Na Restinga, moradores se unem para limpar e cuidar de praça - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso07/06/2021 | 11h41Atualizada em 07/06/2021 | 11h41

Na Restinga, moradores se unem para limpar e cuidar de praça

A pintura dos brinquedos e a decoração da praça foi realizada em uma ação entre os vizinhos

Na Restinga, moradores se unem para limpar e cuidar de praça Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Responsabilidade é dos moradores que zelam pelo espaço Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Moradores do bairro Restinga, na Capital, não ficaram de braços cruzados em relação aos cuidados e à manutenção da Praça Dois da Super Quadra Dois, que fica entre as alamedas G, H e J. No final de 2015, o vendedor Paulo Roberto Santos dos Santos, 42 anos, relatou ao Diário Gaúcho sua insatisfação sobre o local, que era tomado pelo lixo. À época, a prefeitura se comprometeu a cumprir o calendário de limpezas na área, a cada 45 dias, e o recolhimento semanal do lixo. 

LEIA MAIS
Anjas de Batom arrecadam alimentos para comunidade no Morro da Cruz
Em Canoas, treinador de futebol apoia meninos que sonham em entrar em campo profissionalmente
Músico selecionado para estudar nos Estados Unidos pede ajuda para custear viagem

Em março de 2016, o DG mostrou que o espaço havia recebido a manutenção, exceto a instalação de lixeiras.  

– No mesmo ano foram colocados os brinquedos e, desde lá, a gente vem mantendo tudo limpo. Nunca mais teve focos de lixo. Conseguimos doações de duas lixeiras, um pedido não atendido pela prefeitura – conta. 

Segundo Paulo, após a reportagem, ele diz que “não largou de mão” a situação e se manteve em contato com a prefeitura por meio de protocolos e solicitações, quando necessário. No início deste ano, os moradores se uniram em uma ação de revitalização da praça. Com latas de tintas doadas para a comunidade, adultos e crianças se envolveram no projeto de pintura e decoração com pneus. Outro morador trabalhou na reforma dos brinquedos. Quem não ajudou desta forma colaborou com o lanche, levando pães e salsichas para o cachorro-quente. 

– As pessoas pensam em não se envolver com problemas do espaço público, eu também pensava assim. Agora, acredito que a mão de obra tem que ser um pouco da gente também, porque assim é mais valorizado. É um pouco do nosso trabalho, do nosso cuidado. Temos crianças aqui no bairro que se divertem muito nas praças, e espero que a nossa seja um exemplo para estimular outros moradores a cuidarem do patrimônio público, não depositando lixo e também fiscalizando quando isso acontece – afirma o vendedor. 

Uma das preocupações, hoje, é a condição de um eucalipto. Paulo conta que a árvore tem 40 metros e precisa de poda para evitar risco de queda no futuro. 

Organização

A professora Janaína de Oliveira Soares, 34 anos, mora em frente à praça há nove anos. Ela ajudou na pintura dos brinquedos:

– Como professora, pensei em decorar o local. As florezinhas nos brinquedos atraem a atenção das crianças. Quando existe o envolvimento do pessoal que frequenta o lugar, há a conscientização e se dá o bom exemplo. 

praça , limpeza , manutenção , morador , Janaína de Oliveira Soares<!-- NICAID(14800678) -->
Janaína pintou com flores os brinquedosFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Conforme Paulo, a limpeza das lixeiras é organizada por escala entre os moradores. Eles conversam em um grupo no WhatsApp. Em relação às sobras de podas, ele explica que os moradores levam até a frente de uma das casas para, assim, ser registrado um pedido de limpeza: 

– É injusto levarmos as podas para outro espaço público. Se todo mundo fizer um pouquinho, não vai ter foco de lixo.

Ele ainda destaca que busca a parceria de empresários do bairro que queiram colaborar com a doação de brinquedos, como o gira-gira e uma gaiola labirinto. Além de mais bancos para um chimarródromo. 

Serviço será programado

Na sexta-feira, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) informou que a equipe de Manejo Arbóreo foi até a praça para fazer uma vistoria técnica sobre os eucaliptos. Segundo a avaliação, serão necessárias 36 intervenções, sendo oito em eucaliptos. O serviço será programado para os próximos dias e todas as intervenções na praça serão feitas em uma tomada de dois a três dias. 

Em relação à instalação de lixeiras, a Secretaria de Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade (Smamus) informa que, ao tomar conhecimento do caso, abriu processo para identificar o projeto e encaminhar pedido de instalação. 

Explica ainda que, nos últimos anos, a prefeitura passou por reforma administrativa que reorganizou as competências da secretaria.

Produção: Caroline Tidra

Leia mais notícias na seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros