Polícia investiga fotos que mostram bandidos com armas pesadas - Polícia

Versão mobile

 
 

Guerra do tráfico20/01/2016 | 12h29

Polícia investiga fotos que mostram bandidos com armas pesadas

Imagens circulam pelas redes sociais e são atribuídas a um grupo que disputa pontos de tráfico na Capital

Polícia investiga fotos que mostram bandidos com armas pesadas  Reprodução/Facebook
Foto circula pelas redes sociais Foto: Reprodução / Facebook

Fotos de homens armados e de armas sobre um piso circulam por redes sociais como se fossem de um dos grupos que disputam territórios do tráfico de drogas nas zonas Norte e Leste da Capital. A brigada Militar apura a origem das imagens e a veracidade das informações.

Em uma das fotos, sobre um piso de lajotas, aparecem 12 armas, entre as quais, um fuzil e uma espingarda, pistolas, revólveres e carregadores e um rádio comunicador. Em outra, as armas aparecem nas mãos de pelo menos sete homens, fotografados do tórax para baixo.

Em algumas das publicações, consta a informação de que seriam integrantes de grupos ligados ao tráfico de drogas que atuam no Bairro Vila Jardim, na Zona Norte, em guerra com rivais do Bairro Bom Jesus.

No final de semana, houve cinco mortes violentas nesses dois bairros, que são limítrofes, separados pela Avenida Protásio Alves. Na disputa sangrenta, houve um triplo homicídio no sábado.

No domingo, em uma aparente represália, o jovem Jeferson de Oliveira Lapuente, 22 anos, foi morto a tiros e decapitado. Sua corpo foi envolto em um edredom, no qual foi pichada a frase "bala nos balas", e desovado na altura do número 10.200 da Protásio Alves. A cabeça foi deixada em uma caixa de papelão, na Rua Doutor Murtinho, no Bairro Bom Jesus.
   
Fotos da cabeça em meio a armas e do corpo envolto pelo edredom foram publicas no perfil do próprio Jeferson no Facebook. A polícia acredita que os criminosos tenham se apossado do celular do jovem e o utilizado para as postagens. Na noite de domingo, outro homem foi morto na Vila Jardim, em uma espécie de tréplica na sequência de crimes.

Renato Dornelles: por que a decapitação não surpreende

A Brigada Militar tem investigado a disputa na região. Para evitar novos ataques, de acordo com o coronel Mário Ikeda, do Comando de Policiamento na Capital, desde domingo, houve reforço na área, com PMs do 11º BPM e do Batalhão de Operações Especiais (Boe).


Grupo ostenta armamento pesado
Foto: Reprodução/Facebook

As fotos das armas estão sendo investigadas pela corporação.

— Recebemos as informações e estamos apurando a veracidade — disse o major Luciano Moritz, que atualmente responde pelo comando do 11º BPM.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros