Produtos da ceia de Natal variam de preço em até 274% - Notícias

Versão mobile

 
 

Pesquisa do Procon20/12/2021 | 05h00Atualizada em 20/12/2021 | 10h26

Produtos da ceia de Natal variam de preço em até 274%

Pesquisa do Procon reúne menores preços de 24 produtos em oito redes de supermercados de Porto Alegre. Maior variação é do tender, que vai de R$ 11,99 aos R$ 44,90

Produtos da ceia de Natal variam de preço em até 274% Félix Zucco / Agencia RBS/Agencia RBS
Entre os espumantes, variação é superior aos 150% Foto: Félix Zucco / Agencia RBS / Agencia RBS

A palavra de ordem para montar a ceia de Natal é pesquisa. Isso porque uma escolha errada pode custar bem mais caro do que uma opção em outro comércio. É o que aponta um levantamento feito pelo Procon de Porto Alegre, que pesquisou os menores preços de 24 produtos elencados como integrantes da ceia de Natal em oito redes de supermercados da Capital. Os comércios pesquisados são das redes Asun, Carrefour, Center Shop, Gauchão, Gecepel, Nacional, Pezzi e Zaffari Bourbon.

Leia mais
Cesta básica de Porto Alegre tem queda no preço pela primeira vez em nove meses
Feijão e carne estão entre os alimentos com maior variação no ano na inflação
Moradores da Capital contam como substituem a carne bovina

Entre os alimentos pesquisados, o que apresentou maior variação de preço entre um estabelecimento e outro foi o tender, que é um pernil de porco defumado e processado. A peça de um quilo foi encontrada por valores que vãos de R$ 11,99 até R$ 44,90 — variação de impressionantes 247,47%. Mas, isso não é uma raridade. Na pesquisa, 14 dos 24 alimentos apresentaram variações de preço superiores aos 50% entre um supermercado e outro. Ressaltando ainda mais a importância da pesquisa na hora de ir às compras.

Em alguns itens da pesquisa, a variação e os valores assustam em razão da metodologia utilizada pelo Procon. Itens que são normalmente comprados em embalagens de pequenas quantidades, como castanhas, frutas cristalizas e uvas passas, tiveram o preço por quilo divulgado no levantamento. O quilo da cereja em calda, por exemplo, vai dos R$ 47,73 até R$ 156,90 — valor 250,77% mais caro.

Olhando para as principais estrelas da ceia, como panetone, pernil suíno e peru, por exemplo, as variação entre os comércios diminuem, mas não são pequenas. O panetone tradicional com frutas cristalizadas pode ser encontrado por R$ 7,98, na versão de 400g. Ou por até R$ 14,90 no peso de 450g. Uma diferença de 86,71%. A menor variação de preço encontrada pelo Procon foi a do chester, outro prato tradicional da ceia. O valor do alimento vai de R$ 24,90 na opção mais barata encontrada, aos R$ 26,99 na mais cara, valor 8,39% maior.

Olhando para o total, se optar pelas 24 opões de menor preço, o cliente precisa desembolsar R$ 614,55 para montar a ceia. Na versão com os maiores preços encontrados, esse valor salta para R$ 1.351,90. Vale relembrar que a pesquisa tem valores de itens que normalmente não são comprados em quilo, como nozes, que aparecem por R$ 92,79 o quilo na opção mais barata e R$ 212,25 na mais cara. Por isso, na ponta do lápis, o custo é menor. 

Conjunto está 35% mais caro neste ano

Diferentemente de outros anos, o Procon não monitorou a variação dos preços durante todo o último trimestre do ano — outubro, novembro e dezembro. Em razão da pandemia, a pesquisa de 2021 foi feita somente em dezembro. Por isso, não é possível apontar como e se os preços foram inflados com a aproximação da festa do Papai Noel.

Mas, para tentar demonstrar um pouco dos efeitos da inflação, o Diário Gaúcho fez um cálculo. A pesquisa de dezembro de 2020 do Procon da Capital foi comparada com a feita no mesmo mês deste ano. Itens que no ano passado tinham sido pesquisados em gramas e neste ano foram em quilo, tiveram o valor encontrado neste ano convertidos na mesma gramagem do ano passado. 

Assim, o custo da ceia de Natal de 2020, com as opções mais baratas, foi de R$ 192,02. Neste ano, nas mesmas condições, o custo é de R$ 259,42. O aumento é de 35,10% neste ano. Mais de três vezes a inflação acumulada em 12 meses até outubro, que é de 10,74%, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão ainda ainda não divulgou a inflação de dezembro.

Olhando de maneira individual para cada idem entre 2020 e 2021, chama atenção a redução de preço do tender em 19,96% neste ano. Em 2020, o quilo mais barato encontrado eram R$ 14,98. Também caiu de valor na pesquisa o abacaxi em calda, que foi encontrada 6,68% mais barato neste do que na pesquisa passada.

Leia mais notícias do Diário Gaúcho


gre.%2520Dados%2520de%2520dezembro%2520de%25202021." >

Leia mais notícias do Diário Gaúcho


 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros