Como Alvorada se tornou campeã de vacinação na Região Metropolitana - Notícias

Versão mobile

 
 

Vacinação27/08/2021 | 05h00Atualizada em 27/08/2021 | 05h00

Como Alvorada se tornou campeã de vacinação na Região Metropolitana

Cidade foi a única da Região Metropolitana a aparecer no Te Vacina RS, prêmio do governo estadual que distribuiu R$ 1,25 milhão para municípios gaúchos

Como Alvorada se tornou campeã de vacinação na Região Metropolitana Jefferson Botega / Agencia RBS/Agencia RBS
Ginásio Municipal tornou-se o ponto de vacinação da cidade Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS / Agencia RBS

Música ao vivo, ginásio municipal e sorrisos no rosto — aqueles visíveis até por baixo da máscara. Estas características de um bom bailão estão, na verdade, entre os itens encontrados pelas moradores de Alvorada, na Região Metropolitana, ao irem se vacinar. Nas sextas-feiras, para estimular o público a comparecer no Ginásio Tancredo Neves, na principal avenida da cidade, música ao vivo embala a dança das seringas e dos braços à mostra.

Leia mais
Em Alvorada, moradores reclamam de falta de atendimento em UBS
No lugar de lixo e insegurança, moradoras de Alvorada criam horta comunitária
Projeto social no bairro Umbu incentiva agricultura urbana e geração de renda

Esse foi um dos caminhos que levou Alvorada ao patamar de município com os melhores índices de vacinação na Região Metropolitana — e entre as melhores cidades com mais de 100 mil habitantes no Estado, atrás só de Erechim. A disposição dos alvoradenses em se imunizarem rendeu um prêmio de R$ 100 mil à cidade, distribuído pela Secretaria Estadual da Saúde (SES-RS) por meio do Te Vacina RS, um concurso lançado para estimular os gestores municipais em suas campanhas de vacinação. 

Foram duas fases: na primeira, nenhuma cidade da Grande Porto Alegre figurou entre as premiadas. Mas, na sexta-feira passada (20), quando os vencedores do segundo round foram anunciados, lá estava Alvorada. As duas fases do Te Vacina RS distribuíram R$ 1,25 milhão, sendo R$ 652 mil em cada etapa.

Mas como funciona a premiação? Conforme a SES-RS, nesta segunda fase foram consideradas doses aplicadas e registradas no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI) até as 23h59min do dia 17 de agosto. O índice foi obtido dividindo a quantidade de doses aplicadas pelas vacinas distribuídas por município, limitando os valores de 0 a 100. Se um município recebeu 100 doses e aplicou 80, por exemplo, a cobertura vacinal é de 80%. O uso dos recursos recebidos da premiação deverá ser em ações na atenção primária à saúde. O pagamento será realizado por meio do Fundo Estadual de Saúde aos Fundos Municipais de Saúde.

Em Alvorada, segundo a prefeitura, até sexta-feira (20), a primeira dose havia sido aplicada em 60,3% (126.765 habitantes) da população e a segunda dose em 27,9% (58.593 habitantes) dos moradores. Em relação à cobertura vacinal, dados da SES-RS mostram que 90,7% das 191.185 doses encaminhadas a Alvorada já foram aplicadas até o início da tarde de ontem. No Estado, são 11 cidades com mais de 100 mil habitantes.

Carro de som

Para a secretária municipal de Saúde em Alvorada, Neusa Abruzzi, o sucesso da vacinação passa por alguns pontos que chegaram até a serem criticados no início da campanha, como a centralização das aplicações. Na cidade, somente o ginásio municipal é o ponto onde são aplicadas as vacinas. 

— Hoje, vemos como isso ajudou a mobilizar as pessoas. É um ponto central e acessível para todos os moradores — cita Neusa.

A prefeitura ainda realiza dois encontros semanais para discutir a campanha. Além disso, um destaque fica por conta do chamamento aos moradores. Além das redes sociais, grupos de WhatsApp e até carros de som circulam pela cidade informando quando é hora de se vacinar.

— Vimos, por exemplo, a necessidade de que os jovens acima dos 18 anos e pessoas com a segunda dose pendente venham se vacinar. Por isso, estamos focando os alertas por meio do carro de som neste público — pontua a secretária.

Conforme a gestora da pasta da Saúde, o reconhecimento da SES-RS vai muito além do prêmio em dinheiro, sendo uma recompensa pelo esforço do município, dos profissionais de saúde e dos moradores:

— A população tem uma fatia importante nisto, pois embarcou com a gente na campanha e tem comparecido em peso ao ponto de vacinação.

Sobre a premiação, a ideia da prefeitura é adquirir um veículo que possa transportar cilindros de oxigênio que atendem aos pacientes acamados da cidade. Caso não seja possível, as verbas serão redirecionadas para aquisições de materiais para as salas de vacinação do Ginásio Tancredo Neves.

26/08/2021 - ALVORADA, RS, BRASIL - Alvorada vence prêmio estadual de vacinação.A cidade foi a única da Região Metropolitana entre as vencedoras do ¿Te Vacina RS¿, que premiou municípios que mais conseguiram aplicar doses entre as enviadas pela SES-RS. Imagens da vacinação no Ginásio da cidade.<!-- NICAID(14872969) -->
Centralização e organização estão entre os itens citados pela prefeitura como razão do sucessoFoto: Jefferson Botega / Agencia RBS

Reforço aos finais de semana

Para atrair ainda mais moradores, a prefeitura de Alvorada tem ações de vacinação planejadas para os próximos dois finais de semana. Neste domingo, com o campeonato municipal de futsal ocorrendo no ginásio municipal, haverá vacinação para quem estiver no local e for parte do público vacinável. Conforme a prefeitura, é uma tentativa de que mais jovens aptos a serem imunizados se vacinem.

No final de semana seguinte, a ideia é fazer um "pancadão da vacina". O modelo a ser seguido deve ser semelhante às "baladas" da vacina que se espalharam pelo país como forma de atrair os mais jovens até os pontos de imunização. Na Região Metropolitana, locais como Porto Alegre e Canoas já tiveram iniciativas semelhantes.

Organização

Morador de Alvorada, o estudante de História Maurício Azevedo de Oliveira, 23 anos, cita que demorou cerca de 40 minutos para receber a vacina quando foi até o ginásio municipal, há cerca de duas semanas. Para ele, a vantagem foi o atendimento estendido após as 18h, o que lhe possibilitou ir ao local depois do trabalho.

— Eram cerca de oito vacinadores e mais cinco pessoas atendendo quem chegava. Tinha prioridade para idosos, gestantes e mulheres com crianças de colo. Estava muito bem organizado o atendimento — pontua Maurício.

Leia mais notícias do Diário Gaúcho

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros