Cruzamento no limite entre Porto Alegre e Viamão está confuso há décadas - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso04/02/2020 | 10h04Atualizada em 04/02/2020 | 10h17

Cruzamento no limite entre Porto Alegre e Viamão está confuso há décadas

Sem semáforo, o entrocamento é cenário de congestionamentos e acidentes

Cruzamento no limite entre Porto Alegre e Viamão está confuso há décadas Tadeu Vilani/Agencia RBS
Entrocamento é bem movimentado, principalmente, em horários de pico Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Passaram-se anos, e o cruzamento da Avenida Protásio Alves, em Porto Alegre, com a Estrada Caminho do Meio e a Avenida Paraíso, em Viamão, segue com o mesmo problema: a falta de sinalização. As vias têm a forma de um “T” no limite entre os municípios. 

LEIA MAIS
Banda comunitária de Viamão precisa de apoio para a compra de novos figurinos
Galeria de esgoto e calçamento recebem reparos após publicação no Diário Gaúcho
Fechamento de UBS preocupa moradores de Canoas 

O Diário Gaúcho mostrou duas vezes a mesma situação, em 2004 e 2009, quando usuários das vias reclamavam da falta de sinalização e de um semáforo no local. 

— Faz 60 anos que moro perto, já presenciei acidentes e congestionamentos. Há alguns anos, uma sinaleira foi instalada, mas, em menos de um ano, foi retirada pela EPTC. Não sei o motivo — relembra o servidor público aposentado Luiz Egdar Machado, 65 anos. 

Ele procurou a prefeitura da Capital. Contudo, foi orientado a buscar a EPTC. Luiz conta que em horários de pico, como antes das 7h, o local tem movimento intenso: 

— Os motoristas ficam confusos, porque vem carro da Avenida Paraíso para entrar na Protásio, e quem vem do Caminho do Meio tem que esperar. Tranca tudo para quem vai de Viamão a Porto Alegre. 

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 31/01/2020- O cruzamento entre a divisa de Porto Alegre, Viamão e Alvorada é motivo de preocupação para moradores da região. Não há sinaleira no local, nem sinalização. Em horário de pico, o trânsito fica confuso e frequentemente acontecem colisões. Na foto - Luiz Machado. (FOTOGRAFO: TADEU VILANI / AGENCIA RBS)<!-- NICAID(14404342) -->
Cruzamento preocupa o moradorFoto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Acidentes 

A assistente administrativa desempregada Jéssica Souza, 19 anos, também se incomoda: 

— É uma rota de muitos carros, ônibus, táxis e vans escolares. Além disso, para quem quer atravessar, como os alunos, é complicado. 

Assim como Luiz, Jéssica presenciou um acidente no trecho. 

— Uma vez, eu estava no ônibus e uma moto não parou no cruzamento e bateu na lateral do ônibus — conta. 

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 31/01/2020- O cruzamento entre a divisa de Porto Alegre, Viamão e Alvorada é motivo de preocupação para moradores da região. Não há sinaleira no local, nem sinalização. Em horário de pico, o trânsito fica confuso e frequentemente acontecem colisões. (FOTOGRAFO: TADEU VILANI / AGENCIA RBS)<!-- NICAID(14404349) -->
A responsabilidade do trecho é de Porto AlegreFoto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Sem previsão de novo semáforo

Procurada pela reportagem, a Empresa Pública de Trânsito de Viamão (EPTV) afirmou que o trecho é de responsabilidade de Porto Alegre. A EPTC confirmou a informação. 

Questionada sobre o semáforo que foi retirado do cruzamento, a EPTC declara que o equipamento “foi instalado em 2012, em razão da obra na ponte de limite com Viamão, e foi retirado após a conclusão da mesma”. O órgão destaca que a “ponte estava com bloqueio de meia pista (parcial), passando um sentido do fluxo por vez, e o semáforo regrava o trânsito”. 

Em relação a novos projetos para o local, a EPTC afirma que, “para embasar estudo técnico”, são realizadas contagens — ou seja, observação e análise do tráfego. Desta forma, “será determinada a melhor solução de projeto de qualificação para a mobilidade e a segurança do local”. 

Segundo o órgão, os motoristas devem seguir as orientações atuais, sendo a preferência no cruzamento para a Protásio Alves, conforme placas de “Pare” instaladas na Paraíso. A EPTC não deu previsões para melhorias e salientou que um “projeto está em estudo”. 

Produção: Caroline Tidra

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros