Restaurantes populares de Porto Alegre passam a oferecer  refeições em marmitas - Notícias

Versão mobile

 
 

Para evitar aglomerações03/04/2020 | 05h00Atualizada em 03/04/2020 | 05h00

Restaurantes populares de Porto Alegre passam a oferecer  refeições em marmitas

Serviço no local está mantido, mas os usuários que têm essa possibilidade podem levar a comida para casa

Restaurantes populares de Porto Alegre passam a oferecer  refeições em marmitas Omar Freitas/Agencia RBS
Funcionários usam luvas e máscara, e entregam a refeição aos usuários Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

Desde o início das ações para evitar a propagação do coronavírus, os dois restaurantes populares de Porto Alegre, que servem refeições gratuitas a pessoas vulneráveis e em situação de rua, passaram a trabalhar com o sistema de marmitas. A medida foi tomada para reduzir o número de frequentadores que circulam nos salões dos restaurantes, que ficam no Centro e na Vila Cruzeiro. As pessoas que possuem algum lugar para ficar podem levar sua refeição. 

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Os demais seguem sendo atendidos nos restaurantes. Porém, a lotação máxima é de três pessoas por mesa – antes, era de até 10. Foram colocadas pias para a higienização das mãos e álcool gel está disponível. 

– A limpeza dos banheiros e das mesas também foi intensificada – explica Carolina Breda Resende, coordenadora da Unidade de Segurança Alimentar da Secretaria de Desenvolvimento Social e Esporte. 

Segundo Niles Kael, presidente da  Associação Beith Shalom, responsável pela administração dos locais, no restaurante da Cruzeiro, cerca de 90% dos frequentadores utilizam a marmita.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 02/04/2020- Restaurantes populares estão distribuindo marmitas para evitar que pessoas almocem lá dentro. É mais um comportamento que reflete o impacto do coronavírus nos nossos hábitos. Foto: Omar Freitas / Agencia RBSIndexador: Omar Freitas
No lado de dentro, espaço entre os frequentadores é respeitadoFoto: Omar Freitas / Agencia RBS

– Lá, o público é diferente da unidade do Centro. Temos muitos aposentados, pessoas que, no geral, têm para onde levar essa comida. Então, eles aderiram mais à marmita. Já na unidade da Rua Garibaldi, há mais pessoas em situação de rua. Então, cerca de 50% dos usuários ainda fazem a refeição no local – explica.

Outra medida adotada é a orientação para que os idosos, que fazem parte do grupo de risco para o coronavírus, sejam atendidos logo que o restaurante abre.

Leia também
Inspiradas em Fábio Verçosa, ex-integrantes da corte da Capital criam ação solidária
Marchezan decreta calamidade pública e prorroga medidas de restrição em Porto Alegre até 30 de abril
Governo gaúcho prorroga suspensão de aulas até o final de abril

– Estamos trabalhando para seguir todas as orientações oficiais de prevenção – diz Niles.

Movimento

Nas últimas semanas, o movimento no restaurante do Centro manteve-se estável – são servidas 300 refeições por dia. Na Cruzeiro, porém, a procura aumentou – o número de almoços passou de 150 para 200.

– Nos bairros, a população fica mais vulnerável às mudanças que a crise causa – explica Carolina.

 PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 02/04/2020- Restaurantes populares estão distribuindo marmitas para evitar que pessoas almocem lá dentro. É mais um comportamento que reflete o impacto do coronavírus nos nossos hábitos. Foto: Omar Freitas / Agencia RBSIndexador: Omar Freitas
Na unidade do Centro, metade das refeições é servida no novo formatoFoto: Omar Freitas / Agencia RBS

Outro papel desempenhado por quem trabalha nos locais é o da informação.

– Observamos que, no geral, o público dos restaurantes sabe o que está acontecendo e a importância da prevenção, pelo menos o mínimo. Para aqueles que não sabem, nós reforçamos – diz Niles.

Cartazes com orientações foram colocados nos locais, e os funcionários têm máscaras e luvas à disposição. A capital possui dois restaurantes populares, batizados de Prato Alegre. Um fica no Centro, na Rua Garibaldi, 461. O outro está localizado na Rua Dona Otília, 210, na região da Vila Cruzeiro. As refeições são distribuídas gratuitamente a pessoas com cadastro na Fasc.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros