Conheça o bailarino profissional que, depois de inovar no Carnaval, ganhou novos palcos - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Eu Sou do Samba25/06/2020 | 05h00Atualizada em 25/06/2020 | 05h00

Conheça o bailarino profissional que, depois de inovar no Carnaval, ganhou novos palcos

Salmo fazia parte de uma ala de pandeiros e tirava inspiração de vídeos da TV para criar coreografias

Conheça o bailarino profissional que, depois de inovar no Carnaval, ganhou novos palcos Isadora Neumann/Agencia RBS
Salmo realizou o sonho de viver da arte da dança Foto: Isadora Neumann / Agencia RBS
Liliane Pereira
Liliane Pereira

Entre 1999 e 2000, uma ala de pandeiros da Imperadores do Samba começou a chamar a atenção dos espectadores. O motivo é que, além da função tradicional de fazer malabarismos com o instrumento e dançar com as passistas, eles começaram a apresentar coreografias diferentes do que se costumava fazer na época. E um dos percussores dessa dança diferenciada foi Salmo Silva, 36 anos. Oriundo do Carnaval, hoje, ele é dançarino profissional e faz parte do balé do humorista Jair Kobe, o Guri de Uruguaiana.          

Salmo sempre gostou de dançar. Para criar os passos para a ala de pandeiros, começou a observar clipes na TV.

– Comecei a testar possibilidades. Com as danças que aprendia vendo os vídeos, eu deixava fluir minha imaginação. Com a criação de novos passos, fui ganhando o incentivo dos guris da ala e, aos poucos, fui assumindo essa responsabilidade de apresentar novas propostas para serem o diferencial em nossas apresentações no Carnaval – conta o bailarino.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

Até esse momento, apesar do trabalho sério, tudo era mais divertimento, pois a ala de pandeiros não tinha obrigatoriedade de ser coreografada. A primeira grande responsabilidade de Salmo em coreografar um grupo foi em 2006, quando ele ficou responsável pela comissão de frente da escola Copacabana.

– Fui indicado pelo Nilton Pereira, o Mestre Nilton. Ele apostou em mim para ser o coreógrafo da comissão de frente. Aquele ano foi um divisor de águas na minha vida. A partir de 2007, comecei a minha busca por especializações e pesquisas dentro do cenário artístico – relata Salmo.

História

Em 2013, o também dançarino Felippe Brazeiro – que já tinha dançado com Salmo na comissão de frente da Imperatriz Dona Leopoldina, em 2013, na qual recebeu o prêmio Personagens da Folia de melhor comissão, dado pelo Grupo RBS – indicou Salmo para fazer parte do elenco de Jair kobe.

A professora responsável pelo balé, Karen Ibias, também já tinha dado aulas de street dance para Salmo durante sua infância, na época de colégio. Tudo conspirou a favor.

– Tenho tido muitas oportunidades como parte deste elenco. Participei de clipes, conheci grande parte do Rio Grande do Sul e levei nossa arte para outros Estados – diz o dançarino.

Leia também
Escolas de samba promovem lives para informar e manter a proximidade com o público
Carnaval inspira mãe e filha a criarem grife na Capital
Gritamos faz muito tempo. Vocês é que não nos escutavam

Em relação ao Carnaval, Salmo conta que essa cultura abriu sua mente para a inserção social e cultural.

– É um grande universo, com muitas possibilidades para quem quer ser um profissional no mundo do samba. Mas, pra isso, tem que vivenciá-lo na sua totalidade e buscar qualificações para gerar melhorias na cultura popular. Com as coreografias para as escolas de samba de Porto Alegre, fui conquistando outros espaços – afirma ele, que segue:

– O Carnaval é um grande palco que me projetou todos esses anos, e eu amo apresentar novos dançarinos à nossa cultura e fazer essa fusão de todas as culturas nesse grande espetáculo.

A lista de escolas do currículo de Saulo é grande: Estado Maior da Restinga, Imperatriz Dona Leopoldina, Império da Zona Norte, Unidos do Capão, Unidos de Vila Isabel, Estação Primeira de São Léo, Acadêmicos do Rio Branco – estas últimas, em São Leopoldo – Saímos Sem Querê, em Arroio do Sal, e já foi contratado, inclusive, por uma agremiação uruguaia: a Escuela de Samba Barrio Rampla, que desfila no Carnaval de Artigas.

Notas

VARAL SOLIDÁRIO — A escola de samba Filhos de Maria, juntamente com a ala Agora que São Elas, vai realizar um varal solidário para arrecadar roupas para doação neste domingo. Rua Barcelona, 35, parada 13, Lomba do Pinheiro. Passa lá e deixa tua contribuição!


MARMITA — A Vila Isabel está arrecadando alimentos para seguir realizando o projeto marmita Solidária, que distribui marmitas para a comunidade. A terceira edição acopntece neste domingo. Serão distribuídas cem senhas, das 11h às 12h, na quadra da escola. Rua Marcelino Pacheco, 169-205, Santa Isabel, Viamão. Se você quer ser parceiro deste projeto e contribuir com alguma doação, entre em contato com Marcos pelo 51 99311-0213 ou Paulo pelo 51 98322-1558.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros