Arroio de Cachoeirinha recebe limpeza, mas resíduos são deixados às margens - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso23/08/2019 | 11h11Atualizada em 23/08/2019 | 11h11

Arroio de Cachoeirinha recebe limpeza, mas resíduos são deixados às margens

De acordo com moradores, a obstrução do arroio causava alagamentos em dias de chuva

Arroio de Cachoeirinha recebe limpeza, mas resíduos são deixados às margens Luis Carlos/Arquivo Pessoal
Máquinas retiraram rejeitos de dentro do córrego Foto: Luis Carlos / Arquivo Pessoal

Um alívio para quem mora no Parque da Matriz, em Cachoeirinha. Após anos sofrendo com problemas causados pelas cheias do Arroio Passinhos, os moradores da Rua Pacaembu poderão ficar mais tranquilos nas épocas de chuva intensa, pois o valão finalmente recebeu a limpeza que a vizinhança solicitava. 

LEIA MAIS
Após corte de mamoeiro que crescia dentro de buraco, moradores esperam finalização do conserto da calçada
Ruas esburacadas no Jardim Algarve seguem sem previsão de reparos
Mulher com deficiência visual tem dificuldade em transferir consultas para mais perto de casa  

O presidente da Associação Amigos do Parque da Matriz, Luís Carlos Azevedo, contou na edição do Diário Gaúcho de 9 de julho que o valão era sinônimo de dor de cabeça para os residentes da região. Ele relatou que o córrego estava assoreado e, com qualquer chuva, enchia e extravasava. Luís Carlos explicou, à época da primeira reportagem, que houve anos em que a água chegou às casas. Além disso, comentou que o cheiro ruim era “insuportável”. 

Após buscar providências junto às autoridades, Luís conta que começou um jogo de empurra por parte da administração pública. Ele procurou a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos, mas foi informado de que a limpeza não poderia ser feita, pois era necessária uma licença ambiental relativa a árvores nativas que ficam nas margens do valão. 

Diante disso, ele relata ter contatado a Secretaria de Meio Ambiente e, por lá, foi informado de que todas as licenças estavam em dia. 

Mal resolvido 

Mais de um mês após a publicação do caso no Diário Gaúcho, a prefeitura atendeu às demandas dos moradores e limpou o arroio. Porém, o que deveria ser a solução tornou-se mais uma preocupação: os resíduos retirados foram colocados na beira do valão. Com isso, os moradores temem que o lixo possa voltar ao fundo do córrego com as chuvas e, devido à grande quantidade de pneus que foram retirados do arroio, o local tende a virar foco de mosquito da dengue. 

A vendedora Janaína Cardoso, 43 anos, conta que ficou feliz com a limpeza: 

— Gostei bastante, porque pensei que nem fosse sair ainda esse ano, mas já estamos falando com a prefeitura para retirar o lixo deixado. 

Segundo Luís Carlos, o protocolo pedindo a remoção dos resíduos já foi aberto junto à prefeitura, no entanto, até ser atendido, os próprios moradores estão se mobilizando para fazer esse trabalho. 

Prefeitura garante que não há riscos

De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Cachoeirinha, Brinaldo Mesquita, o material retirado do córrego foi colocado próximo ao local, sem que haja a possibilidade de voltar para o arroio e sem que represente risco ambiental. 

O secretário também informou que não há condições de se transportar o material para outro local, tanto em termos de logística quanto de custo. Ainda segundo Brinaldo, a previsão é de que este tipo de limpeza do córrego seja feita uma vez por ano. 

Produção: Thayná Souza

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros