Ônibus adaptados voltam a circular em bairro de Novo Hamburgo e cadeirante comemora - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Problema resolvido12/05/2017 | 08h26Atualizada em 12/05/2017 | 08h26

Ônibus adaptados voltam a circular em bairro de Novo Hamburgo e cadeirante comemora

Marli perdeu o emprego por conta da falta de acessibilidade no transporte público da cidade

Ônibus adaptados voltam a circular em bairro de Novo Hamburgo e cadeirante comemora Arquivo pessoal/Leitor/DG
Foto: Arquivo pessoal / Leitor/DG

Após três anos passando dificuldades para conseguir transporte público e se deslocar do Bairro Jardim Rondônia, onde mora, até o Centro de Novo Hamburgo, a dona de casa cadeirante Marli Teresinha Nunes Monteiro, 55 anos, finalmente respira aliviada. Desde o dia 27 de abril, quando sua situação foi retratada pelo Diário Gaúcho, ônibus adaptados voltaram a circular na sua região.

Entre os problemas enfrentados pela moradora com a falta do coletivo, da linha Kroeff/Esmeralda, operado pela Viação Futura, está ela ter deixado o emprego em um ateliê de calçados, em 2014. Isso porque sempre chegava atrasada ao serviço – às vezes, sequer conseguia ir até lá.

Antes da publicação pelo DG, ela recorda que, em "dias de sorte", precisou esperar pelo menos três horas por um ônibus acessível – Marli já chegou a aguardar por mais de cinco horas. Sem o veículo, contava com a ajuda de algum cobrador ou motorista que ligasse para a garagem da empresa e pedisse um veículo com elevador em operação.

Leia mais
Moradores compram material, mas prefeitura não finaliza obra de pavimentação e esgoto em Viamão
Liberado sem perícia após furto, carro de morador de Sapucaia do Sul não pode circular há mais de dois anos
Em uma semana, falta de iluminação pública foi o assunto mais reclamado pelos leitores

Emprego

No mesmo dia da publicação, Marli foi procurada pela prefeitura de Novo Hamburgo, que garantiu a resolução do problema. A partir daquela quinta-feira, ônibus com elevadores acessíveis em funcionamento começaram a atender o trajeto da linha.

Com a situação do ônibus adaptado resolvida, Marli agora quer um emprego Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG

Nesta quinta-feira, enquanto esperava o coletivo no Centro de Novo Hamburgo para voltar para casa, Marli comemorou a resolução do problema:

— Agora está tudo certo, tenho ônibus para poder sair de casa e não ficar mais de três horas na parada. Só falta conseguir voltar a trabalhar também — conta ela, ainda em busca de emprego.


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 

Siga o Diário Gaúcho no Twitter

  • Anaamvs_Sanches

    Anaamvs_Sanches

    Ana Maria SanchesNão Vote na esquerda @diarioonline @DiarioPE @diario_gaucho @dconline @tribunadonorte @atribunasantos @tribunaceara… https://t.co/Gl84UJxDHhhá 2 horas Retweet
  • berrysroden

    berrysroden

    ana 6@aIishagirl pôster do diário gaúcho é o melhor, meu irmão tem vários socorrohá 2 horas Retweet
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros