Sandro Coelho comemora sucesso de live em visualizações e doações - Entretenimento

Vers?o mobile

 
 

Piquetchê do DG25/05/2020 | 05h01Atualizada em 25/05/2020 | 11h15

Sandro Coelho comemora sucesso de live em visualizações e doações

Duas toneladas de alimentos foram arrecadadas durante a transmissão, em abril, e entregues na semana passada

Sandro Coelho comemora sucesso de live em visualizações e doações Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Faceiro, artista já planeja a próxima ação com meta ousada: 10 toneladas de alimentos Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Quando terminou a sua primeira live em épocas de pandemia de coronavírus, um dos nomes mais populares da vaneira no Estado, Sandro Coelho, 46 anos, celebrou uma audiência pra lá de expressiva, em se tratando de um artista local. No dia 21 de abril, após mais de três horas cantando sucessos de sua carreira em seu canal no YouTube, como Mãe Campeira e Saudade da Nega, o artista constatou que sua apresentação teve mais de 420 mil visualizações.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Porém, ao fim da live, os números que mais confortaram o coração do artista não foram os da audiência, mas, sim, os das doações que ele conseguiu arrecadar: mais de duas toneladas de alimentos não perecíveis.

– Claro que é legal para o artista ter esse número de visualizações, mas o que importa, mesmo, é ajudar. Mesmo que minha live tenha tido quase meio milhão de visualizações, eu ficaria muito mais feliz se  ltivesse alcançado 100 mil visualizações e que eu tivesse arrecadado 10 toneladas – afirma o cantor, que já estipulou a meta de arrecadação para sua próxima apresentação, que deve ocorrer na metade de junho:

– Quero arrecadar 10 toneladas.

Preocupação

A segunda, e emocionante, parte dessa história, que começou em abril, ocorreu na quinta-feira passada, quando o músico fez a entrega dos alimentos arrecadados na sede da igreja Nossa Senhora Aparecida, no bairro Guajuviras, em Canoas. 

Leia também
Chance para matar a saudade do rodeio
Tchê Garotos reúne formação original em live
Em épocas difíceis, criatividade é a chave para CTGs

Ele fez a distribuição para 96 famílias em situação de vulnerabilidade social do bairro. Após a entrega, o músico se mostrou preocupado com a situação dos moradores e mais motivado ainda para a próxima live: 

– Conversando com as pessoas da igreja, obtive a informação de que uma cesta básica, em média, dura duas semanas para uma família. Depois disso, como fica? Um dos principais motivos que me levou a fazer a primeira live, e a planejar a próxima, é tentar algo para amenizar a situação dessas pessoas.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros