Após mais de um ano esperando, paciente consegue realizar consultas no Hospital da Ulbra, em Canoas - Notícias

Versão mobile

 

Seu problema é nosso20/07/2018 | 09h42Atualizada em 20/07/2018 | 09h42

Após mais de um ano esperando, paciente consegue realizar consultas no Hospital da Ulbra, em Canoas

Jorge Luciano aguardava por atendimento com as equipes de ortopedia e neurocirurgia desde o início de 2017. Após reportagem do Diário sobre o caso, a situação foi resolvida 

Após mais de um ano esperando, paciente consegue realizar consultas no Hospital da Ulbra, em Canoas Arquivo Pessoal / Leitor/DG/Leitor/DG
Jorge recebeu prioridade em razão do estado avançado de suas dores Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG / Leitor/DG

Ao menos dois itens já foram eliminados da lista de espera do comerciário desempregado Jorge Luciano Lucas Passos, 41 anos. Morador do bairro Niterói, em Canoas, ele aguardava havia mais de um ano por consultas com especialistas em ortopedia e neurocirurgia no Hospital Universitário da Ulbra (HU), na cidade onde vive. 

Leia mais
Idoso aguarda em casa chamada por consulta que pode demorar até quatro meses
Falta de iluminação pública e rede pluvial entupida fazem parte da rotina na Restinga
Falta de médico em posto de saúde da Zona Norte prejudica pacientes, em Porto Alegre

O Diário Gaúcho retratou o drama vivido por Jorge na edição de 4 de junho. Após a publicação, foi atendido em 27 de junho pela equipe de ortopedia e em 29 de junho pelo neurocirurgião. O comerciário sofre com a dor causada pelas hérnias na coluna e pela coxartrose — desgaste na cartilagem que fica entre o fêmur e o osso do quadril. 

Durante a produção da reportagem, o Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública (Gamp), que gerencia o HU, informou que a demora no atendimento se devia ao local ser referência para 76 municípios em ortopedia e para 43 em neurologia. 

Entre a publicação da reportagem e a chamada oficial do Gamp para as consultas, se passaram alguns dias. Mas "tudo ocorreu dentro dos conformes", segundo Jorge: 

— Fui atendido, recebi os encaminhamentos e voltei para a fila da cirurgia. 

Novo desafio 

Agora, ele recebeu prioridade em razão da gravidade do problema. O novo desafio é conseguir a cirurgia para colocação da prótese na coluna: 

— Espero que consiga realizar o procedimento o mais rápido possível. Só a operação vai amenizar as dores. 

O problema de Jorge começou no fim de 2015, quando foi internado no Hospital Nossa Senhora das Graças em função de uma isquemia cerebral, consequência dos cinco Acidentes Vasculares Cerebrais (AVCs) que teve. Os problemas provocados pelos derrames — epilepsia, por exemplo — fazem com que, hoje, ele dependa de vários medicamentos diariamente.

Mas, não bastasse a dificuldade que enfrentava para receber os remédios — como mostrou o Diário em abril e agosto do ano passado —, Jorge teve de lidar com a demora em seus atendimentos médicos. Ele respira aliviado por ter conseguido passar pelas consultas com os especialistas:

— Fico feliz com ajuda do jornal.

*Produção: Alberi Neto

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros