Em desenhos, crianças transmitem mensagens de esperança - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso06/04/2020 | 16h41Atualizada em 06/04/2020 | 16h57

Em desenhos, crianças transmitem mensagens de esperança

Campanha envolve alunos de escola de Charqueadas que estão em isolamento social em função da pandemia de coronavírus

Em desenhos, crianças transmitem mensagens de esperança Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Giovanna dá o recado: é preciso se cuidar Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Em tempos de confinamento em casa, devido à pandemia de coronavírus, alunos da Escola Municipal de Ensino Infantil Flora Luzia Heberle, de Charqueadas, espalham uma mensagem de esperança nas redes sociais com desenhos. A ideia partiu da vice-diretora da escola, Luciane Pires Soares, 49 anos, inspirada no exemplo de crianças italianas.

– Se nós, adultos, já não temos o que fazer, imagine crianças sem a escola? Vemos tantas coisas negativas, pessoas doentes, notícias de mortes, é uma parte ruim de estar em casa. Mas as crianças são sinônimo de esperança – explica. 

LEIA MAIS  
Situação resolvida em São Leopoldo: terreno recebe limpeza no Arroio da Manteiga
Porto Alegre: atividades pela internet ajudam a enfrentar o isolamento social
Em tempos de pandemia, falta de água provoca transtornos em Gravataí

Segundo Luciane, com a intenção de colorir as redes, a frase escolhida para compor o desenho é “Vai ficar tudo bem”. É a mesma usada na ação #juntoscontraovírus, campanha do Grupo RBS. 

– Todos os dias, chegam desenhos para serem publicados na página da escola. Outros colégios começaram a fazer também. É uma forma de ocupar o tempo enquanto as escolas estão fechadas – conta Luciane. 

Criatividade

Na Itália, além de serem compartilhados nas redes sociais, os desenhos também foram pendurados nas janelas como forma de transmitir a mensagem para quem passasse na rua.

Seu Problema é Nosso , spn , escola de charqueadas , desafio vaificartudobem , José Lucas de Azevedo Chimendes
José adorou a atividadeFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Arco-íris, casinhas, bichinhos e flores foram os símbolos escolhidos pelos alunos como imagens de esperança. A vendedora Ariana Pereira de Azevedo, 30 anos, conta que o filho José Lucas de Azevedo Chimendes, quatro anos, gostou muito:

– Ele adora pintar e de estar em casa pois, desde muito pequeno, frequenta a escola. Para ele, estar em casa é como férias, mas sempre explico que não é. Quando voltar ao normal, vamos ter que nos adaptar de novo, mas o lado positivo é ele gostar de estar perto dos coleguinhas.

A entrevistadora da assistência social Cátia Soares de Lima, 38 anos, relata que a filha Giovanna Soares Silveira Lima, cinco anos, usou quatro folhas de ofício para fazer um desenho grande e que pudesse pendurar na parede. A menina é aluna de outra escola em Charqueadas, a Pio XII, pois já está no pré 2. 

– Quando a vice-diretora Luciane me mandou uma mensagem para participar da campanha, Giovanna ficou muito empolgada! Ela desenhou um trem, um arco-íris e um coração com máscara de proteção. Quis mostrar que o pessoal tem que se cuidar – conta Cátia. 

Seu Problema é Nosso , spn , escola de charqueadas , desafio vaificartudobem , Sofia castro alves de lima
Sofia, três aninhos, desenha o seu recado...Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal
Seu Problema é Nosso , spn , escola de charqueadas , desafio vaificartudobem , Sofia castro alves de lima
... e o mostra, depois de prontoFoto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Para a recepcionista Valéria Castro Alves, mãe de Sofia de Castro Alves Lima, três anos, é preciso ter criatividade para entreter as crianças:

– A cada dia que passa, a gente procura novidades para fazer em casa. Brincamos bastante. Achei legal a ação da escola, e se quiserem mandar mais sugestões para fazer em casa, serão bem-vindas. 

Atividades para pais e filhos

Para diminuir o tédio no tempo livre, muitas pessoas compartilham brincadeiras, atividades e desafios para fazer em grupo nas redes sociais. Os pais podem se utilizar delas para pegar ideias. Confira algumas atividades fáceis, econômicas e divertidas que podem ser feitas durante a quarentena.

/// Cozinhar em família: levar as crianças para a cozinha é uma boa oportunidade de integrá-las às atividades da casa. Os pequenos podem ajudar quebrando ovos para um bolo ou até pondo a mão na massa para fazer biscoitos, pães e pizzas. Preparar uma salada de frutas, por exemplo, pode ser bom para que descubram novos sabores e consumam alimentos saudáveis.

/// Montar acampamento: improvisar um acampamento com cabanas de lençol na sala e almofadas pelo chão pode gerar entretenimento por bastante tempo. Para melhorar a brincadeira, faça um piquenique com toalha colorida, frutas e biscoitos.

/// Cultivar plantas e hortaliças: o confinamento pode ser um bom momento para começar a cultivar uma planta ou um tempero. Crianças adoram mexer com a terra, e ter uma plantinha ensina sobre cuidado, além de ser uma oportunidade de acompanhar o ciclo de vida de um vegetal. Quem mora em apartamento pode montar uma pequena horta na varanda ou na área de serviço, por exemplo.

/// Fazer bolinhas de sabão: uma brincadeira simples que sempre agrada são as bolinhas de sabão. Dá para preparar a mistura em casa, com água e detergente, e confeccionar moldes com arame ou barbante para brincar na varanda, no pátio ou até mesmo na janela. Na internet também há receitas caseiras de slime, massinha de modelar e tinta. São coisas que os pequenos adoram e estimulam a criatividade.

/// Inventar um brinquedo: no universo infantil, qualquer objeto pode se tornar um brinquedo. Papéis, rolos de papel higiênico, retalhos de tecido, garrafas pet, tampas e caixas podem ser reaproveitados e ganhar outro significado nas mãos das crianças, tornando-se um carrinho, um robô ou uma cabana. Estimule.

/// Ouvir histórias: crie um momento do dia para a contação de histórias. Se a leitura em voz alta não for a sua praia, busque no YouTube canais de contadores de histórias e assista com seus filhos. Além dos livros, você pode narrar aventuras da sua própria infância, lembrando de fatos divertidos.

/// Viajar pelo mundo: hoje é possível conhecer museus no mundo inteiro com o auxílio da tecnologia. Basta uma busca rápida na internet para achar dezenas de locais que oferecem visitas virtuais e explorar os acervos gratuitamente sem sair de casa.

/// Chamadas de vídeo: a dimensão social é muito importante para as crianças, que estão acostumadas a conviver com seus pares, seja na escola ou no condomínio. Promova encontros virtuais com colegas e familiares mais próximos sempre que for possível.

/// Jogos e filmes antigos: aproveite o momento para apresentar aos seus filhos filmes, seriados e brincadeiras da sua infância – sempre respeitando a faixa etária, é claro. Jogos como cinco marias, amarelinha e stop são bons para passar o tempo. Lembre-se que, para eles, a vida menos tecnológica é algo incomum e desperta a curiosidade. Mostre vídeos e álbuns de fotografia antigos.

/// Meditação: meditar estimula a respiração de forma correta e a concentração. E dá para começar com pequenas doses. Proponha ao seu filho ficar em silêncio por um minuto prestando atenção aos barulhos externos, e depois converse sobre o que ele ouviu. Outra forma é pedir para que a criança faça algumas respirações profundas para perceber a vibração do próprio coração.

Produção: Caroline Tidra

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso   


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros