Programa de distribuição de merenda escolar já entregou mais de mil toneladas de alimentos em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 
 

Reforço  alimentar02/09/2020 | 05h00Atualizada em 02/09/2020 | 05h00

Programa de distribuição de merenda escolar já entregou mais de mil toneladas de alimentos em Porto Alegre

Iniciativa ocorre em escolas da rede municipal da Capital. 

Programa de distribuição de merenda escolar já entregou mais de mil toneladas de alimentos em Porto Alegre Marco Favero/Agencia RBS
Organização de cestas básicas na Escola Municipal José Mariano Beck Foto: Marco Favero / Agencia RBS

No sistema de educação pública do Brasil, um dos ambientes mais importantes para a qualificação do aprendizado é o refeitório. Mesmo que lá não se tenha aula, é o local onde muitos dos alunos fazem uma das poucas, se não a única, refeição do dia. 

Isso mudou com a pandemia do coronavírus. Com o distanciamento social virando a nova regra de convivência, ter aulas presenciais ficou impossível. E foi preciso buscar alternativas para que a merenda continuasse chegando até os alunos.

Em Porto Alegre, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) iniciou a operação ainda em março, logo que as aulas foram suspensas. Em um primeiro momento, a ideia era oferecer almoço nas próprias instituições, mas a necessidade de se deslocar até o local, quando o medo da doença ainda era uma novidade, fez a procura ser baixa. Diante disso, no final de março, a Smed mudou o sistema, iniciando a entrega dos chamados kits de alimentação, uma espécie de cesta básica. 

Leia mais
Aplicativo de estudo para alunos da rede municipal passa a ter internet gratuita
Governo pretende retomar as aulas nas escolas públicas do RS a partir de 13 de outubro
Veja como fica o calendário proposto para o retorno das aulas presenciais

Nesta semana, o município atingiu a marca das mais de mil toneladas – 1.022.109,87 quilos – de alimentos entregues às famílias dos alunos da rede municipal e comunitária de ensino desde o início da pandemia. Os recursos para aquisição são provenientes do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Aproximadamente 66 mil alunos são beneficiados pelas ações.

Mesmo com vários meses sem o retorno às aulas, a relação entre comunidade e escola segue, principalmente, com as entregas ocorrendo de forma regular, com cronograma estabelecido pelo setor de nutrição da Smed. A logística do processo é simples. A secretaria recebe os produtos e monta os kits. 

As escolas, assim que recebem os alimentos, organizam os próprios cronogramas, junto aos conselhos escolares. Por fim, é feito de repasse das cestas básicas aos alunos. Em algumas escolas, alimentos que seriam usados para fazer a merenda também são incluídos com os kits de alimentação, tornando o auxílio às famílias ainda maior.

Na rede municipal, um exemplo de instituição beneficiada é a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) José Mariano Beck.  Só nesta semana, por exemplo, o espaço recebeu 480 kits de alimentação. E nos próximos dias, mais unidades devem ser entregues. 

Conforme a diretora da instituição, Elizabeth dos Santos Masera, além dos kits, a escola “complementa os kits entregues com alguns itens da merenda escolar, já que ainda não houve retorno das aulas”.

– É uma ação de extrema importância, pois a realidade das famílias é bastante difícil. Em sua maioria vivem de empregos informais, como diaristas, servente e outros, que foram os primeiros a ficarem impedidos de trabalhar – diz a diretora.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros