Guri de Uruguaiana sobre o ano eleitoral: "É preciso amar as pessoas como se não houvesse eleição" - Entretenimento

Versão mobile

 

Só se fala noutra coisa18/08/2018 | 10h00Atualizada em 18/08/2018 | 10h00

Guri de Uruguaiana sobre o ano eleitoral: "É preciso amar as pessoas como se não houvesse eleição"

 

Foto: Artebiz / Divulgação

Chê! Estão chegando as eleições, e escolher um candidato tá mais difícil do que nadar de poncho! Eleição é igual casamento: não importa a tua escolha, tu vai te ferrar de qualquer jeito. Sempre que eu confirmo o meu voto eu fico com um peso na consciência, aquele sentimento de "cúmplice"! 

Leia mais
Guri de Uruguaiana fala sobre o dia dos pais: "Filho, se um dia a vida te derrubar, aproveita que tu tá deitado e dorme"
Guri de Uruguaiana fala sobre agosto: "Mal começou e eu já tô querendo que ele acabe de uma vez!"
Guri de Uruguaiana fala sobre o eclipse lunar: "Fenômeno tão raro quanto o Licurgo chegar na hora aos compromissos"

Por isso, na minha opinião, as eleições deveriam ser como no Big Brother, a gente votaria em quem deseja eliminar! E sobraria o menos pior! Antes das eleições, os candidatos têm muitos predicados. Mas é só depois que se conhece o sujeito. É verdade!  Acho até que deveriam trocar a data das eleições: de 7 de outubro pra primeiro de abril! Faria mais sentido!  

Na reta final da campanha, os candidatos ficam que nem Chitãozinho e Xororó: vão negando as aparências, disfarçando as evidências… Mas do jeito que anda a Lava Jato, a próxima eleição periga ser cancelada por falta de candidatos! O pior de tudo é que, nesta época, muita gente discute nas mídias sociais! Pra esses viventes, eu tenho um conselho valioso: Não vale a pena brigar por causa da política. 

Como diz aquela música: "É preciso amar as pessoas como se não houvesse eleição". Mais ou menos assim! 

Tirinha

Foto:

Causos da Fronteira

O gaudério para na frente da Câmara de Deputados, lá no Alegrete, encosta a bicicleta na mureta e vai entrando. O segurança vê a cena e avisa:

— Tchê! Tira a bicicleta daí que os políticos já vão passar!

E o gaúcho responde:

— Não te preocupa, Tchê! Tranquei com o cadeado!

Correio Amoroso

Foto: Artebiz / Divulgação

Guri, sou de Sagitário e meu namorado é de Leão. Por causa do signo, ele é muito individualista. O que eu devo fazer?
(Joana da Silva — Viamão)

Olha, Joana, eu te confesso que não acredito muito nesse negócio de signo. É que todo capricorniano é assim, meio cético mesmo! Uma vez telefonei pra uma cigana que previa o futuro, e ela me atendeu falando: "Alô, quem é?". Se ela não consegue nem adivinhar quem é, vai adivinhar o futuro de que jeito? 

Jô, tem um ditado muito antigo que diz: "Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé". Tá errado! A montanha tem que se valorizar e não tratar como prioridade quem trata ela como opção! Contigo é a mesma coisa! Esquece esse negócio de signo. Isso é muito complicado, assim como o micro-ondas, que deixa sempre o prato fervendo e a comida gelada!

Leia outras colunas do Guri de Uruguaiana 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros