Tubulação de esgoto é consertada depois de cinco meses, em Porto Alegre - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso01/06/2018 | 09h21

Tubulação de esgoto é consertada depois de cinco meses, em Porto Alegre

O drama de Iara e Armando foi contado pelo Diário em 16 de março, logo depois de uma tempestade ter atingido a Capital e aumentado o estrago que começou em dezembro de 2017

Tubulação de esgoto é consertada depois de cinco meses, em Porto Alegre Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Em dezembro (à esquerda), tudo quebrado. Há uma semana, tudo refeito (à direita) Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

O técnico em elevadores aposentado Armando Domingues da Silva, 81 anos, e a costureira Iara Teresinha Araújo da Silva, 72 anos, podem respirar aliviados. 

Leia mais
Falta de medicamento no Hospital Conceição, em Porto Alegre, prejudica paciente do Interior
Paciente fica sem medicamentos para tratar Hepatite C, em Sapucaia do Sul
Praça sofre com falta de capina e lixeiras em bairro de Porto Alegre 

O casal, que mora na Avenida Ipê, Vila Jardim, em Porto Alegre, estava, desde dezembro do ano passado, convivendo com os danos causados pelo rompimento da tubulação de uma galeria de esgoto pluvial — que passa pelo pátio de algumas casas da via. Mas, agora, tudo está consertado. 

— Foi um descanso para nós. Estávamos muito nervosos, mas, agora, podemos dormir tranquilos — explica Iara.

A força de duas tempestades fez com que uma enorme cratera se abrisse em seu quintal. O drama de Iara e Armando foi contado pelo Diário em 16 de março, logo depois de uma dessas tempestades ter atingido a Capital. Quando a tubulação se rompeu, abriu um enorme buraco, que foi se ampliando com o passar dos dias e deixando os idosos aflitos. 

Reparos 

A frustração era grande. Em janeiro deste ano, o casal entrou em contato com a prefeitura, três meses se passaram e eles não tinham tido um retorno. 

Moradores do local há 26 anos, se sentiam desassistidos, já que as manutenções da tubulação, de responsabilidade da prefeitura, são asseguradas pela taxa municipal de esgoto, paga mensalmente pelos moradores da cidade. 

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SMSUrb) explicou, por meio de sua assessoria de imprensa, que quatro intervenções foram feitas para consertar o pátio de Iara e Armando. Além de construir um poço de visita e substituir os canos da tubulação, foi feita a reconstrução dos muros, em alvenaria e tijolo, e do contrapiso. Iara conta que a obra terminou na semana passada: 

— Há 15 dias eles começaram a obra, que foi feita rapidamente. Um fiscal veio aqui para conferir se estava tudo de acordo com o planejado, deu uma sensação de segurança. 

O casal — que não pôde nem viajar durante as férias de final de ano, com medo algum temporal mais forte acontecer — comemora, agora, o final de uma etapa conturbada. 

— Se não fosse pelo Diário, não sei se o problema já estaria resolvido. Era perigoso e também frustrante não poder usar o pátio da própria casa por um problema que não foi causado por nós — opina Iara. 

*Produção: Leticia Gomes

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros