Cafeteria de São Leopoldo dá descontos a quem estiver vacinado contra a covid-19 - Notícias

Versão mobile

 
 

Mais segurança, mais clientela07/07/2021 | 22h19Atualizada em 07/07/2021 | 22h19

Cafeteria de São Leopoldo dá descontos a quem estiver vacinado contra a covid-19

Redução varia de 5% a 20% e é maior para quem já tiver tomado as duas doses

Se buscar proteção contra um vírus que pode ser mortal não é motivo suficiente para se vacinar contra a covid-19, uma cafeteria de São Leopoldo criou mais um incentivo. A Funny Feelings, localizada na região central do município do Vale do Sinos, oferece há cerca de três semanas descontos que variam de 5% a 20% para pessoas imunizadas, dependendo do dia e do número de doses que o cliente já recebeu.

Funciona assim: na terça e na quarta-feira, ganha 10% de desconto quem recebeu a primeira dose e 20% quem já recebeu a segunda e está com o esquema vacinal completo. De quinta a domingo, dias de mais movimento, são 5% para quem ganhou uma injeção e 10% para quem levou duas. Para comprovação, é preciso levar a carteirinha de imunização. O horário de atendimento é das 17h30min às 22h.

Leia mais
Rodrigo Hilbert é vacinado contra a covid e gera piadas na internet: "Produziu vacina"
Com recuo de óbitos e avanço da vacinação, Brasil pode entrar na fase de surtos localizados
Terminais de ônibus têm maior risco de contaminação pelo coronavírus, diz estudo

A ideia surgiu como uma forma de aumentar o movimento no estabelecimento, mas de um jeito que garantisse a segurança de todos.

— Bolei essa ideia para fazer com que as pessoas fiquem mais seguras e mais leves dentro do restaurante. Nós sempre tivemos aqui um ambiente descontraído e, desde que começou a pandemia, percebemos que não havia mais aquele clima — conta Fabiano Chaves, proprietário do Funny Feelings.

O empresário explica por que resolveu oferecer um desconto maior para quem já tomou as duas doses:

— A pessoa está mais segura ainda do que com uma só dose. Também é uma maneira de incentivar as pessoas a tomarem a segunda dose, porque a procura está baixando.

Segundo Chaves, a proposta funcionou – tanto para melhorar o clima como para aumentar a clientela. O movimento ficou de 30% a 35% maior, especialmente de terça a quinta-feira, que eram os dias mais fracos. Mesmo assim, o estabelecimento ainda está faturando metade do que apurava antes da pandemia. O proprietário, contudo, diz que compreende as restrições necessárias e que sua clientela entende também.

— Nosso posicionamento é científico. Vamos acompanhando os dados da pandemia, as pioras e as melhoras. Nessas horas, não adianta visar o lucro, pois temos que ter responsabilidade social — defende Chaves.

No início da pandemia, a cafeteria chegou a ficar três meses fechada. Depois, voltou com telentrega, que, apesar de ter amenizado as dificuldades, não ia ao encontro da vocação do estabelecimento, cujo diferencial é a experiência trazida pelo ambiente. Por isso, o proprietário investiu em adequar o espaço da forma mais segura possível, levando e buscando toda a equipe em casa, oferecendo mais distanciamento entre as mesas do que o requisitado, espaço ventilado, álcool gel em todas as mesas e tapete sanitizante.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros