, morador de Viamão espera por conclusão de obra da prefeitura dentro de seu pátio
Menino brasileiro com doença rara passa por transplante de cinco órgãos nos Estados Unidos

– A inauguração da clínica não aconteceu da forma como todo esse projeto merece, devido à situação da pandemia. No domingo passado, após terminarmos a obra e a limpeza da clínica, nos reunimos em família e fizemos uma oração em agradecimento a Deus por tudo que deu certo. Na segunda-feira, o trabalho começou com o atendimento do primeiro paciente – conta Raquel, a administradora da ONG. 

A intenção da protetora é proporcionar atendimento veterinário para animais de comunidades de baixa renda e também para aqueles que são resgatados das ruas e de situações de maus-tratos. A clínica conta com oito veterinários especializados em diversas áreas, como cirugia geral, oftalmologia, dermatologia, cardiologia, nefrologia, entre outras. Mas, de acordo com Raquel, o foco do trabalho é a realização de castrações de cães e gatos. 

– Foi emocionante ver a nossa equipe sendo formada por veterinários dispostos a trabalhar e amigos da proteção animal. São pessoas que ajudaram esse sonho a virar realidade e que possuem muito potencial com experiência no trabalho de animais resgatados e castrações – detalha a idealizadora, que prevê o início das castrações em duas semanas. 

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL,30/07/2020- Com doações de materiais e mão-de-obra, ONG Majuna Proteção, inaugura clínica veterinária em Porto Alegre. Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS<!-- NICAID(14556742) -->
Espaço conta com profissionais amigos da proteção animalFoto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Contribuições

Em todo o processo de reforma do imóvel, Raquel destaca a importância das doações para a ONG: 

– Depois da matéria (no DG), um senhor ofereceu ajuda em mão-de-obra, com a pintura. Também tivemos doações de ração, e o dinheiro da ONG, que gastaríamos com a alimentação dos animais, foi para a compra de mais materiais. Além disso, uma senhora doou equipamentos de uma clínica que já tinha fechado. Foi tudo dando certo.

Segundo Raquel, a pandemia de coronavírus, que chegou de forma inesperada, afetou o andamento da obra, pois as doações diminuíram, e houve uma parada no início da quarentena. Após 50 dias de pausa, as atividades foram retomadas por meio das redes sociais, e a reforma, continuada. 

– Não acreditava quando vi tudo pronto na clínica, ficava olhando os detalhes, só ficou faltando o barulho dos pacientes no dia da inauguração. Tudo isso é uma história de superação, de anos de trabalho com o regaste e acolhimento. É lindo ver que toda doação foi bem administrada e vai ajudar muitos animais e protetores – finaliza. 

Raquel destaca que a clínica ainda necessita de equipamentos para atendimentos, como macas e colchão térmico, além de insumos cirúrgicos, entre outros. Por isso, a entidade recebe doações de itens novos ou usados, em boas condições. 

A quarentena e o aumento do abandono

A ONG Majuna acolhe animais em um sítio no bairro Lami, extremo sul da Capital. Somente de cães, o número já chegou a 217 animais. Durante a pandemia, o cenário se tornou mais desafiador, diz Raquel:

– Nesses quatro meses, houve devoluções de animais, e os abandonos aumentaram. Acolhi cerca de 50 novos cães no sítio, sem contar os resgatados, e quatro coelhos. 

Além dos cães e gatos, Majuna abriga porco, cavalo, boi, cabritos e coelhos. Os custos com cuidados e alimentação chegam a quase R$ 8 mil por mês. Para mantê-los, a ONG conta com doações de rações, medicamentos veterinários, tampinhas de garrafa pet, roupas para o brechó solidário que, agora, podem ser deixados na clínica.

Como contribuir

/// Para doar rações e insumos à clínica, você pode entregar diretamente no local, na Avenida Otto Niemeyer, 3.475, bairro Cavalhada.

/// É possível ajudar com depósitos na conta da ONG, no banco Bradesco 237, agência 2468, conta corrente 33391.

/// Mais informações sobre doações, entre em contato pelo WhatsApp (51) 99772-5406 e acompanhe @majunaprotecaoanimal no Instagram.

Produção: Caroline Tidra

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso 


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros