Instituições se unem para combater a fome de famílias, no bairro Bom Jesus - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso08/07/2021 | 09h00Atualizada em 08/07/2021 | 09h00

Instituições se unem para combater a fome de famílias, no bairro Bom Jesus

O coletivo Bonja Viva criou a campanha Bonja Viva Contra a Fome, que pretende atender cerca de mil famílias que tiveram sua fonte de renda prejudicada por causa da pandemia

Instituições se unem para combater a fome de famílias, no bairro Bom Jesus Jefferson Botega / Agencia RBS/Agencia RBS
Dani faz questão de contribuir Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS / Agencia RBS

“A tontura do álcool nos impede de cantar. Mas a da fome nos faz tremer. Percebi que é horrível ter só ar dentro do estômago”. Essas palavras foram escritas por Carolina Maria de Jesus, na obra Quarto de Despejo, lançada em 1960. Mas, infelizmente, tem sido a realidade de cerca de 19 milhões brasileiro desde o início da pandemia, de acordo com uma pesquisa realizada pela  Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan). Nesse contexto, com o objetivo de eliminar a fome no bairro Bom Jesus, em Porto Alegre, o coletivo Bonja Viva, composto por nove iniciativas e instituições sociais, criou a campanha Bonja Viva Contra a  Fome, que pretende atender cerca de mil famílias que tiveram sua fonte de renda prejudicada por causa da pandemia.  

Leia Mais:
A cada três meses, paciente fica sem tratamento para Parkinson
No lugar de lixo e insegurança, moradoras de Alvorada criam horta comunitária
Troque a Fome por Flor: projeto da Capital gera renda para pessoas em situação de rua

A ação consiste em  doar o valor arrecadado por meio de cartões de alimentação. A entidade responsável por cuidar dos detalhes técnicos da campanha é a  Agência Compromisso, uma recrutadora idealizada em 2019 por jovens moradores da Bom Jesus. Os cartões serão distribuídos por instituições que trabalham no apoio a essas famílias. Segundo o coletivo, o cartão alimentação foi escolhido para que as famílias tenham a autonomia de comprar o que consideram mais importante. 

A diretora da Agência Compromisso e estudante de Gestão Pública, Marina Schmitt, explica que o papel das iniciativas que fazem parte da campanha é mobilizar suas redes de parceiros para conseguir recursos.

Benefício

A campanha funciona por financiamento coletivo. Dessa forma, quanto maior for o valor arrecadado, mais duradouro será o benefício. Até segunda-feira, a ação já tinha atingido o montante de R$ 30 mil. Além disso, a campanha, que vai até o dia 30 de julho, contará com o apoio da empresa Lojas Renner e do Instituto Lojas Renner, braço social da varejista, que pretendem dobrar o que for arrecadado, tendo como teto o valor de R$ 250 mil. 

– Se conseguirmos arrecadar R$ 75 mil, poderemos beneficiar essas mil famílias por dois meses. Porém, se conseguirmos R$ 250 mil, será possível aumentar o período para seis meses – diz Marina.

Todo mundo ganha

O grupo está organizando uma tour pelo bairro, nesta semana, para incentivar a participação dos comércios locais. A proposta é que eles contribuam e recebam, como contrapartida, um banner. Por meio dele, as famílias beneficiadas poderão identificar os comerciantes apoiadores e, assim, realizar as compras neste locais.

– Nossa ideia é que cada comerciante participe doando o valor que for possível. Dessa forma, será uma via de mão dupla, porque todo o valor arrecadado voltará para a comunidade, beneficiando tanto as famílias quanto os comércios locais – afirma Marina.

Moradora da Bonja há 30 anos, Daniela Cardoso, 37, proprietária da Dani Modas, acredita que essa campanha é uma oportunidade para fazer o bem a quem precisa:

– Eu já ajudo em ouras obras sociais, mas fiz questão de contribuir com a campanha contra a fome porque sei que, se cada um fizer a sua parte, todo mundo termina o dia com comida no prato. Além disso, é uma oportunidade pra mostrar que aqui na Bom Jesus existem lindas iniciativas. 

Outra comerciante local que resolveu apoiar a campanha foi Miriam Antunes, 37 anos, que há dez anos fundou a loja Brooklyn Brasil. Para Miriam, a parte mais interessante da iniciativa é poder criar uma corrente do bem, que possibilite o auxílio a outras famílias:

–  Precisamos nos unir para ajudar a comunidade. Nós da Bonja somos um povo solidário.

Miriam Antunes, 37 anos, decidiu contribuir com a campanha<!-- NICAID(14825923) -->
Miriam é moradora da Bonja e proprietária da loja Brooklyn BrasilFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Como doar?

/// Chave para transferência via PIX: bonjaviva@gmail.com
/// Para saber mais sobre a campanha acesse: https://www.bonjaviva.org/ 

Produção: Kênia Fialho



 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros