Mais de 200 moradores de condomínio são evacuados por risco de queda de caixa d'água no bairro Restinga - Notícias

Versão mobile

 
 

Zona Sul27/09/2020 | 20h55Atualizada em 27/09/2020 | 20h56

Mais de 200 moradores de condomínio são evacuados por risco de queda de caixa d'água no bairro Restinga

Estrutura metálica tem 30 metros de altura e fica próxima de um dos prédios

Mais de 200 moradores de condomínio são evacuados por risco de queda de caixa d'água no bairro Restinga Divulgação/Defesa Civil
Defesa Civil, EPTC e Brigada Militar estiveram no bairro Restinga para verificar a situação da caixa d'água Foto: Divulgação / Defesa Civil
Liliane Pereira
Liliane Pereira

Moradores do Condomínio Jardim Paraíso, na Rua Rudy Osmar Auler, no bairro Restinga, na zona sul de Porto Alegre, precisaram deixar suas residências na madrugada deste domingo (27) em razão do risco de queda de uma caixa d'água que fica sobre uma estrutura metálica de 30 metros de altura.

Conforme a Defesa Civil, a equipe foi chamada durante a madrugada e compareceu ao local junto com bombeiros, EPTC e Brigada Militar para averiguar a situação. As autoridades constataram que, em razão do vento forte, a torre metálica que fica no pátio do condomínio e próxima a um dos prédios, estava balançando. Ao todo, 240 pessoas, de três blocos do residencial, foram retiradas do local e tiveram de ir para a casa de amigos e parentes.

Leia mais
Em procissão motorizada, centenas de fiéis participam da festa de São Jorge na Capital
Moradores de Esteio lamentam perda da renda extra que costumavam obter com a Expointer
Trocas solidárias mobilizam comunidade de Três Coroas

De acordo com o diretor-geral da Defesa Civil de Porto Alegre, coronel Evaldo Rodrigues de Oliveira Júnior, como o condomínio faz parte do projeto Minha Casa Minha Vida, a Defesa Civil acionou a Caixa Econômica Federal, que enviou uma equipe da construtora Dalmás, de Carlos Barbosa, responsável pela obra, para avaliar a situação.

— A primeira constatação foi de que houve vandalismo. Foram furtadas as porcas dos parafusos que fazem a fixação da estrutura no solo. São porcas metálicas, bem grandes. Durante a noite, foram feitos os reparos emergenciais e a reposição dessas peças. E como o vento balançou muito a estrutura durante a madrugada, tomamos as providências preventivas de evacuar as pessoas e isolar o local — relata Oliveira Júnior.

Nesta segunda-feira (28), está prevista a realização de uma avaliação mais completa por parte da Caixa Econômica Federal, da construtora e da Defesa Civil para definir se serão necessários novos reparos e se a estrutura poderá permanecer ou terá de ser substituída.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros