Após dois anos parada, obra de CEU na Lomba do Pinheiro é retomada, com conclusão prevista para março de 2020 - Notícias

Vers?o mobile

 
 

RETRATOS DO DESPERDÍCIO09/10/2019 | 05h00Atualizada em 09/10/2019 | 05h00

Após dois anos parada, obra de CEU na Lomba do Pinheiro é retomada, com conclusão prevista para março de 2020

Espaço passa a ser chamado Estação Cidadania, e terá gestão dividida entre o poder público e sociedade civil

Após dois anos parada, obra de CEU na Lomba do Pinheiro é retomada, com conclusão prevista para março de 2020 Tadeu Vilani/Agencia RBS
Operários da construção civil trabalhavam na obra, na manhã desta terça-feira (8) Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Demorou, mas os sinais de depredação deram lugar a homens trabalhando na Lomba do Pinheiro, bairro da zona leste de Porto Alegre. Há duas semanas, o que restava da estrutura do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) da região tornou-se novamente um canteiro de obras. 

Leia mais
Precariedade nos conselhos tutelares de Porto Alegre é investigada pelo Ministério Público
Como vai funcionar o contrato de revitalização das praças e parques de Porto Alegre
Após 21 meses de obra pronta, creche é aberta na Zona Sul

Tapumes foram instalados ao redor do terreno para evitar os atos de vandalismo que fizeram o espaço – que chegou a estar 80% concluído antes das depredações – virar um ponto de risco para o bairro. Rebatizada de Estação Cidadania, a construção é financiada pelo governo federal, com contrapartida da prefeitura de Porto Alegre. A gestão deve ser dividida entre poder público e sociedade civil. A nova promessa é abrir o espaço em março de 2020. As obras começaram em 2013.

Antes da retomada, tudo aquilo que era possível de ser furtado, foi levado do local: vidraças, vasos sanitários, portas, fiações e tubos metálicos por onde passava a rede elétrica. Até algumas pedras das calçadas haviam sido carregadas. 

As paredes ficaram marcadas pelas pichações e restos de fogueiras montadas por quem buscava abrigo nas instalações. Na época, os moradores contaram que o CEU havia se tornado um ponto para consumo de drogas e prostituição.

Agora, com o reinício dos trabalhos, a comunidade espera que a situação não se repita. O líder comunitário Vosmar Pinto explica que está mobilizando a população para que se aproprie do espaço. A situação é semelhante ao que ocorreu no bairro Restinga, zona sul da Capital. Lá, lideranças comunitárias trouxeram os moradores “para dentro da obra”, mostrando que poderiam utilizar o espaço depois de pronto.

– A Lomba do Pinheiro carece de espaços de lazer. Por isso, não podemos deixar o vandalismo interromper novamente este sonho do bairro – deseja Vosmar.

 PORTO ALEGRE -RS - BR - 08.10.2019Retomada de obras no CEU da Lomba do Pinheiro.FOTÓGRAFO; TADEU VILANI AGÊNCIARBS Editoria DG
Canteiro de obras é uma visão que alegra os moradores do local Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Segundo o líder comunitário, desde a retomada das obras ocorreram novos furtos na área. Desde contêiner de obras e fiações elétricas, até tapumes de compensado, foram levados. Tentando evitar um novo abandono do canteiro por parte da empresa responsável, lideranças organizaram uma reunião com Brigada Militar, Guarda Municipal e outros órgãos públicos. O encontro foi nesta terça-feira (8):

– Precisamos buscar soluções para levar a obra até o fim e entregar a praça à comunidade.

Moradores fazem um apelo por vigilância constante

Morador da Lomba há 30 anos, o taxista Volmir Tevah costuma passar pela obra diariamente. Ficou curioso com a colocação dos tapumes e nem acreditou quando viu operários trabalhando no terreno. Volmir ressalta a falta de locais para a comunidade utilizar em momentos de lazer. Por isso, acredita que a abertura da Estação Cidadania poderá mudar esta realidade.

– Eu ainda não sei se vão conseguir terminar a obras. Porém, quando isso acontecer, será muito bom para os moradores – projeta.

O pedreiro Marcelo Oliveira, 48 anos, diz que só acredita no sucesso da obra se a segurança no local for reforçada. Ele aponta que foram nos outros momentos de abandono que criminosos aproveitaram para “carregar tudo que podiam”.

– Quando colocaram um guarda para cuidar ajudou, mas precisa ter vigilância constante. Do contrário, não sei se é possível ir até o fim – avalia o morador.

Prioridade da gestão

Titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte (Smdse), Nádia Gerhard diz que as Estações Cidadania são uma das prioridades da sua gestão. Segundo ela, o foco inicial foi no espaço da Restinga, onde os trabalhos esperavam havia mais tempo por conclusão. Entretanto, desde a entrega na Zona Sul, os olhos da secretaria voltaram-se ao trabalho na Zona Leste.

– Existe disputa judicial com a empresa que abandonou a obra em 2017. Mesmo assim, fizemos uma nova licitação e reiniciamos o trabalho – explica a secretária. 

Nádia diz que a Smdse realiza reuniões semanais para discutir o andamento do cronograma e evitar problemas que possam interromper os trabalhos. De momento, o principal objetivo é entregar o espaço aos moradores até 24 de março de 2020, data estampada na placa instalada no espaço.

– Já trabalhei na Lomba do Pinheiro, no 19º Batalhão da BM. Sei como aquele bairro carece de espaços de lazer. Precisamos que a comunidade, principalmente os jovens, se utilizem dos serviços que serão oferecidos na Estação Cidadania – deseja Nádia, que atuou na BM por 27 anos e hoje é tenente-coronel da reserva.

 PORTO ALEGRE -RS - BR - 08.10.2019Retomada de obras no CEU da Lomba do Pinheiro.FOTÓGRAFO; TADEU VILANI AGÊNCIARBS Editoria DG
Previsão de conclusão em março de 2020Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Ficha técnica da obra

- O que: Estação Cidadania Lomba do Pinheiro
-  Onde: Estrada João de Oliveira Remião, 5.673, Lomba do Pinheiro
- Estágio da obra: 50% da obra concluída
- Capacidade: 3 mil pessoas
- Quando parou: maio de 2017. Os trabalhos foram retomados há duas semanas, com previsão de término em março de 2020
- Valor já investido na obra: R$ 1,46 milhão
- Total a ser investido na obra: R$ 2,293 milhões
- Origem dos recursos: R$ 2,020 milhões do Ministério da Cultura e R$ 273,3 mil da prefeitura


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros