Entenda por que os ônibus de Porto Alegre não ligam o ar-condicionado - Notícias - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

Seu problema é nosso08/09/2017 | 09h20Atualizada em 05/10/2017 | 09h47

Entenda por que os ônibus de Porto Alegre não ligam o ar-condicionado

Com o calor fora de época que atinge a Capital, usuários reclamam que veículos equipados com o aparelho não o ligam

Ao longo das últimas duas semanas, os gaúchos têm enfrentado um sobe e desce nas temperaturas – apesar de estarmos no inverno. Quem mora em Porto Alegre saiu de casa agasalhado na quarta-feira (6), enquanto chovia e ventava na cidade. Na sexta (8), dois dias depois, a previsão era de que a temperatura chegasse à casa dos 30ºC.

Leia mais
Três cidades perdem R$ 139,5 milhões em recursos para corredores
Idosa está há seis meses sem receber remédio em Viamão
Banheiro público depredado causa problemas em Sapucaia do Sul

Para quem precisa utilizar o transporte público da Capital, principalmente em horários de pico, este calor, além da superlotação dos veículos, causa desconforto. O incômodo é maior ainda quando os usuários percebem que os ônibus equipados com ar-condicionado não estão com o aparelho ligado, mesmo em dias de temperaturas altas.

Período definido

O que muitos passageiros não sabem é que as empresas de ônibus têm obrigação de ligar o equipamento apenas durante parte do ano. Oficialmente, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), por meio de uma resolução publicada em 2011, definiu que o ar-condicionado dos veículos de transporte público que circulam na Capital precisa estar ligado somente entre 1º de novembro e 30 de abril. Segundo a empresa pública, "o período é determinado pelas estações do ano e pelo clima do Rio Grande do Sul".

No resto do ano, o uso é facultativo, ou seja, as empresas não precisam ligar o equipamento, apenas disponibilizar veículos em que as janelas possam ser abertas.

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso

Mesmo sendo usado apenas durante alguns meses, o ar-condicionado é cobrado na tarifa de ônibus durante o ano inteiro. Atualmente, o equipamento – instalado só em 34% da frota total da cidade, que é de 1.658 veículos – representa 1,45% da passagem (que custa R$ 4,05), o equivalente a R$ 0,06. Ou seja, o passageiro paga por um equipamento que não está presente em todos os veículos e é utilizado, obrigatoriamente, durante apenas seis dos 12 meses do ano.

Segundo a resolução, apenas veículos com janelas lacradas devem ligar o ar-condicionado durante todo o anoFoto: Ronaldo Bernardi / Agência RBS

Norma da EPTC

A resolução da EPTC sobre o ar-condicionado nos ônibus ressalta que, mesmo sem obrigatoriedade de uso, os veículos devem estar com o aparelho em condições de funcionamento durante todo o ano, para que, em "dias de calor intenso ou sempre que determinado pela EPTC", ele seja ligado.

A assessoria da EPTC informou que não há uma temperatura definida para ser considerada a situação de "calor intenso". Para o órgão, "o importante é garantir conforto do usuário".

Ainda segundo nota enviada pela empresa pública, apenas os veículos com janelas lacradas devem manter o equipamento sempre ligado. Em dias de calor excessivo, mesmo no inverno, por exemplo, a orientação da EPTC é para que os veículos usem os dispositivos.

Leia mais
Cachorro precisa de ajuda para voltar a andar
Rua na Restinga volta a ter luz depois de um ano no escuro
Bueiro entupido em São Leopoldo ganha bolo de aniversário

A empresa pública informou também que quando usuários entram em contato pelo telefone 156 reclamando do ar-condicionado desligado em algum veículo, é determinada a ligação.

Equipamento não é usado em dias de calor, criticam passageiros

As empresas não costumam ligar o equipamento fora do período obrigatório, mesmo com o calor – é o que atestam leitores que entraram em contato com o Diário Gaúcho na terça-feira passada para reclamar da falta de uso de ar-condicionado nos ônibus de Porto Alegre. Naquela data, o clima na Capital era de um legítimo dia de verão, com temperatura na casa dos 30ºC.

Para o bancário Luiz Fernando de Oliveira Carbone, 56 anos, a situação é absurda. Morador do bairro Passo D'areia, na zona norte, ele precisa se deslocar diariamente até o Centro Histórico, onde trabalha. Para isso, utiliza principalmente os ônibus do consórcio MOB (Mobilidade em Transportes). E, segundo ele, nas últimas semanas, nenhum dos veículos das linhas que costuma usar que estão equipados com ar-condicionado ligou o aparelho.

– Fizeram todo um alarde de que os ônibus novos teriam ar-condicionado, mas nunca está ligado, mesmo com esse calorão que fez nos últimos dias – reclama o usuário.

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso

Em outro extremo da cidade, na Zona Sul, a assistente de operações comerciais Alícia Pilotti Nunes Muniz, 22 anos, tem a mesma percepção de Luiz. Moradora do bairro Guarujá, ela utiliza as linhas 179/Serraria ou 171/Ponta Grossa, operadas pelo Consórcio Viva Sul.

Para Alícia, além da dificuldade de encontrar um ônibus com ar-condicionado, os veículos que o possuem, não o ligam. As informações de que a EPTC estabelece um período para funcionamento obrigatório e que o equipamento representa 1,45% do preço da passagem geraram surpresa na moradora da Zona Sul.

– Como o ar-condicionado só existe em menos da metade dos ônibus, acabamos pagando não só por algo que é usado por poucos meses do ano, mas por algo que está em pouquíssimos coletivos – critica.

Em dias úteis, 364 linhas de ônibus circulam por Porto Alegre, segundo a EPTCFoto: Carlos Macedo / Agência RBS

Teste do DG

Para comprovar se o ar-condicionado está sendo utilizado durante o chamado "período facultativo", o Diário Gaúcho fez um teste com três linhas da Capital, da empresa Carris e do consórcio Via Leste que, juntos, são responsáveis pela operação de 99 linhas da cidade.

Durante as últimas duas semanas, a reportagem utilizou ônibus das linhas T1/Transversal 1 ou T1D/Transversal 1 Direta (Carris), e das linhas R41/Rápida Protásio (Via Leste). Os cerca de 30 trajetos foram feitos em horários de pico, entre as 8h e as 9h e entre as 17h e as 18h.

Leia mais
Criança espera há dois anos por cirurgia, em Alvorada
Menino com paralisia precisa de ajuda para fazer tratamento
Depois de três anos, Dmae realiza limpeza de reservatórios na Capital

Em nenhuma das oportunidades, mesmo com temperaturas acima dos 25ºC, os veículos que possuíam ar-condicionado estavam com o equipamento ligado. Em conversa informal com cobradores e motoristas, a reportagem foi informada de que os aparelhos não são ligados por orientação das empresas.

Empresas apenas seguem a determinação, diz ATP

A assessoria de imprensa da Associação das Empresas Transportadoras de Passageiros de Porto Alegre (ATP), respondendo pelas empresas que fazem o transporte público na Capital – divididas em quatro consórcios –, confirmou a informação do período de uso obrigatório.

Segundo a associação, as empresas apenas seguem a determinação do poder público. E, fora do período de uso obrigatório, fica a critério dos consórcios ligar ou não o ar-condicionado.

Não tem como definir período, explica Cléo Kuhn

Meteorologista da Rádio Gaúcha, Cléo Kuhn diz que é difícil tentar estabelecer um período para o funcionamento do ar-condicionado. Isso, porque, segundo ele, a latitude e o clima temperado de Porto Alegre geram uma grande variação térmica, com momentos de frio e calor muito próximos.

Além disso, para o meteorologista, a falta dos termômetros de rua também prejudica os motoristas.

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso

– Os ônibus trafegam por pontos diferentes da cidade. Essas temperaturas diferentes exigem que o ar-condicionado seja regulado de forma diferente também, mas os motoristas nem sabem como está a temperatura pelos locais onde passam, já que Porto Alegre não tem termômetros de rua funcionando – diz Cléo.

Quanto a definição do que seria o "calor intenso" designado para EPTC para utilização do aparelho fora do período obrigatório, Cléo diz que é difícil definir uma temperatura, mas que a partir dos 25ºC, "o equipamento já pode ser usado tranquilamente".

Dos 296 veículos novos apresentados em 2016, 210 eram equipados com ar-condicionadoFoto: Felipe Martini / Agência RBS

Confira quantos ônibus têm ar-condicionado em Porto Alegre

Consórcio MOB (operado pelas empresas Navegantes, Sopal e Nortran)
– Frota total: 445 ônibus
– Veículos equipados com ar-condicionado: 132
– Linhas operadas pelo consórcio: 127

Consórcio Viva Sul (operado pelas empresas Belém Novo, Restinga, Trevo e VTC)
– Frota total: 494 ônibus
– Veículos equipados com ar-condicionado: 150
– Linhas operadas pelo consórcio: 183

Consórcio Via Leste (operado pelas empresas Presidente Vargas e Vap)
– Frota total: 186 ônibus
– Veículos equipados com ar-condicionado: 47
– Linhas operadas pelo consórcio: 51

Consórcio Mais (operado pelas empresas Gaz e Sudeste)
– Frota total: 188 ônibus
– Veículos equipados com ar-condicionado: 50
– Linhas operadas pelo consórcio: 82

Companhia Carris Porto-Alegrense
– Frota total: 347 ônibus
– Veículos equipados com ar-condicionado: 189
– Linhas operadas pelo consórcio: 48

*Produção: Alberi Neto

Leia outras reportagens da seção Seu Problema é Nosso


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros