Veículos invadem a contramão para desviar de buracos no Jardim Algarve, em Alvorada - Notícias

Vers?o mobile

 
 

Seu Problema é Nosso29/05/2019 | 09h53Atualizada em 29/05/2019 | 11h26

Veículos invadem a contramão para desviar de buracos no Jardim Algarve, em Alvorada

A grande quantidade de buracos espalhados pelas vias indigna os moradores, que temem sofrer prejuízos. A prefeitura não tem previsão de data para operação tapa-buracos

Transitar de carro pelo bairro Jardim Algarve, em Alvorada, é torcer para não ter prejuízos. A grande quantidade de buracos espalhados pelas vias indigna os moradores. O problema já foi mostrado no Diário Gaúcho, na edição de 4 de março deste ano. 

Leia mais
Após um mês em falta, vacina da gripe volta a ser oferecida em posto do bairro Lami
Atleta de Gravataí faz campanha para ir a campeonato mundial  
Após matéria no Diário Gaúcho, menino consegue exame e apresenta melhora 

Contudo, no dia 21 de maio, um acidente agravou a preocupação de quem desloca-se pelo bairro. As imagens da câmera de segurança de uma chapeação na Rua Hermínio Rodrigues Machado mostraram o momento exato em que um ônibus, que desviava dos buracos, chocou-se contra um carro, que vinha no sentido oposto. 

— Deu para ver que o ônibus não estava rápido. O carro estava com maior velocidade e não freou quando viu o ônibus vindo na contramão — explica a proprietária da chapeação, Morgana Nonemache, 30 anos. 

Segundo Morgana, o local do acidente é uma das ruas com maior circulação no bairro. 

Procurada pela reportagem, a empresa do ônibus envolvido no acidente não quis se manifestar sobre o ocorrido nem sobre os buracos de Alvorada. O motorista do veículo sobreviveu ao choque. 

Prejuízos 

O empresário Everton Genez de Assis, 37 anos, que também já sofreu danos devido aos buracos, relata que é impossível não desviar. 

— Em geral, as piores ruas são aquelas em que os ônibus transitam. Aí, a prefeitura até arruma a pista, mas logo depois volta a ser destruída pelo peso dos veículos — afirma o empresário. 

Outra pessoa afetada pelo problema é o auxiliar de expedição Cristiano Ferreira, 39 anos. 

Ele afirma que a buraqueira é motivo de várias idas ao mecânico e que moradores solicitaram obras de resgate do asfalto — o que não foi solucionado. 

Prefeitura não tem previsão de obras 

O titular da Secretaria de Obras e Viação (Smov), Liberto Mentz, afirmou que uma licitação para tapa-buracos está na fase de análise das quatro empresas habilitadas para o serviço. Segundo o secretário, o setor de compras avalia as documentações e os valores das empreiteiras. 

Questionado sobre a previsão para o início das obras, o secretário diz que pode demorar: 

— O problema é que essas empresas podem recorrer, aí o prazo se estende. Caso nenhuma recorra, em 15 a 20 dias, já estamos começando. Mas, infelizmente, não é assim que acontece. 

Conforme o secretário Liberto, a prioridade das obras são as ruas com maior movimento, como a Rua dos Gaviões e a Avenida Elmira Pereira Silveira.

— Além do Jardim Algarve, temos mais ruas da cidade que precisamos tapar buracos. No total são 180 quilômetros de pavimento — afirma o secretário. 

Sobre os buracos da Rua Hermínio Rodrigues Machado, local do acidente, Liberto garante a colocação de “brita base”: 

— Quando o tempo firmar, vamos até lá para colocar a brita. Não dá para colocar com esse tempo, pois a água leva embora. 

Produção: Caroline Tidra

Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso 


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros