Buraco em calçada na Avenida do Forte já existe há mais de um ano, em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso14/08/2018 | 09h15Atualizada em 14/08/2018 | 09h15

Buraco em calçada na Avenida do Forte já existe há mais de um ano, em Porto Alegre

Sem uma sinalização adequada, o buraco acabou virando lixeira. E entre tijolos, peças de ferro e caliça, ainda há os restos de um cavalete colocado pela prefeitura

Buraco em calçada na Avenida do Forte já existe há mais de um ano, em Porto Alegre Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Buraco é risco para pedestres Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Quem caminha pela Avenida do Forte, na Vila Ipiranga, Capital, precisa ser cuidadoso para não cair em um buraco na calçada da via, próximo ao número 1.621. Sócio de uma barbearia perto da cratera, Alexander Pacheco de Oliveira, 41 anos, conta que a situação prejudica a circulação de pedestres: 

— Pega metade da calçada, é perigoso. Se vem alguém mexendo no celular ou distraído, o risco de se acidentar é grande — conta ele. 

Leia mais
Morador de Gravataí busca ajuda para realizar cirurgia em São Paulo
Morador de Cachoeirinha aguarda por cirurgia para amenizar sequelas de acidente
Moradores pedem, mas prefeitura não faz operação tapa-buraco em rua de Gravataí

Segundo Alexander, o problema existe há mais de um ano, informação confirmada por um protocolo registrado pelos moradores em agosto do ano passado. O requerimento segue aberto até hoje no sistema da prefeitura. 

Lixo 

Sem uma sinalização adequada, o buraco acabou virando lixeira. E entre tijolos, peças de ferro e caliça, ainda há os restos de um cavalete colocado pela prefeitura. O limo presente na madeira branca do cavalete "mostra o tempo de abandono", conforme relata o comerciante. 

– Uma vez, vi alguém do Dmae olhando o local. Porém, a pessoa falou que não era responsabilidade do departamento. Aí, fica nesse jogo de empurra entre um órgão e outro — recorda Alexander. 

Em dias de chuva, como estão obstruídas com lixo, as tubulações não são capazes de escoar a água. Assim, a via acaba alagando, tornando ainda mais difícil para os pedestres circular pela calçada, aponta o comerciante: 

— Quando chove forte, chega a transbordar de água ali. É lamentável. 

Todo o tipo de sujeira acaba sendo depositada no localFoto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG

O buraco que se abriu na calçada da Avenida do Forte pode ter surgido de obras malfeitas, suspeita Alexander. Em conversas com vizinhos que moram há mais tempo no bairro, ele foi informado de que uma empresa contratada pela prefeitura havia feito serviços de trocas da tubulação da rede pluvial. 

Entretanto, depois de concluídos, os reparos não teriam durado muito, ocasionando a abertura na calçada. 

— O que precisamos é que alguém assuma a responsabilidade e faça o serviço. Já está aí o buraco há um ano. Quanto tempo mais vai ficar ali? — questiona ele. 

Obras devem ocorrer ainda neste mês 

Após contato da reportagem, a Divisão de Manutenção de Águas Pluviais (DMAP) fez uma vistoria no local. Segundo o órgão, que faz parte da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb), "foi constatada a necessidade da realização de obra para troca de um tubo de 300mm, além da desobstrução e aterro do local". 

A previsão da prefeitura é de que, até o final do mês de agosto, os reparos sejam executados. A SMSUrb lembra que há necessidade de tempo seco para a realização das intervenções. Segundo o Secretário Municipal de Serviços Urbanos, Ramiro Rosário, problemas na rede pluvial da cidade são "resultado de décadas e de decisões equivocadas, falta de investimentos e irregularidades na prestação de serviços de contratos de manutenção". 

*Produção: Alberi Neto

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros