Vaquinha para trazer da África filha de ganeses que vivem em Portão ultrapassa objetivo inicial - Notícias

Versão mobile

 
 

Solidariedade04/09/2020 | 20h51Atualizada em 04/09/2020 | 20h51

Vaquinha para trazer da África filha de ganeses que vivem em Portão ultrapassa objetivo inicial

Meta era arrecadar R$ 6 mil para pagar a passagem de Khadijah, mas campanha já alcançou R$ 7,7 mil

Vaquinha para trazer da África filha de ganeses que vivem em Portão ultrapassa objetivo inicial Arquivo Pessoal/Divulgação
Aness e Naida com a caçula, Leila, que nasceu no Brasil há dois meses Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Mais um capítulo da história de Aness Akanyachum, 25 anos, e Naida Adamu, 23, foi escrito com sucesso. Nesta sexta-feira (4), após a publicação no Diário Gaúcho, a vaquinha virtual para levantar a quantia necessária para trazer a filha mais velha do casal de Gana para o Brasil alcançou – e ultrapassou – o valor estipulado. Até as 19h desta sexta (4), o valor chegava a R$ 7.738,00 – a meta inicial era de R$ 6 mil. Na quinta, antes da reportagem, R$ 2,8 mil haviam sido arrecadados.

A origem da família é em Acra, capital de Gana, na África. Há cerca de oito anos, Aness viajou para o Brasil em busca de melhores oportunidades de trabalho – o que não conseguia encontrar em sua terra natal. Deixou lá Naida e Khadijah, a primogênita do casal, hoje com nove anos, que ficou com a avó paterna. Em 2019, depois de anos juntando dinheiro, o auxiliar de serviços gerais, que se fixou em Portão, na Região Metropolitana, conseguiu trazer a esposa Naida para junto dele. Mas não Khadijah.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho

No início deste ano, com a esposa grávida da segunda filha do casal, Aness perdeu o emprego. Alguns meses depois, passou a receber a ajuda de voluntários, que criaram a vaquinha para tentar reunir a família novamente – atualmente, ele recuperou seu trabalho como auxiliar de serviços gerais e a filha caçula, Leila, está com dois meses. 

Viagem

Com o dinheiro arrecadado, o casal pretende pagar a passagem da menina. Ela deve viajar com um amigo da família, também ganês, que mora no Brasil, está em Gana e pretende retornar em outubro. Segundo Aness, os documentos de Khadijah já foram encaminhados.

Khadijah, filha de Aness Akanyachum, 25 anos, e sua esposa, Naida Adamu, 23. Voluntários organizam vaquinha para trazer de Gana a filha mais velha do casal, Khadijah
Khadijah vive em Gana com a avóFoto: Arquivo Pessoal / Divulgação

– Eu olhei a vaquinha e tinha passado dos R$ 6 mil. Depois, alcançou os R$ 7 mil. Muito obrigado para todo mundo que fez isso, a quem fez a vaquinha para nós, e quem ajudou para trazer minha filha. Deus abençoe, e espero que Deus dê muito de volta para todas as pessoas que ajudaram – disse o ganês, emocionado.

Leia também
Após reportagem, projeto de distribuição de almoços passa a atender 500 pessoas ao dia
Conheça Jorge do Bem, caminhoneiro que usa seu tempo livre para consertar e doar cadeiras de rodas
Lições de vida e de empreendedorismo saem do forno na Vila Timbaúva, zona norte de Porto Alegre

Apesar do sotaque carregado, Aness entende bem e se comunica em português. Ele manda um recado de Naida para todos os leitores que contribuíram:

– Minha mulher está muito feliz também. Ela olhou tudo, e pediu para eu falar para todos um muito obrigado.

A vaquinha ainda está disponível. Para doar, é preciso acessar o site vaka.me/1189131.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros