Novo anexo a hospital de Porto Alegre inicia operação - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Mais vagas15/06/2020 | 21h37Atualizada em 15/06/2020 | 21h37

 Novo anexo a hospital de Porto Alegre inicia operação

Unidade inicialmente dedicada exclusivamente a casos de covid-19 tem 60 leitos de média e baixa complexidade 

No momento em que a curva de ocupação dos leitos cresce, Porto Alegre abre as portas de uma nova estrutura construída para atender, inicialmente, exclusivamente pacientes com covid-19. Na manhã desta segunda-feira (15), os profissionais de saúde iniciaram a operação do espaço de 1,1 mil metros quadrados que resguardam os 60 leitos de internação da nova área do Hospital Independência. O primeiro paciente é aguardado à tarde, a partir das 13h.

Ansiosa após duas semanas de preparação, a enfermeira Viviane Silva de Lacerda, 42 anos — há 12 na profissão — chegou ao Independência encaminhada de outra instituição. Com máscara e escudo facial, ela deixa escapar no canto da boca a alegria de contribuir durante a pandemia.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

— É o momento de realização da profissão, da percepção de fazer a diferença — afirma ao sair do novo prédio, erguido em 30 dias na área do estacionamento da instituição.

Ao todo, cem pessoas foram contratadas para a operação, entre médicos, enfermeiros e setores administrativos. 

A fita verde de inauguração foi descerrada às 10h30min, com presença de autoridades da área da saúde e dos investidores que bancaram a obra de R$ 10,4 milhões, os grupos Ipiranga, Gerdau, Zaffari e Hospital Moinhos de Vento. 

No discurso de inauguração, o prefeito Nelson Marchezan agradeceu aos empresários, que “decidiram destinar dinheiro em um momento de crise”. Ele reforçou ainda que as medidas tomadas na cidade são fruto de estudos, citando, com ênfase, que “tiranas e ditatoriais são as decisões tomadas sem evidência científica”, um recado aos críticos às imposições decretadas para frear a disseminação do coronavírus.

— Não pode haver achismo — complementou.

Inicialmente somente pessoas com coronavírus serão atendidos no novo espaço, leitos que serão incorporados as vagas SUS do município após a pandemia ser controlada. Nesta tarde os protocolos passarão por uma espécie de “teste com pacientes”, como definiu o diretor técnico do Hospital Independência, Ângelo Chaves. A chegada de novos contaminados será determinada pelo setor de regulação de leitos da Secretaria Municipal da Saúde.  

Leia também
Prefeitos da Região Metropolitana e do Vale do Sinos vão debater medidas conjuntas contra coronavírus
Grupo de empreendedoras da Restinga se une para criar estratégias e enfrentar a crise
Entenda o que muda nas regras de distanciamento controlado no Estado

Os atendimentos serão de baixa e média complexidade, para acompanhamento de saúde de pacientes que tiverem evolução do quadro em instituições de referência, após alta da UTI. Desde 6 de junho, o número de internos em unidades de tratamento intensivo, com coronavírus confirmado, saltou de 46 para 77 — somadas todas as comorbidades, a ocupação das UTI na Capital alcançou 77%. O secretário da Saúde de Porto Alegre, Pablo Sturmer, celebrou a nova estrutura, em meio a piora no ranking:

— É um dia de grande esperança.

O espaço é gerido pela Sociedade Sulina Divina Providência. A presidente da instituição, irmã Inês Pretto, citou um legado diferente ao receber a obra:

— Solidariedade é o legado que fica. Isso aqui mostra que somos capazes de sermos solidários, de nos colocarmos no lugar de quem precisa ser ajudado.  

Mesmo não sendo de alta complexidade, os leitos têm monitor de última geração e acesso a oxigênio. Há ainda salas de isolamento, com inversor de ar, que evita a mistura do ar do quarto com o ar do corredor e e raio X  móvel, que agiliza o atendimento sem ser necessário mover o paciente. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros