Morador de Canoas segue aguardando por uma ressonância magnética  - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso04/10/2019 | 08h45Atualizada em 04/10/2019 | 08h45

Morador de Canoas segue aguardando por uma ressonância magnética 

Jorge teve o encaminhamento para o exame há mais de um ano. Contudo, a prefeitura ainda não agendou o procedimento

Morador de Canoas segue aguardando por uma ressonância magnética  Arquivo pessoal/Arquivo pessoal
Um mês e nenhum contato da prefeitura Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Há um mês, o comerciário desempregado Jorge Luciano Passos Lucas, 43 anos, morador do bairro Niterói, em Canoas, espera por uma ligação que nunca vem. Aguardando desde 27 de junho de 2018 pela realização de uma ressonância magnética da coluna lombo-sacra no Hospital Universitário (HU), em Canoas, Jorge teve o drama de sua espera — que já ultrapassava um ano — relatado pelo DG no dia 4 de setembro deste ano

LEIA MAIS
Após matéria no Diário Gaúcho, paciente consegue transporte para ir à hemodiálise
Contêineres de lixo impedem acesso a vagas preferenciais em Porto Alegre
Estudo à noite e venda de paçoca nas ruas durante o dia: morador de Alvorada sonha em abrir padaria 

À época da reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde de Canoas, responsável pela gestão do HU, informou que entraria em contato com o paciente para agendar o exame. Contudo, um mês se passou e o telefone de Jorge ainda não tocou. Desacreditado, ele permanece aguardando pela realização do procedimento. 

“Insuportável” 

— Falaram para o jornal que entrariam em contato, mas nem o hospital nem a prefeitura me procurou. Quando prometeram, fiquei esperançoso, pois já fazia tanto tempo que estava esperando.  Porém, eles dizem uma coisa e não cumprem — afirma Jorge. 

Com hérnia discal na região da coluna lombo-sacra — desgaste nos discos intervertebrais, que comprime as raízes nervosas da coluna —, Jorge sofre com as dores causadas pelo problema de saúde. O tratamento, porém, depende da realização do exame para avançar. Diante da demora, ele relata que  a situação piorou: 

— Tem dias em que não consigo levantar da cama. Tenho medo que chegue ao ponto de eu não conseguir mais caminhar. Daqui a pouco, vou estar de cadeira de rodas. Não aguento mais a dor, é insuportável e já está afetando outras partes do corpo. 

Toda semana 

Inconformado, Jorge conta que tenta contatar a Secretaria de Saúde para esclarecer os motivos da demora todas as semanas. Contudo, nunca consegue uma resposta acerca do problema. 

— Às vezes, chego a ligar 15 vezes, e nunca atendem. Para eles (prefeitura), a gente não é cidadão. Parece que só somos cidadãos na hora de dar nosso voto. Gostam de fazer propaganda dizendo que a saúde de Canoas é a melhor que tem, mas isso é uma mentira, pois está horrível — desabafa Jorge. 

Silêncio da prefeitura 

Contatada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde de Canoas (SMS), responsável pela gestão do Hospital Universitário, não se manifestou até o fechamento da edição. Questionada acerca dos motivos da demora para realização do exame e do porquê de Jorge não ter sido contatado para agendar o procedimento, conforme prometido ao DG em 4 de setembro, a pasta não deu nenhuma informação. 

Produção: Camila Bengo

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros