Sem pavimentação de avenida, moradores de Viamão improvisam reparos na via - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso26/07/2021 | 15h22Atualizada em 26/07/2021 | 15h22

Sem pavimentação de avenida, moradores de Viamão improvisam reparos na via

Vizinhos que residem na Avenida Vitória Régia cobram soluções efetivas da prefeitura

Sem pavimentação de avenida, moradores de Viamão improvisam reparos na via Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Moradores decidiram jogar caliça em buracos para amenizar irregularidades Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

A comerciante Rosane Sampaio, 43 anos, e a professora aposentada Fátima Moreira, 66 anos, são antigas moradoras da Avenida Vitória Régia, localizada no bairro Jardim Krahe, em Viamão. Porém, tão antigo como o tempo que vivem no local é o desejo em comum, compartilhado com outros moradores da região, de verem o fim dos diversos problemas causados pela falta de pavimentação da avenida.  

Rosane, que há 13 anos mora na Vitória Régia, conta que periodicamente a prefeitura realiza a patrolagem da via, como fizeram há poucas semanas. Porém, essa ação já se mostrou ineficaz a longo prazo. A cada chuva, ela comenta, a água faz seu curso ao longo da avenida e leva junto toda a terra mexida pelas máquinas. Como resultado, cria-se um barro que causa transtornos aos motoristas e pedestres. 

LEIA MAIS
Ceee realiza substituição de Postes na zona sul da Capital
Pacientes estão há dois anos sem medicamento para fibrose cística no RS
Projeto de Gravataí busca verba para torneio realizado em Brasília

Outro inconveniente relatado é o de ter de lidar com os buracos que estão presentes em toda a extensão da avenida. O escoamento da água da chuva perfurou o acostamento e as calçadas, forçando os moradores a fazerem reparos improvisados com caliça (restos de construção). 

– Tenho um minimercado. Como recebo clientes que usam bengalas, pelas dificuldades de eles caminharem, precisei colocar caliça para não caírem nos buracos. Também, quando chegam caminhões para descarregar materiais, os buracos acabam dificultando – declara Rosane.

“Nossa rua não é prioridade”

Há mais de 40 anos, Fátima mora na Avenida Vitória Régia. Nos últimos anos, ela tem buscado auxiliar na organização da sua comunidade para cobrar da prefeitura medidas que resolvam os problemas. Porém, reclama de, a cada mudança de gestão, ter que apresentar novos documentos para formalizar pedidos. 

Uma das queixas mais presentes na fala de Fátima é o aparente descaso das gestões que passaram pela prefeitura com as solicitações feitas. 

– Nossa rua nunca é prioridade. É bem cansativo. A cada mudança de gestão, eu precisava ir atrás das assinaturas de moradores para solicitar o serviço. Tem um descaso com essa rua que não consigo entender – comenta. 

Em 2014, a prefeitura propôs um programa de pavimentação comunitária. Com o projeto, o município iria arcar com a metade do valor da pavimentação da via, e a outra parte ficaria para a comunidade. Valério Cordeiro, 

55 anos, primeiro secretário da Associação Comunitária Vila Querência, explica que os moradores aceitaram a proposta, mas, até hoje, ela não saiu do papel:

– Já cumprimos toda a nossa parte de entrega dos documentos e com o IPTU em dia.

Prefeitura promete diálogo 

A prefeitura de Viamão confirmou a existência do programa de pavimentação comunitária, que segue em execução pela atual gestão. Comentou saber da intenção dos moradores da Vitória Régia de participaram da ação, porém, alega estar priorizando locais onde o acordo já estava pactuado com os moradores na gestão passada – em alguns deles, inclusive, com o valor da obra já pago.  

A Secretaria Geral de Governo afirma que entrará em contato com as lideranças da região para planejar a obra. Comenta, ainda, que a Vitória Régia passou por manutenção no primeiro semestre deste ano e que está programada, em 20 dias, a realização de reparos na Rua Mostardeiro, localizada próxima à avenida.  

“Além disso, a Secretaria de Obras e Serviços Públicos realiza monitoramento das vias do município, objetivando minimizar os impactos causados pelas intempéries, fazendo assim os devidos serviços de patrolamento e ensaibramento sempre que constatada a necessidade”, explica, em nota.

Produção: Émerson Santos

  Leia mais notícias na seção Seu Problema é Nosso  


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros