Após queda de árvore, morador segue vivendo de forma precária - Notícias

Versão mobile

 
 

Seu Problema é Nosso20/05/2022 | 10h53Atualizada em 20/05/2022 | 10h54

Após queda de árvore, morador segue vivendo de forma precária

Marcos Piter da Silva espera ser ressarcido e ter sua residência reconstruída

Após queda de árvore, morador segue vivendo de forma precária Mateus Bruxel / Agencia RBS/Agencia RBS
Morador aceita doação de móveis e de materiais de contrução Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS / Agencia RBS

Desde que uma árvore caiu em cima da sua casa, em 25 de abril, o atendente de alarme Marcos Piter da Silva, 49 anos, tem enfrentado diversas dificuldades. De acordo com o morador, a árvore era uma figueira centenária que ficava na Rua José Luiz Martins Costa, acesso I4, perto da casa 52, no bairro Rubem Berta, em Porto Alegre

Em 29 de abril, uma reportagem do Diário Gaúcho contou a história dele, que estava dormindo em um banheiro de forma improvisada, já que a estrutura da casa apresentava perigo de queda. Depois de três semanas, o morador, que tem deficiência visual (baixa visão), segue sem ter um local adequado para dormir.

Isso porque o banheiro que estava sendo utilizado passou a ter infiltrações. Assim, ele precisou comprar lonas para tapar uma área que era coberta antes da queda:

– Fiquei três ou quatro dias na cama por causa de um resfriado muito forte. Provavelmente, porque fiquei em contato com bastante umidade.

LEIA MAIS
Morador passa noite no banheiro após árvore cair sobre casa na zona norte de Porto Alegre
Família reclama de espera por internação em Canoas
Moradores aguardam por reforma de ponte há dois anos

Perigo

O morador explica que a última visita que recebeu da equipe responsável por fazer a retirada dos galhos ocorreu no dia 12 de maio, durante cerca de 15 minutos. Na ocasião, explica, os servidores removeram um galho que impedia sua saída, já que ficava na frente da porta de casa. No entanto, ele afirma ter entrado em contato com a prefeitura desde o início de maio para solicitar as demais providências. 

Como a casa ficou danificada pela queda do vegetal, ele espera ser ressarcido e ter sua residência reconstruída. A árvore em questão já apresentava sinais de fragilidade, e Marcos afirma ter registrado inúmeros pedidos de poda e retirada do vegetal. Um deles gerou o protocolo 001.029548.10.1, aberto em 2010:

– A pessoa que me atendeu informou que eu deveria entrar no site da prefeitura para pedir indenização. Mas, pra mim, é complicado. Por esse problema de visão, eu não consigo providenciar todos os documentos que pedem.

Marcos Piter da Silva registrou um protocolo em 2010 solicitando a poda da árvore. Em 2022, o vegetal caiu em cima da casa em que mora.<!-- NICAID(15100288) -->
Morador afirma ter registrado diversos protocolosFoto: Reprodução / Site Prefeitura de Porto Alegre

Além do risco para a própria vida, Marcos teme que a estrutura possa prejudicar vizinhos. Ele explica que uma das paredes da parte de cima da construção apresenta algumas rachaduras. Por isso, teme que possa cair em cima da casa que fica ao lado. 

Quando a árvore caiu, Marcos conta que assinou um termo que dizia que os bombeiros não poderiam atuar enquanto os galhos não fossem retirados. Além disso, o documento afirmava que havia perigo de queda. Mas o morador questiona a falta de comunicação:

– Em momento algum (na primeira visita), me disseram verbalmente que eu teria algum lugar para ficar enquanto minha casa estivesse nessas condições. 

LEIA MAIS
Grupo de dança pede apoio para competir no Exterior
Paciente reclama de espera por cirurgia
Projeto social premiado leva oficinas de arte para comunidades periféricas

No dia 18 de maio, uma equipe da prefeitura realizou nova visita. Na ocasião, Marcos afirma que um servidor da prefeitura perguntou se ele aceitaria ser beneficiado com o aluguel social. Além disso, outro servidor forneceu lonas para que ele colocasse nos locais que achasse necessário.

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL,  28/04/2022- Uma árvore caiu na casa do senhor Marcos Piter da Silva. Ele mora sozinho, tem um grau de deficiência visual e atualmente dorme dentro do banheiro, por medo que a árvore caia enquanto ele está dentro de casa. Ele explica que a árvore é uma Marcos Piter enorme e danificou as paredes e o telhado. Foto: Lauro Alves  / Agencia RBS<!-- NICAID(15080605) -->
Árvore caiu no dia 25 de abrilFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

O que diz a prefeitura da Capital

Questionada pela reportagem, a prefeitura de Porto Alegre reforçou, em nota, que a queda da árvore ocorreu devido aos “constantes incêndios provocados na parte da fenda do tronco” e que três equipes da empresa terceirizada que presta serviço de podas atenderam à ocorrência com apoio dos bombeiros e da Defesa Civil. 

O município diz ainda que, desde a quarta-feira, trabalha para a retirada dos resíduos restantes, mas “o serviço é complexo e exige tempo, já que o local é de difícil acesso e não há como usar caminhões e retroescavadeiras”. 

A nota afirma que “todos os moradores atingidos pela queda da árvore foram atendidos pela Defesa Civil com distribuição de lonas, inclusive o morador Marcos Piter”, e que ele recusou a oferta de deixar a residência e ir para um abrigo. 

Por fim, a prefeitura explica que, no dia do primeiro atendimento, “o morador não deixou a equipe entrar na casa e não comunicou suas necessidades para a subprefeitura da região”. Ainda assim, ele será encaminhado para atendimento social.

SAIBA COMO AJUDAR

/// O morador aceita doações de móveis como roupeiro, armários e colchão. Além disso, também precisa de materiais de construção. Para contribuir, entre em contato com Marcos pelo telefone (51) 98428-1021.

Produção: Guilherme Jacques e Kênia Fialho

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros