Viamão concede subsídio de R$ 5 milhões ao transporte público e baixa valor da passagem - Notícias

Versão mobile

 
 

Mobilidade urbana27/08/2021 | 11h07Atualizada em 27/08/2021 | 19h27

Viamão concede subsídio de R$ 5 milhões ao transporte público e baixa valor da passagem

Cidade da Região Metropolitana vai repassar valor para empresa que opera na cidade como forma de conter aumento da tarifa, que vai baixar a partir de 1º de setembro

Viamão concede subsídio de R$ 5 milhões ao transporte público e baixa valor da passagem Andre Ávila / Agencia RBS/Agencia RBS
Novas tarifas entram em vigor no dia 1º de setembro Foto: Andre Ávila / Agencia RBS / Agencia RBS

Em sessão na Câmara de Vereadores na noite desta quinta-feira (26), vereadores de Viamão, na Região Metropolitana, aprovaram um subsídio da prefeitura à empresa que faz o transporte público municipal da cidade. O valor do repasse é R$ 5 milhões, sendo repassado em parcelas ao operador do sistema. O subsídio é único, mas pode ser refeito em outro período, de acordo com a lei aprovada na Câmara Municipal.

Leia mais
Moradores revitalizam área onde havia lixo em Viamão
Sem pavimentação de avenida, moradores de Viamão improvisam reparos na via
Furto de fiação impede retorno de aulas presenciais em escola de Viamão

Logo após a sessão, o prefeito de Viamão, Valdir Bonatto (PSDB), publicou um decreto ordenando que a tarifa baixasse de valor em R$ 0,30. Assim, as linhas urbanas, que tem um tarifa de R$ 4,80, passarão a cobrar do usuário R$ 4,50. As linhas rurais também terão descontos, mas neste caso, os preços variam entre os itinerários. As mudanças nos valores entram em vigor na próxima quarta-feira, dia 1º de setembro.

O movimento gerou discussões na própria casa legislativa quando nas redes sociais. A divergência se dá entre os que acreditam que o repasse é dinheiro público indo para uma empresa privada e os que entendam a necessidade dos subsídios para controlar o valor da passagem e evitar o colapso do sistema. O prefeito defende que há necessidade de que se entenda que a medida é a única saída para auxiliar "aqueles que não têm outra opção, a não ser o transporte coletivo".

— A população que mais precisa não pode ser penalizada pela ineficiência do sistema, que precisa ser revisto — pontua o prefeito.

Leia mais notícias do Diário Gaúcho

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros