Moradora do Jardim Aparecida, em Alvorada, enfrenta problemas causados por esgoto a céu aberto - Notícias

Versão mobile

 

Seu Problema é Nosso22/11/2018 | 09h50Atualizada em 22/11/2018 | 14h07

Moradora do Jardim Aparecida, em Alvorada, enfrenta problemas causados por esgoto a céu aberto

Viviane Lima, 41 anos, convive diariamente com a sujeira que verte na rua e invade seu pátio

Moradora do Jardim Aparecida, em Alvorada, enfrenta problemas causados por esgoto a céu aberto LeitorDG / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Problema afeta moradores desde setembro Foto: LeitorDG / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Mau cheiro, insetos e risco de contaminação são alguns dos problemas enfrentados pela auxiliar de produção Viviane Lima, 41 anos, moradora da Avenida Cecília Meireles, no bairro Jardim Aparecida, em Alvorada. Segundo ela, a rede de esgoto cloacal entupiu e, além de transbordar na via, extravasa pelas caixas dentro dos pátios.

Leia mais
Pescadores enfrentam problemas em renovar licenças para pesca amadora, em Viamão
Em Alvorada, aparelho de esterilização quebrado atrasa consultas com dentista
Depois de matéria no Diário Gaúcho, estudante da UFRGS consegue comprar triciclo para frequentar aulas

— Está tudo alagado aqui na rua e, por causa do mau cheiro, enche de moscas. Tem dias em que não conseguimos nem comer dentro de casa, ainda mais que começou o calor — conta Viviane.

O problema é notado desde setembro, quando o esgoto começou a invadir o quintal de sua casa:

— Já foi reclamado várias vezes na prefeitura, tanto por mim quanto por vizinhos, e ficam passando o problema de um para outro. Dizem que o problema é da Corsan e, até agora, ninguém resolveu nada. Isso afeta a vida de todos aqui.

Consequências

O problema, que tem início na Rua A. J. Renner, via paralela com a Cecília Meireles, fez os moradores vivenciarem momentos complicados. A auxiliar relembra de quando o esgoto passou a alagar a área em frente à sua moradia com água suja e dejetos:

– Minha avó, que tem 89 anos, já resvalou e caiu, assim como a vizinha, que sofreu uma queda também. É muito perigoso.

O número de mosquitos também preocupa Viviane, pois seus familiares sofrem picadas do inseto diariamente.

— Tenho dois sobrinhos pequenos em casa, cuido para eles não brincarem perto da água. Mas tem crianças na rua que brincam, e eu sei que isso afeta a saúde.

Vistoria aconteceu ontem

A prefeitura de Alvorada visitou o local, na manhã de ontem, e verificou que o problema é de origem cloacal, o esgoto doméstico, e portanto, pertencente à Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan). Questionada sobre o motivos de não atender os protocolos antes do contato da reportagem, a administração pública não se manifestou.

Procurada pelo DG, a Corsan informou que não tem registros de atendimento de ocorrências nem de solicitações de reparos no endereço de Viviane. A empresa vistoriou o local na tarde de ontem e, segundo Viviane, os técnicos informaram que o problema seria de responsabilidade da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov).

 Produção: Caroline Tidra

 Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros