Em Viamão, faltam abrigos nas paradas da zona rural - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso07/10/2021 | 09h20Atualizada em 07/10/2021 | 09h20

Em Viamão, faltam abrigos nas paradas da zona rural

Usuários do transportes coletivo reclamam da falta de estrutura em pelo menos 10 pontos 

Em Viamão, faltam abrigos nas paradas da zona rural Reprodução / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Moradores afirmam que algumas paradas têm fluxo grande de usuários Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Há três anos, moradores da zona rural de Viamão têm encontrado um empecilho na hora de esperar pelo transporte público: algumas paradas de ônibus da RS-040 estão sem abrigos. A situação faz com que a população fique exposta às intempéries. 

Segundo o vendedor Rodrigo de Oliveira Santiago, 33 anos, morador do bairro Morro Grande, a solicitação mais antiga para que fossem instalados abrigos gerou o protocolo 015609/2019, feito em abril daquele ano. De lá pra cá, ele, que mora no local há 10 anos, já registrou outras três vezes a mesma solicitação. De acordo com os protocolos, aos quais a reportagem teve acesso, foram realizados pedidos para manutenção ou instalação de abrigos para as seguintes paradas: 81, 86, 91, 93 A, 94, 100, 101, 103, 105, e 166 – todas na RS-040.

LEIA MAIS:
Utilizada no tratamento de diversas doenças, imunoglobulina humana segue escassa em hospitais
Há 10 anos, avenida alaga no bairro Walderez
Em Viamão, família se empenha para conseguir transporte social para menina de três anos

Usuários

Rodrigo explica que algumas dessas paradas têm um fluxo grande de pessoas. Na 91, por exemplo, em Águas Claras, a sinalização foi realizada. No entanto, a cobertura para que os usuários pudessem se proteger em caso de chuva ou de sol intensos não foi instalada. 

Além disso, pelo menos duas paradas ficam na frente de escolas da região, o que faz com que as comunidades escolares fiquem sem a qualidade do serviço. Segundo o morador, algumas paradas estão em situações bem precárias, com partes do telhado caindo ou estruturas depredadas. 

– Nos sentimos abandonados. Venho fazendo pedido em cima de pedido, e nada é feito – lamenta.

Sinalização

O comerciante Jofre Ramires Junior, 42 anos, mora perto da Parada 94. A principal reclamação dele é que o ponto não tem cobertura em quaisquer dos dois sentidos. O filho Matheus Souza dos Santos, 17 anos, utiliza a parada para ir a escola:

– Quando chove, o pessoal se molha todo. Além disso, ali é muito mal sinalizado – explica Jofre.

Outra moradora que também é impactada pelo problema é a dona de casa Ana Júlia Jushem, 23 anos, que utiliza a Parada 83 diariamente. Ela destaca que, devido às condições da parada, em dia de chuva, é preciso ficar com o guarda-chuva aberto o tempo todo, porque chove na parte de dentro da estrutura. 

EPTV: critério de ordenamento

Em nota, a Empresa Pública de Trânsito de Viamão (EPTV), informou que a instalação de abrigos em paradas é uma obrigação contratual das empresas concessionárias do serviço de transporte coletivo. Além disso, alegou que há “uma grande demanda reprimida de 2020, quando as instalações foram suspensas”. 

A pasta ainda sinalizou que a gestão atual assumiu em janeiro deste ano e determinou um levantamento para a retomada do cronograma de instalações. “Com a aprovação do subsídio ao sistema de transporte, criou-se a condição para que sejam retomadas as instalações.  O critério de ordenamento leva em conta o número de passageiros transportados em cada trecho, sendo priorizados os pontos mais movimentados”.

Produção: Kênia Fialho

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros