Quintão, Magistério e Pinhal iniciam trabalhos para receber veranistas - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Litoral Norte15/12/2018 | 07h00Atualizada em 15/12/2018 | 10h23

Quintão, Magistério e Pinhal iniciam trabalhos para receber veranistas

Sensação de abandono salta aos olhos, principalmente, em Quintão. Em Magistério e Pinhal se nota a continuidade dos serviços de capina e limpeza das vias, além do visível preparo para receber os turistas.

Quintão, Magistério e Pinhal iniciam trabalhos para receber veranistas Robinson Estrásulas / Agência RBS/Agência RBS
Em Quintão, lixo e caliças estão espalhados pela praia Foto: Robinson Estrásulas / Agência RBS / Agência RBS

O Diário Gaúcho pegou a estrada e seguiu viagem pelas praias mais populares do RS. A intenção: mostrar como os pequenos municípios e balneários estão se preparando para receber os turistas. A jornada começou pela Praia de Quintão, distante cerca de 120 quilômetros da Capital. Perto dali, a reportagem também passou por Magistério, Balneário Pinhal e Cidreira. Depois, mais ao norte, conferimos a situação que espera os veranistas em Tramandaí, Imbé e Balneário Mariluz. 

Leia mais
Cidreira, Imbé e Tramandaí já estão preparadas para o verão
Saiba como estão as condições dos parques e praças de Porto Alegre para o verão
Como estão os terminais de ônibus de Porto Alegre 

Os primeiros destinos da Blitz DG já foram pontos de grande concentração em outros verões. Conhecidas pela sua proximidade com a Capital, Quintão, Magistério e Pinhal, assim como os antigos veranistas, ficaram no passado. Não que os locais não possam ser frequentados, mas a sensação de abandono do poder público salta aos olhos, principalmente, na Praia de Quintão. Em Magistério e Pinhal, ambas, praias de Balneário Pinhal, ao menos se nota a continuidade dos serviços de manutenção, como capina e limpeza das vias, além do visível preparo para receber os turistas.

Já no calçadão de Quintão, além da areia das dunas e da vegetação invadindo o passeio, existem diversos pontos com concentração de lixo e bancos quebrados. A praia faz parte do município de Palmares do Sul. O centro de Palmares fica distante cerca de 40 quilômetros da praia. Esse afastamento prejudica os cuidados da administração pública com a praia, ainda mais, fora da alta temporada.

Quem frequenta o Quintão, infelizmente, já está acostumado com a realidade do local. Morador de Curitiba, no Paraná, o empresário Roberto Dias, 37 anos, costuma vir frequentemente à região, pois a mãe mora na praia. Acompanhado da esposa Lenê Soares, 39 anos, e da filha, Jamile, sete anos, ele pretende ficar até quarta-feira (19) no litoral.

— O Quintão é isso, não dá para reclamar muito. A gente acaba acostumando por ser uma cidade com estrutura mais reduzida. Não é uma praia badalada, não tem muitas opções do que fazer, só curtir a praia mesmo. Isso quando a água ajuda — aponta Roberto.

Quiosques

Maria não gostou da retirada dos quiosques, em MagistérioFoto: Robinson Estrásulas / Agência RBS

Em Magistério, a reclamação é quanto à falta de quiosques na areia. Frequentando o local há mais de 25 anos, a funcionária pública aposentada Maria Berenice Medeiros, 61 anos, ficou indignada com a retirada dos comércios. Neste ano, ela construiu uma pequena casa na região, mas revela que não tem muitos motivos para seguir frequentando Magistério.

— A gente que é pobre só tem três opções: Quintão, Magistério ou Pinhal. E acaba que não tem o que fazer aqui, só tem a praia. Agora, ainda tiraram os quiosques, tem que vir com um monte de coisas de casa para a praia — critica a moradora do bairro Parque da Matriz, em Cachoeirinha. 

Em pinhal, os sinais de preparo para o verão são mais visíveis. Os quiosques da faixa de areia já estão sendo montados. Além disso, algumas passarelas de madeira que dão acesso à praia também foram construídas. Quem frequenta o local, aprova a preparação do balneário para a temporada. É o caso do professor aposentado João Pedro Gil, 65 anos. Sua família tem casa em Pinhal desde os anos 1960. A residência fica na beira da praia, com vista privilegiada para o mar. Junto da esposa, a servidora pública aposentada Marilene Franck, 65 anos, João traça uma expectativa para o verão:

— Durante o inverno é complicado, fica bem vazio. Agora que movimenta mais. A praia está boa, são pequenos detalhes que precisam melhorar, como trazer mais atrações e opções de lazer para os veranistas e moradores.

Familiares de Marilene e João frequentam Pinhal desde os anos 1960Foto: Robinson Estrásulas / Agência RBS

O que dizem as prefeituras

Quintão

O secretário de planejamento de Palmares do Sul, Manoel Jober Dias de Souza, garantiu que, a partir desta segunda-feira (17), serão iniciados os trabalhos de verão na praia do Quintão. Segundo ele, 12 funcionários terceirizados farão a limpeza e capina da beira-mar e das avenidas principais, como a Esparta e a dos Bancários. O serviço se estenderá até o final da temporada, no dia 15 de março. 

Além dos terceirizados, outros oito servidores da Secretaria de Obras, Viação e Trânsito farão os reparos no calçadão, em bancos quebrados e em algumas vias. Ainda conforme o secretário, duas guaritas de salva-vidas que estão quebradas serão substituídas por novas. 

Pinhal e Magistério

 A administração de Balneário Pinhal, responsável pelas praias de Pinhal e Magistério, explicou que, desde novembro, está trabalhando com o projeto Praia Limpa, que conta com cerca de 40 funcionários extras para auxiliar na limpeza das praias durante o verão. Segundo o secretário de administração Erón de Oliveira, os serviços se intensificarão nos próximos dias: 

— Ainda vamos avançar até Magistério, onde também serão feitos reparos na orla.

Quanto a retirada dos quiosques, Erón explica que é um processo normal. Conforme o secretário, os comércios são desmontados durante a baixa temporada.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros