Valdemar recupera visão após cirurgia de catarata - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso10/06/2019 | 10h12

Valdemar recupera visão após cirurgia de catarata

O motorista aposentado aguardava o procedimento desde janeiro de 2018

— Clareou a minha visão! 

É desta forma que motorista aposentado Valdemar Severo Molina, 73 anos, morador do bairro Umbu, em Alvorada, comemora o sucesso da cirurgia de remoção da catarata. Em duas edições, o Diário Gaúcho mostrou o sofrimento do aposentado, que aguardava pelo procedimento desde janeiro de 2018. 

Leia mais
Para buscar medicamentos, moradores de Quintão enfrentam 39 quilômetros
Falta de leite especial na farmácia do Estado volta a preocupar mães de crianças com alergia à proteína do leite
Morador de Porto Alegre espera há mais de um ano cirurgia para retirada de pedras na vesícula  

Na publicação de 3 de janeiro deste ano, o Instituto de Cardiologia Hospital Viamão, responsável pelo procedimento e referência de Alvorada, informou que a previsão de sua realização era no mês de fevereiro. Contudo, passaram-se mais três meses para que Valdemar tivesse a cirurgia marcada, após a publicação da segunda reportagem, em 30 de abril. 

No dia 29 de maio, às 17h, ocorreu a esperada operação. 

— Agora, meu olho esquerdo está melhor que o direito, que não tem catarata — afirma Valdemar. 

Segundo o aposentado, o bom atendimento dos funcionários do hospital recompensou a decepção da demora: 

— Fui bem tratado. Os profissionais estavam sempre comigo. A parte mais demorada foi a dilatação da retina, mas o sacrifício foi compensado. 

De acordo com o idoso, sua recuperação também foi plena e ele segue com aplicações diárias de colírios prescritos pelo oftalmologista. 

Sem trabalho 

O problema, que comprometeu a visão de Valdemar, fez aumentarem as dificuldades. Além do valor de um salário mínimo (R$ 998), ele contava, antes, com serviços esporádicos para completar a renda familiar. 

— Não tinha mais como fazer meus extras, que eram bicos em um estacionamento. Não enxergava como antes. À noite, era pior ainda — relembra o idoso. 

Com a visão recuperada, ele pensa em voltar a dirigir: 

— Já arrumei o olho, agora tenho que renovar a carteira de motorista, que deveria ter sido feita em fevereiro. Não fiz a renovação porque não iria passar no teste com o problema na visão. 

Fila de espera de 600 pessoas

A assessoria do Hospital de Viamão afirmou que realiza em torno de 50 cirurgias por mês, sendo referência para os municípios de Alvorada, Cachoeirinha e Viamão. Atualmente, segundo a entidade, cerca de 600 pacientes aguardam pela operação de catarata. 

Questionada sobre o tempo médio que leva para uma pessoa ser operada, a instituição informou que, depois de realizados os exames, o paciente vai para a lista de espera. Conforme o hospital, “ganham prioridade na lista casos de muita urgência, e muitos pacientes fazem um olho e voltam para a fila para fazer o segundo”. 

Considerando que são realizadas 50 cirurgias por mês e que há 600 pacientes na lista de espera, o tempo médio para realização das cirurgias é de um ano. Valdemar aguardou por um ano e cinco meses. 

Produção: Caroline Tidra 

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros