Motoristas reclamam que IPVA é pago, mas Correios não entregam documento de veículos - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso22/05/2018 | 09h05Atualizada em 22/05/2018 | 09h28

Motoristas reclamam que IPVA é pago, mas Correios não entregam documento de veículos

A empresa de entregas assume que "falhas pontuais" podem ocorrer, mas nega que o problema seja generalizado

Motoristas reclamam que IPVA é pago, mas Correios não entregam documento de veículos Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Cezar precisa do CRLV para poder tirar o carro da garagem Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Anualmente, quem tem um veículo no Brasil precisa pagar o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). Após a quitação deste imposto, o condutor deveria receber em casa o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) para seguir circulando sem problemas. Entretanto, a demora no recebimento dos papéis preocupa motoristas que procuraram o Diário. 

Leia mais
Depois de acidente, motoboy conta com solidariedade para construir rampa acessível na entrada de casa, em Porto Alegre
No cartão TRI, passagem de lotação está mais cara, em Porto Alegre
Escoamento ruim deixa rua debaixo d'água, em Pelotas

Eles alegam que os Correios — conveniados ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-RS) para entrega dos documentos — estão com dificuldades para fazer com que o CRLV chegue às mãos dos condutores.

O empresário Cezar Lenuzza, 48 anos, é um dos que está com seu carro parado na garagem em razão da demora dos Correios em fazer a entrega do CRLV. Morador do bairro Ipanema, em Porto Alegre, Cezar diz que não é só o documento que está atrasado, "mas boa parte das correspondências tem chegado fora do prazo". 

Ele e a esposa, a professora Lizandra Lenuzza, 46 anos, vivem em um condomínio Rua José Sanguinetti e não entendem como o carteiro pode ter passado três vezes pelo local — que tem portaria 24 horas — sem ser atendido.

— É impossível. Sempre tem alguém para receber as cartas. O Correio registra no sistema que esteve aqui três vezes, mas ninguém nunca vê. Nós pagamos uma taxa pela entrega, mas somos obrigados a buscar o documento pessoalmente — reclama Cezar.

O pagamento a qual o morador da Zona Sul se refere é uma taxa cobrada pelo Detran-RS que inclui o serviço de entrega do CRLV, feito pelos Correios. Depois de três tentativas, se ninguém receber o documento, ele fica retido para retirada diretamente em uma agência dos Correios.

Apesar do registro no sistema, Cezar nega que algum carteiro tenha ido até sua residênciaFoto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG

Outros locais

E não é só em Porto Alegre que motoristas ainda não receberam seu CRLV. O projetista mecânico Rodrigo Tariga Costa, 35 anos, também está passando pela mesma situação no bairro São José, em Canoas. E ele recorda que o problema não é recente, pois tem se repetido ano após ano:

— O carteiro registra no sistema dos Correios que esteve aqui, mas ninguém nunca o vê. A minha casa é pequena e sempre tem alguém em casa, não teria como o entregador não ser atendido.

O projetista conta que, inclusive, em uma das ocasiões registradas como tentativa de entrega, ele estava na frente de casa e não recorda de nenhuma visita dos Correios naquele dia.

— Eu paguei para receber este documento na minha casa, portanto, não irei buscar. Caso os Correios tenham passado em qualquer horário do dia que não tenha ninguém na rua, sugiro contratar um carteiro que consiga bater palmas, pois nem isso fazem — protesta Rodrigo.

"Problemas são pontuais", diz Correios

A assessoria de imprensa dos Correios garante que "a entrega na zona sul de Porto Alegre e no bairro São José, em Canoas, está regularizada, inclusive com os documentos do Detran sendo entregues diariamente". A empresa admite que "casos pontuais podem ocorrer e, para que a situação seja verificada, os clientes devem entrar em contato com os canais de atendimento dos Correios".

A reportagem questionou os Correios sobre qual o prazo normal de espera pela entrega do CRLV, mas a empresa respondeu apenas que "os documentos são postados pelo Detran na modalidade Remessa Econômica". 

Os Correios também não explicaram como o carteiro não foi atendido em locais com portaria 24 horas ou em horários que os leitores alegaram estar em casa. A companhia afirmou que a "orientação é para que o carteiro faça três tentativas de entrega no endereço. Após, caso não haja êxito, as correspondências são encaminhadas para a agência dos Correios mais próxima ao endereço do destinatário".

No caso de Cezar, os documentos do Detran foram enviados para a Agência Ipanema (Avenida Eduardo Prado, 2.165). O horário de retirada na unidade é das 9h às 17h. Já os documentos destinados ao bairro São José, em Canoas, onde vive Rodrigo, são encaminhados para a Agência Canoas (Rua 15 de Janeiro, 61). No local, o horário de retirada vai das 9h às 17h30min.

*Produção: Alberi Neto

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros