Após espera de quase mil dias, idoso de Porto Alegre consegue consulta e tem cirurgia marcada - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso14/10/2019 | 10h14Atualizada em 14/10/2019 | 10h14

Após espera de quase mil dias, idoso de Porto Alegre consegue consulta e tem cirurgia marcada

O drama do aposentado Antonio Carlos de Almeida, que precisa da cirurgia vascular de varizes, chegará ao fim no início do ano que vem

Após espera de quase mil dias, idoso de Porto Alegre consegue consulta e tem cirurgia marcada Arquivo pessoal/Arquivo pessoal
Tranquilidade com marcação da cirurgia Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

— Não estou mais com aquela preocupação. Agora, posso ficar tranquilo. 

Assim se sente o metalúrgico aposentado Antonio Carlos de Almeida, 66 anos, morador do bairro Jardim Leopoldina, em Porto Alegre. Sofrendo com dores causadas por varizes na perna esquerda — problema de saúde que ocorre devido ao desgaste das válvulas que direcionam o fluxo sanguíneo, gerando acúmulo de sangue nos canais —, ele esperou durante 989 dias por uma consulta na especialidade de “cirurgia vascular varizes”.

LEIA MAIS
Morador de Taquara espera por instalação de energia elétrica há cinco meses
Em São Leopoldo, ampliação de posto de saúde fica pela metade
Na luta rumo ao mundial de Caratê: atleta de Guaíba precisa de apoio para competir  

Duas semanas 

Em 31 de julho deste ano, o DG mostrou o drama do aposentado, que aguardava desde 29 de novembro de 2016 pela avaliação do especialista, após encaminhamento feito pela Unidade de Saúde (US) Jardim Leopoldina. À época da reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre explicou que a demora foi causada pela grande demanda reprimida na especialidade requerida e informou que o idoso deveria ser chamado para agendar o atendimento dentro de alguns dias. 

Conforme prometido, em 15 de agosto — duas semanas após a publicação da matéria —, Antonio finalmente consultou com o cirurgião, na Associação Hospitalar Vila Nova, mais conhecida como Hospital Vila Nova, em Porto Alegre. 

seu problema é nosso , resolvido , Antonio Carlos de Almeida , jardim leopoldina, porto alegre, cirurgia varizes
Encaminhamento mostra dada do agendamentoFoto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

— Na mesma semana me ligaram para marcar. Já estava havia muito tempo na fila, e o jornal me ajudou muito. Se soubesse que seria assim, tão rápido, teria procurado o Diário Gaúcho antes. Até mesmo outra consulta que eu estava aguardando, também há mais de um ano, com urologista, foi marcada — relata Antonio. 

Após a consulta com o especialista, Antonio foi encaminhado para realizar a cirurgia para retirada das varizes. O procedimento está marcado para o dia 6 de janeiro de 2020, às 8h, também no Hospital Vila Nova. 

Agora, o idoso, que precisava utilizar meias de compressão para aliviar o desconforto causado pelas varizes e lamentava o fato de, por isso, não poder mais vestir bermudas, está ansioso para aproveitar a vida após a operação. Feliz, ele se mostra satisfeito com a aproximação do fim definitivo da espera pelo tratamento. 

— O atendimento no hospital foi muito bom. Não vejo a hora de me operar, pois foram quase três anos esperando (apenas pelo encaminhamento). Todas as pessoas que conheço, operadas lá (no Hospital Vila Nova), me disseram que gostaram, comentaram que é muito bom. Estou bem faceiro e confiante. Depois da cirurgia, serão 30 dias de repouso e, aí, terei vida nova — comemora o aposentado. 

Mudanças para diminuir espera 

Questionada sobre o motivo da demora na realização da consulta, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Porto Alegre informou, por meio de nota, que, entre as patologias vasculares atendidas na especialidade, o quadro de varizes é considerado menos urgente por não apresentar risco de vida. De acordo com a pasta, “casos graves como isquemia arterial e diabéticos são priorizados por gerarem riscos graves em cirurgia vascular”. 

Segundo a SMS, mudanças no sistema de classificação dos pacientes foram feitas para qualificar o atendimento, diminuindo o tempo de espera. Anteriormente, os casos eram classificados por ordem de chegada e, agora, a classificação é feita de acordo com as condições de saúde de cada usuário, por meio do Sistema de Gerenciamento de Consultas. A medida deve trazer mais agilidade para as demandas da especialidade. 

Produção: Camila Bengo 

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros