Galerias quebradas e calçadas esburacadas geram transtornos na Zona Leste da Capital - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso26/12/2019 | 09h55Atualizada em 26/12/2019 | 11h21

Galerias quebradas e calçadas esburacadas geram transtornos na Zona Leste da Capital

Em dias chuvosos, a água se une aos resíduos do esgoto e se espalha pela rua, formando uma cachoeira pelo passeio

Galerias quebradas e calçadas esburacadas geram transtornos na Zona Leste da Capital Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Passeio está afundando Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Desde 2018, o motorista desempregado José Carlos da Silveira Domingues, 63 anos, abre protocolos para tentar resolver os problemas nas galerias subterrâneas da Rua João Bonumá, bairro Coronel Aparício Borges, em Porto Alegre. De acordo com ele, os canos de esgoto cloacal estão quebrados, fazendo a calçada ceder. Por conta disso, os moradores estão sofrendo com os transtornos que a situação causa: 

— Não dá para andarmos nas calçadas, temos medo de cair e nos machucarmos — desabafa José. 

LEIA MAIS
Após reportagem, projeto recebe doação de instrumentos profissionais
Socorristas voluntários de Gravataí buscam recursos para construir sede
Presentão de Natal: família Duarte consegue reconstruir casa destruída em vendaval

Além das crateras, em dias chuvosos, a água se une aos resíduos do esgoto e se espalha pela rua, formando uma cachoeira bem em frente à casa do motorista desempregado. 

Desde 2018 o motorista desempregado José Carlos Da Silveira Domingues, 63 anos, abre protocolos para tentar resolver os problemas nas galerias subterrâneas da Rua João Bonumá, bairro Coronel Aparício Borges, em Porto Alegre. De acordo com ele, os canos de esgoto cloacal estão quebrados, fazendo a calçada ceder<!-- NICAID(14368331) -->
Quando chove, vira uma cascataFoto: arquivo pessoal / Arquivo pessoal

A visita de animais como ratos e alguns insetos também era frequente, de acordo com José, porém, ao entrar em contato com a prefeitura pedindo uma providência sobre isso, a resposta foi rápida: uma semana após a solicitação, em novembro deste ano, uma equipe da prefeitura foi até o local aplicar veneno nas bocas de lobo. 

Protocolos 

Entretanto, os protocolos que foram emitidos desde 2018, pedindo a manutenção das galerias, ainda não foram atendidos. José diz que, ao entrar em contato com a prefeitura pedindo esclarecimentos, ela informa que no sistema a solicitação consta como atendida. O protocolo 253572-18-29, aberto em 1° de outubro de 2018, é exemplo dessa situação, pois foi respondido pela prefeitura como já executado, mesmo o morador garantindo que nenhuma obra foi feita no local desde que o problema começou. 

Além de José, outros vizinhos também estão sendo prejudicados pela situação. De acordo com ele, há um morador que utiliza muletas que também possui dificuldade em se locomover pela rua. 

Para que ninguém se machucasse, os moradores resolveram colocar galhos de árvore sob os buracos. José conta que está chateado com a situação, que parece nunca se resolver: 

— A gente paga os impostos certinhos. Quando precisamos da prefeitura, não temos nada. É revoltante. 

Desde 2018 o motorista desempregado José Carlos Da Silveira Domingues, 63 anos, abre protocolos para tentar resolver os problemas nas galerias subterrâneas da Rua João Bonumá, bairro Coronel Aparício Borges, em Porto Alegre. De acordo com ele, os canos de esgoto cloacal estão quebrados, fazendo a calçada ceder<!-- NICAID(14368333) -->
Riscos aos pedestresFoto: arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Conserto previsto para essa semana 

Ao ser questionado, o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) informou que assumiu as demandas do antigo Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) em 1 º de maio deste ano e deparou com mais de 10 mil atendimentos de manutenções não realizados. O departamento garantiu que, atualmente, o número de protocolos em atraso já está reduzido em mais da metade. 

Ainda de acordo com o Dmae, no caso da Rua João Bonumá, há reclamações que constam sem atendimento e um protocolo foi dado como concluído. O órgão esclareceu, porém, que irá averiguar o motivo do desencontro das informações internas. Sobre a demanda de reconstrução da canalização pluvial na via, o Dmae comunicou que está programado para ser realizado ainda esta semana. 

Produção: Thayná Souza 

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros