Medicamento utilizado para tratamento de esclerose múltipla volta a ser fornecido a morador de Canoas - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso07/01/2022 | 14h02Atualizada em 07/01/2022 | 14h03

Medicamento utilizado para tratamento de esclerose múltipla volta a ser fornecido a morador de Canoas

Falta da medicação pode agravar sintomas da doença

Medicamento utilizado para tratamento de esclerose múltipla volta a ser fornecido a morador de Canoas arquivo pessoal / arquivo pessoal/arquivo pessoal
Ricardo Faria retirava três caixas por mês da medicação Foto: arquivo pessoal / arquivo pessoal / arquivo pessoal

Dois meses após a reportagem publicada em abril de 2021 pelo Diário Gaúcho, o medicamento Fingolimode 0,5mg – usado no tratamento de sintomas da esclerose múltipla – já não estava mais em falta. Em junho do ano passado, o fármaco foi disponibilizado pela Farmácia do Estado nos munícipios gaúchos. À época, o intérprete de libras Ricardo Faria, 34 anos, estava sem receber o tratamento e aguardava pela liberação do remédio junto à Farmácia do Estado de Canoas, onde mora. 

Em outubro de 2016, aos 29 anos, Ricardo foi diagnosticado com a doença, que ataca o sistema nervoso. Sem o uso do remédio, à época, ele precisou ficar internado.

– Os sintomas não são iguais para todos, a doença se manifesta de diversas formas. No meu caso, tive paralisia facial. Depois que recebi a liberação do medicamento, nunca mais tive surtos – explica o paciente.

LEIA MAIS
Em Viamão, esgoto correndo a céu aberto gera mau cheiro e aumenta proliferação de insetos
Sem telhas desde 2019, escola da Capital tem aulas prejudicadas
Leitores do DG contam seus sonhos para 2022

Ricardo retirava três caixas do remédio por mês, disponibilizado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) e que é distribuído às Farmácias do Estado de cada município. Cada uma, com 28 cápsulas, custa cerca de R$ 5 mil. Atualmente, a retirada do medicamento está normalizada. 

Laboratório

Ricardo é presidente da Associação Gaúcha de Esclerose Múltipla (Agem) e explicou que um dos motivos da demora na distribuição do medicamento seria devido à troca do laboratório que produzia o composto.

Em nota na última reportagem, a empresa Novartis, uma das fabricantes do Fingolimode, afirmou que, em dezembro de 2020, o Ministério da Saúde concluiu a compra do medicamento “via pregão eletrônico com outra empresa, para o fornecimento pelo Sistema Único de Saúde”, responsável pela distribuição do fármaco “para que os pacientes possam manter o tratamento da esclerose múltipla”. 

– A Farmácia do Estado dizia sempre que o medicamento estava em falta e que precisávamos aguardar – relata o intérprete. 

De acordo com dados da Agem, a Fingolimode ficou em falta em cidades como Cruz Alta, Passo Fundo, Porto Alegre, Rio Grande e Santa Maria. 

LEIA MAIS
Grupo realiza ação de Natal para mais de 400 pessoas em comunidades de Gravataí e Cachoeirinha
Descarte irregular de materiais impacta esgoto no Guajuviras
Pessoas com deficiência reclamam de falta de acessibilidade na Trensurb

Qualidade

Sem tomar o remédio, o intérprete de libras corria o risco de ter novos surtos e novas lesões no cérebro, o que o levaria a ser hospitalizado. Ele reforçou que, durante a falta de medicamento, dependeu de corticoide para que os sintomas não voltassem, ficando afastado de suas atividades, pelo INSS, em função da falta do tratamento.

– Sentimento de alivio agora com o medicamento. Podemos dizer que temos vida com esclerose múltipla – finaliza.

Secretaria regularizou fornecimento

Na reportagem de abril, a SES informou que, no relatório dos atendimentos de março, em Canoas, o município recebeu o Fingolimode no dia 29 do mesmo mês. Já em relação à falta de medicamentos nas demais cidades, a pasta destacou que o estoque estava regular, não constando falta. 

Agora, a SES confirma a normalização no fornecimento do Fingolimode 0,5mg e diz que “a distribuição às secretarias estaduais é normalizada na medida que o Estado recebe os medicamentos do Ministério da Saúde, uma vez que é fornecido pelo próprio Ministério”.

Produção: Vitória Fagundes

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros