Jovem de Gravataí ganha restauração de cadeira de rodas - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso10/12/2021 | 10h26Atualizada em 10/12/2021 | 10h26

Jovem de Gravataí ganha restauração de cadeira de rodas

Morador de Porto Alegre, que não quis se identificar, foi o responsável pelo conserto

Jovem de Gravataí ganha restauração de cadeira de rodas Reprodução / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Angelo recebeu ajuda de um morador de Porto Alegre Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

O estudante de Letras Angelo Abrão Gonçalves Mello, 20 anos, de Gravataí, voltou a ter a autonomia garantida. Em 13 de outubro, o Diário Gaúcho contou a história de uma vaquinha online que estava sendo organizada pela família dele para custear a compra de uma bateria nova, no valor de R$ 1,3 mil, e a manutenção do equipamento, que seria em torno de R$ 5 mil. 

O jovem nasceu com uma malformação chamada artrogripose múltipla congênita, que causa limitações em todas as suas articulações.

A mãe de Angelo, Carina da Silva Gonçalves, 39 anos, conta que, após a reportagem, uma moça entrou em contato com ela, dizendo que conhecia uma pessoa que poderia ajudar. Alguns dias depois, um homem contatou a família, afirmando que poderia fazer a troca das peças que estavam danificadas:

– Ele me ligou e marcou uma data para buscar a cadeira, foi muito educado. Dois dias depois, trouxe-a toda arrumada.

LEIA MAIS
Natal: iniciativas sociais buscam apoio para promover eventos em comunidades
Sem receber investimentos, projeto social premiado terá de fechar as portas
Em Gravataí, jovem tenta conseguir medicação desde 2018 

Os dois voluntários optaram por não ter suas identidades reveladas. Carina conta que o controle, as rodas e toda a parte elétrica foram trocados.

Mobilização

A moradora do centro de Porto Alegre que entrou em contato com Carina conta que, após ler a reportagem no Diário Gaúcho, fez cópias da página e as colocou em cerca de 15 caixas de correio no bairro Tristeza, na zona sul da cidade. Um dos moradores dessas casas entrou em contato com a voluntária e disse que gostaria de contribuir de alguma forma. Foi quando ela ligou para Carina. A voluntária conta que a iniciativa surgiu a partir da empatia que sentiu ao ler a história de Angelo.

– Fiquei comovida. Também senti decepção com órgãos de assistência, que parecem tão falhos – explicou.

A vaquinha online, que arrecadaria contribuições até dezembro, resultou em R$ 1,5 mil. O valor será utilizado para comprar um refil de bateria, que precisa ser trocado a cada dois anos, em média, explica Carina. Desde o final de novembro, Angelo voltou a realizar atividades que não estavam mais sendo feitas por ele, como ir ao estágio. Agora, a cadeira voltou a funcionar por até 14 quilômetros, sem precisar ser recarregada. Antes do conserto, ao passar por qualquer obstáculo ou buraco na rua, a cadeira se desligava.

Produção: Kênia Fialho

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros