Obras estão paradas em ruas do Bairro Partenon, na Capital, por falta de pagamento - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso31/05/2017 | 08h30Atualizada em 31/05/2017 | 11h23

Obras estão paradas em ruas do Bairro Partenon, na Capital, por falta de pagamento

A prefeitura informou que não há previsão para retomada dos serviços

Obras estão paradas em ruas do Bairro Partenon, na Capital, por falta de pagamento Arquivo pessoal/Leitor/DG
Canos foram deixados expostos na Rua Manoel Bitencourt Foto: Arquivo pessoal / Leitor/DG

Em 2007, de acordo com conselheira tutelar e delegada do Orçamento Participativo (OP) dos Bairros Partenon e São José, em Porto Alegre, Elenira Martins Pereira, 52 anos, as ruas Manoel Bitencourt e Saul Constantino ganharam via OP direito a canalização e pavimentação. Entretanto, a alegria da comunidade com a notícia durou pouco. Menos ainda para alguns.

Leia mais notícias da seção Seu Problema é Nosso!

Lutando para que as obras deixassem de ser apenas promessas, em 2011, Elenira e os moradores descobriram que a Saul Constantino era uma rua irregular. Após procurarem a prefeitura, conseguiram que ela se tornasse um logradouro oficial, em 2012. Vencida a primeira batalha, esperavam ainda as melhorias na rua.

Em 2015, após reunião com a então Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov), foi feito o projeto da obra e dado início no processo de licitação de empresa. Mais uma promessa não cumprida. Elenira conta que a secretaria garantiu que a obra começaria em março deste ano. Já no fim de maio, nada foi feito.

Rua Saul Constantino tem muitos buracos e alaga com frequência Foto: Arquivo pessoal / Leitor/DG

— A comunidade fez todos os procedimentos para regularizar a rua, lutou pela rede de esgoto e pavimentação. A Saul Constantino tem uma escola com alunos cadeirantes e está sempre cheia de buracos ou de barro, quando chove. É um absurdo ficarem só iludindo as pessoas desse jeito — diz Elenira.

Na Manoel Bitencourt, a obra chegou a começar no final de 2016. Com empresa licitada, uma placa de orçamento indicando o serviço foi fixada na via para que todos soubessem o que estava sendo feito. Máquinas chegaram, junto com galerias de concreto e trabalhadores. Parte da canalização estava pronta quando, pouco depois de o novo governo assumir a cidade, a obra foi paralisada.

— Um dia, as máquinas pararam, e o pessoal que estava fazendo o serviço foi embora. Fomos à secretaria novamente em fevereiro e prometeram que, em até 15 dias, retomariam a obra. Estamos até hoje esperando — comenta Elenira.

Obra chegou a começar na Manoel Bitencourt, mas foi abandonada Foto: Arquivo pessoal / Leitor/DG

Onde foi a grana?

Na semana passada, por conta da chuva, um carro ficou preso nos buracos. Em dias de temporal, segundo Elenira, a rua transborda, impossibilitando a passagem. Para piorar, as grandes galerias de concreto que deveriam ser usadas para a rede de canalização, ficaram abandonadas no meio da via.

— Os moradores ganharam a obra, já estava licitada, aprovada e iniciada. Para onde foi o dinheiro? Vão deixar pela metade? Isso é muito grave — desabafa Elenira.

Leia mais
Por conta de canalização, calçada volta a ceder em Porto Alegre após quase dois anos do primeiro conserto
Falta de iluminação pública há dois meses representa perigo para moradores de Alvorada
Aposentada passa por cirurgia no quadril após cinco anos de espera

Não há previsão para conclusão

A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim) confirmou que a pavimentação e a drenagem da Rua Manoel Bitencourt estão paradas. O motivo, segundo a secretaria, é pendências no pagamento do serviço. Em nota, a Smim e a Secretaria da Fazenda disseram que "buscam alternativas para ter recursos disponíveis". Entretanto, não há previsão para retomada.

Questionada sobre o que aconteceu com o dinheiro da obra, a Smim informou que o orçamento da prefeitura é feito anualmente e que existe verba prevista para a via no planejamento de 2017, porém está trancada em função das dificuldades financeiras da cidade.

A Rua Saul Constantino, conforme a Smim, faz parte do conjunto de cinco lotes de obras de infraestrutura e pavimentação eleitas como prioritárias pelo OP. Os recursos são financiados pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina — Corporação Andina de Fomento (CAF). A secretaria informou que a previsão para início das obras é novembro de 2017.

Enquanto as vias não são pavimentadas, a Divisão de Conservação de Vias Urbanas (DCVU) fará manutenção paliativa e patrolamento na Manoel Bitencourt e na Saul Constantino. Devido às chuvas da última semana, o órgão está priorizando as ruas em situação emergencial, mas, assim que o tempo melhorar, as vias citadas serão atendidas. 


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros